Mas eu sei em QUEM eu creio



“Porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia.” 
(2 Timóteo 1:12)




Este texto é uma resposta aos comentários registrados no texto Obediência Moral ou Intelectual? (Parte1)

“... para guardar o meu depósito até aquele Dia.” De que depósito fala Paulo?

Paulo relembra a Timóteo que ele possuía um dom espiritual, e que Deus não dota os homens a fim de torná-los covardes, e, sim, corajosos, amorosos e disciplinados – de fato, ‘auto-controlados’. Por conseguinte, cabia-lhe avivar até as chamas o fogo que Deus lhe outorgara, e no poder de Deus aceitar sua parte em qualquer sofrimento no qual o Evangelho o envolvesse, não hesitando em associar-se ao testemunho referente ao nosso Senhor, e ao apóstolo Paulo como alguém que sofria prisões por causa de Cristo. A fim de reforçar este apelo, Paulo relembra a Timóteo sobre quão maravilhoso é o Evangelho; pois de conformidade com os graciosos propósitos de Deus, e não por motivo de qualquer coisa que tivéssemos praticado, Ele nos salvou. Esse dom da graça, que já nos havia sido dado antes da história do mundo ter início, agora se manifestou abertamente mediante o advento de Jesus Cristo a fim dEle ser nosso salvador, e mediante Sua vitória sobre a morte. Em conseqüência, através do Evangelho que agora era pregado foi trazida à luz a vida incorruptível (que os homens podem contemplar como uma realidade e abraçar como uma possessão, fazendo contraste com a negra incerteza anterior sobre sua existência, quando os homens desesperavam de desfrutar dela). Esse é o Evangelho, dizia Paulo, que fui comissionado a pregar (...). Não obstante (a despeito das prisões e da possibilidade de sofrer o martírio) não vejo qualquer razão para envergonhar-me do Evangelho. Pois Deus é fiel e capaz; portanto (embora meu dia de servir como despenseiro do Evangelho esteja terminado) estou bem certo que Ele preservará aquilo que me confiou a fim de que lhe sejam prestadas contas a Seu contento, no dia final de prestação de contas.” (A.M. StIBBS, M.A., Vice-Reitor do Oak Hill Theological College, Londres)

Paulo tinha convicção de quem ele fora, em quem se tornara e o que lhe aguardava por causa do Evangelho. A expressão tenho crido” nos dá a entender uma atitude continua de confiança em consequência de uma tomada de decisão.

Paulo tinha a certeza quanto a sua salvação: para guardar o meu depósito até aquele Dia.” De onde vinha essa certeza de Paulo?

Ele conhecera a bondade de Deus, pois experimentara que Sua graça lhe bastava. A experiência pessoal religiosa com Jesus naquela estrada foi o palco de sua conversão verdadeira. Dele foi exigido ficar cego para então passar a andar por visão, a visão vinda dos Céus. O velho Paulo, zeloso das tradições judaicas teve que se despir do seu próprio olhar e passar a ver Deus segundo os olhos de Deus. E isto foi tudo para ele.

Muitos têm seguido Deus calçando as sandálias das tradições dos homens. Quantas discrepâncias temos visto por conta disto! Com a Bíblia aberta em suas mãos têm falado de letras mortas. E o que esses têm oferecido são apenas cisternas rasas com águas que não saciam.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.” (Mateus 7:21-23)

Pedro, eu afirmei: “Segundo a Bíblia quem comete pecado é do Diabo.”

E você perguntou: “você acredita nisso, de verdade? Literalmente?”

Muito obrigada por não ficar com essa dúvida. Não devemos impor limites para a tolerância de Deus e Sua infinita misericórdia.

“Todo amor do mundo e toda fonte de ternura não passam de um tênue riacho, comparado ao ilimitado oceano do amor de Deus. Palavras não podem exprimir. Nem a pena é jamais capaz de descrever. Podemos nele meditar. Podemos pesquisar também. Todavia, jamais poderemos compreender completamente a extensão, a largura, a profundidade, a altura do amor de Deus em ofertar Seu Filho para salvar o mundo. A própria eternidade não revelará.” (canção Declaração do amor de Deus, Myrtes Ribeiro)

A literalidade é perigosa não é Pedro? Se creio na soberania e autoridade de Deus sobre tudo, inclusive sobre o mal, devo admitir que tudo pertence a Deus. Porém, devo ter o cuidado de discernir o fato de que, embora como pecadora pertença a Deus, meus pecados fazem separação entre mim e Ele.No trono existencial não pode haver dois senhores. Não sou eu quem inventou isto, a boca do Senhor o disse:

Mateus 6:24

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.”

