A Soberania de Deus e a Responsabilidade do Homem


Em que se firma a nossa fé – parte 4

Nosso amigo leitor Liú disse: “Obrigado por tomar tempo em tentar responder as minhas indagações (...) Ficaram algumas coisas em dúvida na minha cabeça, tipo assim, se Deus já sabia que o homem iria pecar e Jesus já tinha sido escolhido pra morrer por nós por que Ele não impediu isso sabendo que outras pessoas seriam prejudicadas? E a questão da desvantagem que temos é fato, Adão e Eva tinha a visita diária de Deus, viviam em um lugar onde não conheciam o mal (...) A questão da fé que resume tudo, porque respostas na verdade jamais encontraremos.”

Vou “cutucar” você. Você acha que há uma contradição quando, como cristãos, dizemos a nós mesmos e às pessoas que elas devem arrepender-se de seus pecados, mas ao mesmo tempo crermos também que é Deus quem dá o arrependimento?

Lembra do que lhe falei sobre Deus Salvador e Deus Senhor? É para aí que vou quando algo parece complicado para entender. A própria Bíblia fala que nossa mente limitada não pode entender tudo sobre Deus e Seus modos de agir. Quem disse que a lógica humana é o recurso a ser utilizado para compreender as coisas de Deus? Ele está além de nossa finita compreensão. Saberíamos resolver o problema do mal melhor do que Deus? Aqui cabe o andar pela fé. Confiar em Seu caráter de justiça e amor.

Em seu livro “Como Conhecer a Vontade de Deus”, Morris Venden diz: “Às vezes nos sentimos frustrados pela aparente falta de orientação divina em nossos dias e em nossa era. Rememoramos os tempos bíblicos, quando vinham anjos e caminhavam com os homens ao meio-dia, quando os profetas estavam vivos e de boa saúde, e nos sobrevém o desejo de que tivéssemos o mesmo acesso ao conhecimento da vontade de Deus.

Por outro lado, o cristão imaturo frequentemente lança mão de expedientes e de manobras de feitura humana, tais como atirar para o ar uma moeda ou tirar a sorte com papelinhos ou desenvolver alguma elaborada fórmula repetitiva para seguir, a fim de tornar conhecida a Sua vontade.

A orientação recebida de tais métodos pode vir do acaso, ou mesmo do próprio diabo. Mesmo o ateísta poderia empregar moedas e papelinhos numa tentativa para chegar a alguma decisão.

Por outro lado, o cristão intelectual conclui que Deus nos deu toda a orientação que pretendia dar quando nos criou com mente que pode pensar e raciocinar. Os saduceus dos dias de Cristo eram vítimas desta filosofia e concluíram que depois de trazer o homem à existência, Deus o abandonou aos seus próprios caprichos. Acreditavam que o método pelo qual a humanidade poderia conhecer a vontade de Deus para sua vida era o simples processo de cogitar e tomar uma decisão arbitrária. Mais uma vez, porém, se a lógica e a razão continham todo o método de Deus de comunicar a Sua vontade, os ateus e infiéis poderiam, tanto quanto o cristão, ter a certeza de acertar na escolha, e a orientação tornar-se-ia uma questão de Q.I. [quociente de inteligência], em vez de discernimento espiritual.”

Você disse: “Ficaram algumas coisas em dúvida na minha cabeça, tipo assim, se Deus já sabia que o homem iria pecar e Jesus já tinha sido escolhido pra morrer por nós por que Ele não impediu isso sabendo que outras pessoas seriam prejudicadas?

Quando minha filhinha tinha 5 anos vivemos uma experiência bem interessante juntas. Estávamos na cozinha, eu acabara de colocar o arroz no fogo quando ela, sem nada dizer, se aproximou do fogão e dirigiu-se à panela para mexer o arroz com a colher. Fiquei observando, mas, antes que ela colocasse a colher na panela chamei sua atenção e disse que era perigoso, ela era pequena e com certeza se queimaria. Alertei para que ela não me desobedecesse. Disse que iria tomar banho, mas que ela não deveria me desobedecer.

Eu tinha certeza absoluta que ela iria me desobedecer. Eu a conhecia muito bem. Conhecia muito bem sua impulsividade! Eu poderia, por isso, tê-la levado comigo para o banheiro e a trancado comigo enquanto tomava meu banho. Mas, ela precisava ser livre para poder aprender. Então, mais uma vez fiz advertências.

Não durou muito e escutei um grito... ela havia se queimado. Corri para a cozinha e ela simplesmente me olhou e disse "você tinha razão, dói muito".

