Deus Não Tocará Jamais o Segundo Violino


1º Mandamento

“Não Terás Outros Deuses Diante de Mim.”




“Então, falou Deus todas estas palavras: Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.” (Êxodo 20:1-3)

“Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem...” (Salmo 31:19)

Deus é "clemente e misericordioso, tardio em irar-Se e grande em bondade". (Neemias 9:17). O salmista declara com convicção: "Mui grande é a Sua misericórdia para conosco." (Salmo 117:2).

“Creio que hei de ver a bondade do Senhor na terra dos viventes. (Salmo 27:13)


A Bíblia nos apresenta um Deus triuno, imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente. Ele é infinito e além da compreensão humana.

Gênesis 2:9 e 17 diz: “Do solo fez o SENHOR Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal. (...) mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”

A árvore do conhecimento tinha um papel importante na relação Criador/criatura, pois fixava nesta comunicação a diferença entre criatura e Criador. Note que a árvore da vida os une e a do conhecimento demarca as fronteiras. Deus não permitirá jamais que avancemos essa fronteira.

“Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de esculturas.” (Isaías 42:8)

Esta citação bíblica fala por si: “Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátuas, nem poreis figura de pedra na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque Eu Sou o Senhor vosso Deus.” (Levítico 26: 1)

Gosto dessas citações de Loron Wade em seu livro “Os dez mandamentos: princípios divinos para melhorar seus relacionamentos”:

O primeiro mandamento “é uma advertência motivada por uma preocupação profunda. Sua mensagem é: Não entregue sua lealdade e devoção a “deuses” que na realidade não são deuses. Não conceda um lugar supremo na sua vida a algo ou alguém que, no fim, só irá desapontá-lo e machucá-lo. (...)

A verdadeira moralidade nasce de um coração renovado pela graça. Disse o apóstolo Paulo “transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2) Experimentar a vontade de Deus significa mais do que conseguir dar a resposta certa para questões morais. Envolve mais do que simplesmente possuir informações. (...) A adoração, assim como o amor, é uma atitude do coração. È uma disposição e uma decisão de tornar Deus o primeiro, de colocá-LO no trono da vida e de dar-LHE o lugar como soberano, fazendo Dele o rei da nossa vida.

Dá a Deus o Seu lugar como soberano significa que não tentaremos sujeitá-LO às nossas ideias preconcebidas de como Ele é ou de como deve fazer as coisas. É descartarmos a ideia de que podemos crer nEle só até onde pudermos compreendê-LO. Se fôssemos fazer isso, então, o ponto de partida da fé seria o ateísmo, e avançaríamos na direção da fé somente por esforços racionais. Além disso, Deus seria limitado pela nossa capacidade intelectual. Então o que estaríamos adorando não seria mais Deus, mas algo finito, porque conheceríamos o Seu comprimento, largura e altura, Seu princípio e Seu fim.

(...) O conhecimento de Deus não começa com a razão humana, mas com a revelação. Isto é, Deus precisa primeiro revelar-Se. Não podemos descobri-LO por meio de nossos próprios esforços. E essa revelação de Deus teve sua expressão máxima em Jesus Cristo. (...) A revelação é concebida silenciosamente àqueles que abrem os olhos, os ouvidos e, acima de tudo, o coração. Em vez de uma convicção monumental, o que precisamos é afastar os bloqueios à fé e deixar de fechar os olhos às evidências.

Ao aceitarmos o primeiro mandamento e concedermos a Deus o Seu lugar como verdadeira divindade, essa revelação nos será concedida de forma pessoal. E essa é a única maneira de recebê-la.

Fazer Deus o primeiro significa deixar de lado ideias, interesses e pensamentos que entrem em competição com Ele ou diminuam Sua soberania sobre nossa vida. Esse conceito é a base, o princípio fundamental da verdadeira moralidade e do viver espiritual. É um princípio abrangente que nos permitirá avaliar as infindáveis decisões e alternativas que enfrentamos no dia-a-dia.

Em cada caso, perguntaremos: Como este vídeo, este jogo, esta amizade, este emprego ou esta propriedade vai afetar meu relacionamento com Deus? Quando realmente começarmos a viver dessa maneira, a ordem e a moralidade tomarão conta de nossa vida, a paz, substituirá a angústia, e a esperança afastará a depressão e o desespero. Somente então começaremos a compreender a obediência profundamente espiritual que Jesus descreveu no Sermão do Monte.

Muitas pessoas que instintivamente crêem na existência de Deus não chegam ao ponto de torná-LO o primeiro em sua vida. Mas este é o único lugar que Ele pode ocupar se de fato for Deus. Por isso, esse mandamento vem em primeiro lugar. Se não dermos a Deus o Seu lugar, se não tivermos feito Dele o Senhor de nossa vida, todos os outros mandamentos serão apenas regras morais que não têm o poder maior do que milhares de outras boas idéias.”

“Agora... que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, para guardares os mandamentos do SENHOR e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?” (Deuteronômio 10:12-13)



Ruth Alencar


Comentários

  1. Ao elaborar este texto meus pensamentos foram por diversas vezes levados a Mateus 5 e 6:

    Como precisamos compreender profundamente estes versos SENHOR!

    "Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.

    Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.

    Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus."

    ResponderExcluir
  2. É tão claro o que Jesus disse! Não vai cair nenhuma letra ou acento da Lei. Só quem não quer enxergar é que não entende que a Lei é perfeita e restaura a alma .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13