Lucas 16:13

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.”

É impossível manter uma atitude ambígua. Não há terreno neutro na guerra espiritual. Em outras versões da Bíblia a palavra riqueza está substituída por Mamom, que é a palavra aramaica que significa riquezas, coisas mundanas. Paulo fala dessa luta que todo cristão tem contra o pecado:


Reflita sobre Romanos 7:14–25

Somos todos nós pecadores filhos de Deus, porque somos criaturas Suas e não do Diabo. Entretanto, infelizmente os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus, por isso o papel reconciliador de Jesus Cristo. Sem Jesus não há reconciliação.

James Deney tem uma citação muito interessante: “Para estar salva do pecado, a pessoa precisa reconhecê-lo seu e ao mesmo tempo renegá-lo; é este paradoxo prático que se reflete no seguinte versículo: “Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.”

Gosto de ler as epístolas de Paulo porque ele não se esconde por trás das suas fraquezas. Depois de falar de sua aflição ou desespero íntimo, confessa–se um pecador convicto: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”. Tão repulsivo é o pecado e tão sinônimo de morte, que Paulo se agonia por se livrar deste corpo físico, instrumento do pecado e cujo destino é a morte.

Somente os que entregaram suas vidas e reconheceram a necessidade da intercessão divina e confiam na Sua graça e misericórdia, compreendem a capacidade de Paulo logo em seguida expressar: “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.”

Quando disse que “segundo a Bíblia quem comete pecado é do Diabo” não estou referindo a um título de propriedade, na verdade estou me referindo ao fato de que o que identifica o nosso senhor é a nossa submissão.

Concordo com este pensamento do pastor Venden: “Pecado no singular significa uma vida separada de Deus. E pecados no plural são os erros que cometemos em resultado de vivermos separados de Deus.

Pecado, no singular, consiste em vivermos distantes de Deus, não importa quão bons possamos ser. Há muita gente boa, de excelente moral, que vive longe de Deus. Vive, porém, em pecado. Praticando ou não coisas erradas, vive em pecado. Sua vida é de pecado. (...) O homem peca porque é pecador. Ele não é pecador porque peca. Considere novamente que a principal questão do pecado é a separação de Deus. Você não tem de pecar para ser pecador; basta você nascer!

Se tivéssemos de colocar tudo isso numa equação, poderíamos dizer que Humanidade = Pecado : Justiça = Jesus. Jesus foi o único ser sem pecado que nasceu peste mundo, pois não nasceu separado de Deus. E o único que nasceu justo. Dessa analogia fica claro que, tanto quanto se refere à humanidade, a equação é a seguinte: Humanidade + Jesus = Justiça. O ser humano sem Jesus é ainda pecador. O problema real quanto ao pecado e à justiça consiste em ter ou não Jesus em nossa vida.”

Só somos realmente de Jesus quando Jesus ocupa o lugar que Lhe é devido em nosso viver. Se não somos de Jesus, somos de quem então? Entenda que não estou falando de títulos de propriedade. Todos pertencemos ao dono do Universo.

Pastor Venden tem frases maravilhosas:

“Devido a sua natureza, as pessoas continuam a fazer a estulta escolha de rejeitar a eternidade em favor da vida presente. Mesmo muita gente ilustre termina recusando a vida que Deus lhes oferece, e escolhendo a vida que levam.(...), somos escravos de nossa natureza. Nascidos neste mundo de pecado, somos pecadores por natureza. E a menos que o miraculoso poder de Deus interfira, nenhuma lógica ou razão nos levará a aceitar a eternidade que Deus nos oferece.”

“Há ainda uma prova bíblica notável de que nascemos pecadores. É o fato de que ninguém verá o reino de Deus se não nascer de novo (S. João 3:3). Se isto é verdade, então deve haver algo errado com o nosso primeiro nascimento. Que é então? Voltemo-nos para Agostinho, o fundador da clássica doutrina do pecado original. Tem havido muita discussão a este respeito. Basicamente, ele ensinava que nascemos pecadores e somos responsáveis pelo pecado desde o nascimento. Isso significa que sua doutrina deve ter rotulado a doutrina da culpa original.”