Foi perigoso o que fiz? Foi. Ao dar-lhe a liberdade dei juntamente a possibilidade do risco do acidente. Ela aprendeu quanto ao fogão, mas ainda é bastante impulsiva. Nós somos todos bastante impulsivos. Deus é que é muito misericordioso!

Penso que é mais ou menos isto que acontece quanto ao não impedimento de Deus para que o homem tome suas decisões. Somos moralmente livres e isso requer a liberdade para agir, decidir, escolher. Como aprenderíamos a viver na plenitude do espírito se Deus nos privasse de tal liberdade?

A fé inclui-se neste processo quando em nossas quedas podemos guardar a esperança de que apesar de nós mesmos e nossas decisões Ele é Deus, Soberano em Sua vontade e que por misericórdia e bondade nos concederá a vitória. Não seremos jamais considerados cristãos ou filhos de Deus somente porque estamos frequentando uma igreja. Pelo menos não aos olhos de Deus. Sabe aquele provérbio que diz que “passar tempo num estacionamento não nos transforma em um carro”? Pois, então, é por ai.

Precisamos de Deus para chegar lá. Sem Ele não conseguiremos. É confiar ou não confiar em Sua direção. E isto implica até naquilo que não posso compreender racionalmente. Digo isto embora não creia que a fé seja algo irracional.

Eu creio incondicionalmente no Deus que diz a um morto “sai para fora!” e este ressuscita, que diz para um cego “queres ficar curado” e o cura, que diz a um deficiente físico “levanta, toma tua cama e anda”, e ele sai andando e ainda leva a própria cama!

Um Deus que fala com o mar e suas águas bravias se acalmam. Um Deus que apesar de toda Sua dimensão e complexidade doa-Se a Si mesmo para completar em nós o que nos falta.


Nada, simplesmente nada Lhe é impossível! Até mesmo o errar. Então, não tenho porque duvidar de Suas decisões. É crer e confiar. Mesmo que o que Ele esteja decidindo seja o contrário do que penso ser o melhor. Veja essa historinha...














Deus nos permite as adversidades para que cresçamos e nos preparemos. Para que o espírito vença e a carne seja mortificada.

Converse com Deus, relacione-se com Ele. Sua vontade tem que ser soberana na sua vida. Submeter a sua a Dele é reconhecê-LO como Senhor.


Ruth Alencar


parte 1 

.  parte 2


Comentários

  1. Sejam bem vindos!



    Melhor visualização do blog no Google Chrome e Firefox!



    Em alguns navegadores poderá ocorrer a não visualização de comentários postados ou poderá ocorrer a visualização de comentários sobrepostos aos posts recomendados: "Poderá também gostar de:".


    Boa leitura a todos!

    ResponderExcluir
  2. Não se acanhe Liu ou Elias (risos)

    Pergunte e ai estudaremos juntos... gosto disso. Muito mesmo!

    um abraço

    ResponderExcluir
  3. Ruth,

    Pensei: Que pena da Isabelle!

    Mas, vc teve que ensiná-la, e se não fosse assim ela não conheceira de fato o perigo.

    ResponderExcluir
  4. É... experimentar a dor foi uma decisão dela.

    Ela poderia ter simplesmente confiado em meus conselhos. A dor não era necessária.

    É claro que eu não a deixei tão exposta assim a ponto de correr grande risco. Dificultei para ela. A panela não estava tão facilmente à sua disposição. Ela teve que ultrapassar fronteiras.

    O fato é que ela decidiu ir além e foi, a despeito dos conselhos e barreiras.

    Até hoje se você perguntar ela vai lhe falar que se lembra da história. Parece que a dor tem uma metodologia muito eficaz no aprendizado.

    Conosco é a mesma coisa Bri.não agimos tão diferente assim!

    ResponderExcluir
  5. Verdade...

    E mesmo assim, as vezes, voltamos a cometer os mesmos erros...

    ResponderExcluir
  6. Olá, consegui ler com mais tempo, então entendi o teu ponto de vista, e é como o primeiro video fala, não tem resposta, a resposta esta na fé, eu me pergunto sempre por que Lucifer foi pecar no céu...misericordia, se pensar muito fico doido, por que Adão e Eva vacilaram.....não tem respostas...a resposta esta em contra partida as maravilhas que Deus faz a cada dia em nossa vida..e principalmente a fé...só pela fé mesmo, por que respostas não consigo encontrar.

    Muito bom o texto Ruth, parabéns a vc e a Brigida por esta iniciativa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13