“Você pode não aceitar bem a doutrina de Agostinho quanto à culpa original, mas a do pecado original é legitimamente bíblica. Esta se encontra na histórica Confissão de Augsburg, que afirma termos nascido separados de Deus. E esta é a realidade. No entanto, embora nasçamos separados de Deus, não somos considerados responsáveis por isso. Por conseguinte, não é necessário proceder-se a um ritual para ou pelo bebê para que ele seja salvo, visto que ele não é responsável pelo seu nascimento neste mundo de pecado. Ninguém é responsabilizado por isso até que tenha a oportunidade de compreender inteligentemente o problema, ver sua própria condição e o que pode ser feito para corrigi-la. Então aí começa a sua responsabilidade.”

“Deus jamais nos responsabilizou por termos nascido num mundo pecaminoso. E isto é realmente uma boa nova!”

Deus enfrentou o problema do pecado assumindo através de Jesus também a natureza humana. Com Paulo aprendemos que a carne assumida por nosso Senhor Jesus Cristo era a verdadeira humanidade, não a degradada.

Romanos 8:2-4: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.”

A ideia de Paulo é nos ensinar que o Pai enviou Seu Filho para enfrentar a questão do pecado nas mesmas circunstâncias e ambiente em que a raça humana em Adão fora derrotada. A carne era a esfera ou o domínio do pecado. É aqui que temos que entender porque aquele que comete pecado é do Diabo. Quando estamos em pecado porque somos “pecadeiros” e não apenas “pecadores”. A diferença entre essas duas classes é bem significativa!

Os que entregam suas vidas em submissão a Deus, apesar de cometerem pecados, são legitimados como Seus filhos porque Deus tornou ilegítima a esfera de influência do pecado, afinal, Jesus com Sua morte anulou o poder do pecado sobre Seus filhos.

O homem em Cristo está livre para sempre da lei do pecado e da morte. Com Paulo aprendemos que a justa exigência da lei, uma vida íntegra, é realizada não pela lei, porque esta falhou, mas pela graça de Deus.

Infelizmente, muitos têm buscado a Deus somente porque estão à procura de um milagre, uma cura ou simplesmente porque querem uma prosperidade, segundo os homens. A estes Deus dirá: “nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.”

Estes foram os que correram atrás das vãs filosofias e as pregaram nos templos e avenidas (TV). Foram os vendilhões do templo e no templo. Estes foram os vendilhões da Palavra. Deram um preço ao que Deus ofereceu como Graça. Deram um preço ao que não tinha preço. Enganaram as multidões com a Bíblia aberta, falaram de uma prosperidade não segundo Deus, mas segundo a sua própria. Estes foram os que “expulsaram demônios” contraditoriamente convidando a própria presença dele entre eles. “Realizaram curas”, sem nem ao menos conhecer o Médico. Se O conhecessem não teriam agido, nem falado de forma tão estranha aos verdadeiros ensinamentos do Mestre.

Porém, às vezes, essa busca, a princípio tão interesseira, proporciona um encontro especial e a verdadeira conversão espiritual acontece. Não que todos os caminhos levem a Deus, mas porque Deus passeia por todos os caminhos buscando os que são Seus.

Buscando? Sim, buscando porque toda e qualquer iniciativa nossa em direção ao que é espiritual tem em Deus a iniciativa. Concordo com Morris Venden quando diz que “o anseio por algo melhor vem de Deus. É o Seu poder de atração que desperta nosso desejo de alcançar algo mais do que já temos. É obra do Espírito Santo convencer-nos de que somos pecadores: Ele ''convencerá o mundo do pecado'' (S. João 16:8). É Sua obra fazer-nos reconhecer nossa invalidez, pois Jesus disse: "Sem Mim nada podeis fazer.'' S. João 15:5. É Sua obra levar-nos a fazer uma entrega total, embora sejamos nós que nos entregamos.”

Sim, conhecer e encontrar-se com Deus é tudo. Faz toda a diferença o que conheço de Deus. Afinal, é esse conhecer que me faz compreender o que vem de Deus e o que vem dos homens. O que sei de Deus e o que Ele representa na minha vida me faz dizer como Paulo: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8: 35-39)

Paulo considerava o compartilhar do conhecimento de Deus o Evangelho que produz a salvação. E enquanto mostrava que a iniciativa de nos salvar partia de Deus em Cristo Jesus, exortava os cristãos e os gentios a adquirirem o conhecimento do plano da salvação. O primeiro passo é procurar esse conhecimento e estar disponível para ouvir a voz de Deus. A Bíblia diz: ''E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste." (S. João 17:3).

Está escrito no livro de Mateus 11:28: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” O convite do Senhor é que a gente dê um passo a frente para que Ele possa agir em conseqüência. É o discernimento da necessidade que tenho de um Salvador e o conhecimento dessa dimensão espiritual no meu viver e da minha fé cristã que me fazem compreender que Deus, sendo Quem É e tendo o poder que tem, será sempre um “cavalheiro” para comigo. Nunca invadirá meu querer.

Ele baterá sempre a porta do nosso coração, não nos invadirá... esperará que abramos porque quem tem as chaves somos nós. É quando consentimos que nos colocamos em condições nas quais Ele pode operar. Como disse Morris Venden “seja na igreja, em reuniões públicas, ou em particular diante da Palavra de Deus aberta, ou talvez ao ler” esse texto, “se você fizer uma única tentativa de responder à atração de Jesus e de Seu Espírito, a fim de obter melhor conhecimento do plano da salvação, Ele fará o resto.”



Ruth Alencar

Comentários

  1. Sejam bem vindos!



    Melhor visualização no Google Chrome e Firefox!



    No Internet Explorer poderá ocorrer a não visualização de comentários postados ou poderá ocorrer a visualização de comentários sobrepostos aos posts recomendados: "Poderá também gostar de:".


    Boa leitura a todos!

    ResponderExcluir
  2. Discordo da expressão abaixo:

    “SOMOS TODOS NÓS PECADORES FILHOS DE DEUS, porque somos criaturas Suas e não do Diabo”. Entretanto, infelizmente os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus, por isso o papel reconciliador de Jesus Cristo. Sem Jesus não há reconciliação.

    *** Todos os pecadores são “CRIATURAS DE DEUS”, mas não são “FILHOS DE DEUS”. Deus não tem filhos adúlteros, homicidas, pecadores prostitutos, idólatras...). Quem aceita a Jesus como Salvador de suas vidas, esse é recriado, pois nasce do Espírito.

    1. Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo. (Filipensses 2:15).

    2. Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (João 2:1).

    3. Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome. (João 1:12).

    4. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. (Romanos 8:14).

    ... Creio que foi apenas uma falha de expressão, não é mesmo?!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo disse:

    "*** Todos os pecadores são “CRIATURAS DE DEUS”, mas não são “FILHOS DE DEUS”. Deus não tem filhos adúlteros, homicidas, pecadores prostitutos, idólatras...). Quem aceita a Jesus como Salvador de suas vidas, esse é recriado, pois nasce do Espírito."

    Desejo apenas dizer como me senti ao ouvir isso em uma igreja evangélica que visitei há algum tempo atrás.

    Senti-me como a pior das CRIATURAS existentes, pois como poderia eu saber do que meu coração(mente) era capaz de pensar e fazer?
    Pensei em que ao desviar-me e ao tropeçar em uma "pedra", já estaria sendo vista como CRIATURA!

    Hoje dou Glória a Deus por ser Ele e SOMENTE Ele que tem o poder de me julgar pois conhece a essência do meu coração.

    Se assim não fosse, Davi não seria chamado "Segundo o Coração de Deus", não poderia ser chamado FILHO de Deus, pois ele era pecador, adúltero, homicida, cobiçou a mulher do seu próximo...

    Então, com a promessa que conheço de meu PAI, sendo um Pai de amor e misericórida, tenho certeza que posso me considerar Sua filha, apesar de pecadora como sou.

    ResponderExcluir
  4. "Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (João 2:1)."

    Penso que não há necessidade de advogado se estamos livres de acusação, certo?

    Não digo que devemos viver em pecado, ou seja, Não devemos viver em INIQUIDADE.

    Mas, caso ocorra alguém pecar, temos um advogado perante ao Pai.

    Enquanto estivermos nesse mundo, concordo que precisamos sim do nosso advogado, que Deus em sua Onisciência nos proveu na pessoa de Jesus Cristo, O Justo.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo e Bri

    Há um agir como filhos de Deus que devemos buscar. Mas, eu não me iludo de pensar que posso com minhas obras alcançar o que somente através de Cristo me será garantido.

    Sei da importância do esforço pessoal, através do abandono dos velhos e errados comportamentos... numa luta dia após dia.

    Sei que não posso, pelo o que hoje sei e compreendo do sacríficio e da proposta de Deus para mim, banalizar a graça de Deus a ponto de percebê-la como um dom permissivo.

    Mas... eu sei quem sou... conheço minhas quedas e concluo que até chegar lá haverá muito cair e levantar. Muito perdão a ser liberado.

    Acho que o único pecado que nos tira o título de filhos de Deus, em todo esse processo de santificação, é o Pecado... aquele que nos transforma em rebeldes, rejeitadores da graça e misericórdia de Deus.

    Confesso... sou uma doente e preciso do Médico. Sou pecadora e preciso do Advogado. Sou discípula e tento aprender do Mestre.

    Sou criatura, dependente em todos os sentidos do meu Criador. Seu "fôlego" em mim é a força do meu viver e a garantia da minha vitória.

    Sou filha... DAquele que dia após dia pacientemente escuta meus pedidos de perdão e que com misericórdia me chama de filha e diz: vá e não peques mais.

    ResponderExcluir
  6. "Sou filha... DAquele que dia após dia pacientemente escuta meus pedidos de perdão e que com misericórdia me chama de filha e diz: vá e não peques mais."

    E assim necessito da misericórdia de Deus e do meu Advogado.

    Não posso me garantir nem no dia de hoje, muito menos no dia de amanhã. Porém, vivo buscando alcançar a cada dia um tropeço a menos.

    Na certeza de que mesmo sendo pecadora, meu Pai ouvirá a minha prece e me ajudará a levantar.

    Por minhas forças não consigo. Por isso sou totalmente dependente de meu Deus, que molda meu caráter e transforma meu coração.

    ResponderExcluir
  7. .
    .

    Eu é que sou feliz! Estou absolutamente convencido de que Deus me criou com o propósito de que eu seja feliz eternamente. Ele me ama tanto que até se ofereceu em sacrifício vicário para me redimir. Deus quer que eu viva conSigo eternamente, essa é a sua vontade, e Ele é onipotente. Nada poderá me separar dEle! A minha ignorância jamais poderá se sobrepor à Sua vontade, misericórdia e onipotência.

    Eu não estou, por momentos, Seu filho. Eu sou Seu filho, sempre!

    Nós iremos morar com Cristo por toda a eternidade! Tenho certeza disso!

    Fraternalmente.

    .
    .

    ResponderExcluir
  8. Concordo como o Pedro:

    "Eu não estou, por momentos, Seu filho. Eu sou Seu filho, sempre!"

    Ora, tenho meus filhos, mas se eles errarem deixarei de ser a mãe deles por terem cometido erro?

    Minha qualidade de mãe é imutável.

    Fomos feitos filhos de Deus, pois o Seu Filho foi entregue em sacrifício por nós. Sendo assim, nós fomos "feitos" filhos de Deus não por nosso mérito, mas pelo sacrifício de Jesus.

    Tudo isso, herdamos do Nosso Senhor Jesus Cristo!

    Porém: "Vá e não peques mais"!

    E se cair, tropeçar, errar..."se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo."

    ResponderExcluir
  9. Anônimo

    Você não está errado ao dizer que uma vez nascido de novo tenho que viver em consequência disso. Também creio nisto.

    Mas, penso como a Bri e o Pedro e creio firmemente que você também pensa assim.

    Somos felizes, todos nós, bem-aventurados, por Jesus Cristo tanto porque Ele é o nosso Salvador como porque é nosso Senhor.

    Apeguemo-nos firmemente às Suas promessas e receberemos DEle o nosso "depósito".

    Hoje a maior certeza da minha vida é que o melhor que há em mim, é obra Dele.

    ResponderExcluir
  10. Brígida,

    Quando disse que todos os homens são criaturas de Deus, mas nem todos são seus filhos, é que as Escrituras afirmam que para isso existe uma condição: MAS A TODOS QUANTOS O RECEBERAM, DEU-LHES O PODER DE SEREM FEITOS FILHOS DE DEUS, AOS QUE CRÊEM NO SEU NOME.(João 1:12).

    Faço um pequeno comentário sobre a sua exposição:

    I- DESEJO APENAS DIZER COMO ME SENTI AO OUVIR ISSO EM UMA IGREJA EVANGÉLICA QUE VISITEI HÁ ALGUM TEMPO ATRÁS. SENTI-ME COMO A PIOR DAS CRIATURAS EXISTENTES, POIS COMO PODERIA EU SABER DO QUE MEU CORAÇÃO MENTE)ERA CAPAZ DE PENSAR E FAZER? PENSEI EM QUE AO DESVIAR-ME E AO TROPEÇAR EM UMA "PEDRA", JÁ ESTARIA SENDO VISTA COMO CRIATURA! HOJE DOU GLÓRIA A DEUS POR SER ELE E SOMENTE ELE QUE TEM O PODER DE ME JULGAR POIS CONHECE A ESSÊNCIA DO MEU CORAÇÃO.

    Primeiro: Só Deus tem o poder do julgamento!

    Segundo: As Escrituras afirmam que “todo aquele que é nascido de Deus, não vive na prática do pecado- I João 3:9. Não vive em pecado; peca porque tem a natureza humana, mas se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (João 2:1)". Essa é a grande maravilha que talvez na época, vc não conhecia ou a igreja não revelou! ... Quando há arrependimento, há perdão!

    II- ... DAVI NÃO SERIA CHAMADO "SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS", NÃO PODERIA SER CHAMADO FILHO DE DEUS, POIS ELE ERA PECADOR, ADÚLTERO, HOMICIDA, COBIÇOU A MULHER DO SEU PRÓXIMO...

    Primeiro: Muitas pessoas utilizam a queda de Davi para justificar os atos praticados!

    Segundo: Veja que, quando Davi cai em si, ele não diz que pecou contra Urias, mas “Pequei contra o Senhor!- 2 Samuel 12:13. Grande foi o reconhecimento da justiça de Deus, quando ele teve a certeza da morte do filho! “Então Davi se levantou da terra, se lavou, se ungiu, mudou de roupas, entrou na casa do SENHOR e adorou”...-2Samuel 12:20 “Então consolou Davi a Bate-Seba, sua mulher, entrou a ela, se deitou com ela, ela deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Salomão e o SENHOR o amou”.- 2 Samuel 12:24.

    Terceiro: Muitas pessoas para justificarem seus pecados, só mencionam que Deus é amor, mas não concluem que Ele também é justiça! Vivem deliberadamente a pecar e se iludem de que Ele é o seu advogado!

    Quarto: Quero deixar bem claro que não disse que por termos conhecimento de Cristo, não pecamos mais. Afirmei que “só há uma condição de ser filho de Deus: aceitar a Jesus como salvador, pois aquele que está em Cristo é uma nova criatura porque não vive na prática do pecado e se porventura pecar, tem o maravilhoso advogado que se chama JESUS”!

    Quinto: Êta! Quanta polêmica sobre uma coisa tão simples! Vou terminar pq esse assunto se estendeu demais! Envolveram-se Brígida, Ruth e Pedro... (risos)...

    ResponderExcluir
  11. Anônimo,

    "Vou terminar pq esse assunto se estendeu demais! Envolveram-se Brígida, Ruth e Pedro..."

    Não termine, por favor, pois os comentários estão bons! Assim aprendemos muito e podemos reter o que é bom!


    Concordo com o que você diz, só apontei para um detalhe importante ao meu ver, pois aconteceu comigo e me deixou triste por ver pessoas cristãs que julgam as outras dizendo, ou melhor afirmando que são criaturas somente por não serem cristãs da mesma denominação religiosa que aquela em que eu estava presente. Digo que foi um fato isolado e o seu comentário inicial me fez pensar sobre isso:

    "Todos os pecadores são “CRIATURAS DE DEUS”, mas NÃO são “FILHOS DE DEUS”"

    O que aconteceu naquela igreja, foi que disseram com tanto entusiasmo, que somente alguns são filhos de Deus. Concordo e sempre concordei no que você disse:

    “só há uma condição de ser filho de Deus: aceitar a Jesus como salvador, pois aquele que está em Cristo é uma nova criatura porque não vive na prática do pecado e se porventura pecar, tem o maravilhoso advogado que se chama JESUS”!

    Hoje muitos aceitam Jesus como salvador e pensam que está tudo bem, podem viver em iniquidade que já foram salvos.

    Muitos dizem: "creio em Jesus, Ele morreu por mim, pagou pelos meus pecados!"

    Mas, será que "aceitar" é somente isso?

    Temos que pensar que quando eu aceito de coração uma pessoa, eu a respeito! Se eu respeito essa pessoa, faço o meu possível para não magoá-la. Posso, em alguns casos, até não concordar com a pessoa, mas por respeito a ela eu me manifestarei sem que haja mágoa.

    Se aceito, respeito o que Jesus fez por mim, devo omitir-me aos Seus ensinamentos?
    Quando aceitamos verdadeiramente a Cristo, nova criatura somos, ou seja, somos chamados filhos de Deus. Seguimos conforme Jesus ensinou e conforme Seu exemplo.

    Quando citei Davi, não foi por acaso. Poderia ter citado Jacó, Jonas, Salomão, Maria, Pedro... Opções é o que não faltam! Mas, estava falando que Deus conhece o coração de todos nós, e que apesar dos pecados de Davi contra Deus, ele ainda foi chamado "Segundo o coração de Deus"!

    Justamente porque sempre que uma pessoa peca, mas aceita, respeita, ama seu Senhor, o sentimento de que vem após o pecado é o arrependimento, e isso nos leva ao clamor por perdão.


    Confesso que pensei:
    “Ora, parece que o anônimo está se contradizendo?" (risos)

    Pois, logo em seguida você citou as frases que são a perfeita ilustração do Amor de Deus em aceitar-nos como Seus filhos.

    Só ratificando: Somos criaturas, porém fomos feitos filhos de Deus por intermédio do sacrifício de Jesus, O Justo!
    Quem permanece em pecado e não se arrepende, não se desvia dos maus caminhos, deve repensar ao dizer que aceitou Jesus... Assim eu penso.

    Acreditar no que Ele fez é uma coisa, exemplo:...acredito no que Adolf Hitler fez, mas, não aceito seus atos.
    Aceitar Jesus como seu Salvador pessoal e aceitar seus atos como bons, mas fazer o contrário do que aceito também é hipocrisia.

    Viver em Cristo é viver seguindo na trilha da retidão, e mesmo que caímos, ali estará Ele para nos perdoar, conforme nosso arrependimento, e nos ajudar a não cair mais.

    Por favor, não dê por encerrado! Estava ansiosa por seu pronunciamento! (risos)

    Que a Paz do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja em nós e conosco para todo o sempre!

    ResponderExcluir
  12. É isto ai meninas... nossa compreensão tem que ser completa: a graça de Deus nos basta, mas Jesus não Se apresenta a nós apenas como o Advogado e Salvador. Ele Se apresenta também como o SENHOR. É preciso que compreendamos que Ele é pois Salvador e Senhor. Discernir o papel de Senhor nos faz saber a direção a tomar em nossos atos, mas se alguma coisa der errado, o discernimento do papel como Salvador nos põe novamente no bom caminho.

    E qual é o bom caminho, senão Ele mesmo.

    Que Deus nos abençoe e que sejamos felizes por tão maravilhosa compreensão em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  13. "... MAS JESUS NÃO SE APRESENTA A NÓS APENAS COMO O ADVOGADO E SALVADOR.ELE SE APRESENTA TAMBÉM COMO O SENHOR"...

    ***Apenas o complemento: JUIZ!

    E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído JUIZ DOS VIVOS E DOS MORTOS. Atos 10:42.

    ResponderExcluir
  14. É... Pedro, bem lembrado... JUIZ.

    Eu só sei de uma coisa... eu O amo profundamente... tenho dito para Ele, embora saiba que Ele me conhece melhor que eu mesma, que sou criança de colo, que Ele por favor não me deixe cair.

    Preciso DEle como Senhor, Salvador, Rei, Amigo, Irmão,Advogado, Juiz...

    Jesus é o melhor que há na minha vida!

    ResponderExcluir
  15. Está escrito:

    ..Sete vezes cairá o justo e se levantará...(Provérbios 24:16)

    E a oração da fé salvará o doente e o Senhor o levantará; e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. (Tiago 5:15)

    Os passos de um homem bom são confirmados pelo SENHOR, e deleita-se no seu caminho. Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o SENHOR o sustém com a sua mão. (Salmo 37:23 e 24)

    ResponderExcluir
  16. Anônimo

    como sempre muito sábias suas palavras.

    Que Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
  17. Minhas palavras? É a Palavra do Senhor!

    ResponderExcluir
  18. Anonimo...


    hehehehehehe... vc é terrível!!! Claro que sei que são do Senhor.

    Tornaram-se suas tb pois vc as proclamou como testemunha de fé.

    Tendeu?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2