Flores no Túmulo




"Um homem estava colocando flores no túmulo de um parente quando viu um chinês depositando um prato de arroz na lápide ao lado.

Ele se vira para o chinês e pergunta:

- Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?

E o chinês responde:

- Sim e geralmente na mesma hora que o seu vem cheirar as flores!”

Esta pequena história me levou a algumas reflexões:

Que princípio extraordinário há na tolerância. Como é importante respeitar as opções do outro em qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas têm uma história de vida diferente, são diferentes, agem diferente e pensam diferente. Não devemos julgar o outro baseados em nossos critérios particulares de julgamento. A tolerância clama pela compreensão.

Meus pensamentos tomaram vôo à medida que lia a curtinha história trazendo–me à lembrança um debate ocorrido em uma comunidade cristã. Foi perguntado se era pecado levar flores para o túmulo de um ente querido, haja vista a nossa crença de que a morte é um sono. Se a pessoa não tem consciência do que se passa debaixo do sol, por que lhe homenagear com flores?

A morte é algo muito cruel principalmente para os que ficam com a dor da saudade. Levar flores para alguém que não existe mais só encontra explicação nos sentimentos de quem oferta. E quem pode ser juiz sobre os sentimentos de saudade mais íntimos de alguém?

Penso que quando alguém leva flores a um túmulo está dizendo, acima de tudo para si mesmo, que aquela pessoa que se foi continua sendo muito importante aos seus olhos e que ela deixou saudade.







Um dia a gente aprende...

 "(...) aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume Um dia a gente aprende... (

"(...) aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo a gente aprende que o sol queima se ficarmos expostos por muito tempo. (...) Aprende que não importa o quanto nos importemos algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitamos que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-nos de vez em quando e precisaremos perdoá-la, por isso.

(...) Descobrimos que as pessoas com quem mais nos importamos na vida são tomadas muito depressa de nós, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. (...) Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. (...)"

                                                                                       (William Shakespeare)


São estas as flores que precisam ser cultivadas em nosso viver e em nosso coração.

Só é realmente capaz de entender este gesto quem conhece a dor da saudade. Eu conheço essa dor, há quase três anos perdi a minha mãe. Mamãe era o tipo do ser humano que não precisava está em cena para ser. Foi alguém que viveu o sentido pleno da palavra “ser cristão”. Amou incondicionalmente, sofreu sem murmurar, foi capaz de alegrar-se completamente no pouco e no muito. Ela se encantava com os Ipês, amava as flores... as amarelas eram as suas preferidas.

Durante os últimos 08 anos de sua existência tive o prazer de vê-la encantar-se com as flores, grandes e pequenas. Enchia o carro com elas, muitas vezes ocupavam até mesmo o seu colo. E viajava contente... rodeada por seus Brincos de Princesa, Papoulas, Rosas... Encantava-se com o pequeno Beija-Flor que todos os dias vinha ao seu jardim particular para suas flores beijar.

Não, não acho nada demais que alguém leve flores, arroz, música para enfeitar a memória dos que amaram.

Este é o túmulo de mamãe...






Não, não levo flores, mas compreendo aqueles que as levam. Sei que mamãe repousa o sono dos justos e que seu nome descansa na memória de Deus. Um dia Jesus vai despertá-la... Sem nenhuma de suas dores. E mamãe ganhará um jardim com flores que não murcharão jamais. Haverá pássaros de todos os tipos e ela também será beijada por eles... Pois neste jardim não haverá mais medo.

Por enquanto mamãe não tem consciência de nada mais que se passa debaixo do sol. Mas, ela ressuscitará e eu a verei novamente, passearemos por este jardim por toda a eternidade e desta vez as flores não serão as flores que compramos, mas as que Deus nos presenteará.




Ofereço a todos vocês esse "bouquet" de melodia espiritual.





Tradução:

Estes São Aqueles

Os oceanos devolveram os mortos
Que estavam nele
Os sepulcros abertos
Libertaram seus cativos
E aqueles que estão vagando, a Terra se ergue para recebê-los
Semente de Abraão como a areia do mar
Coro
Estes são aqueles
Que vieram da grande tribulação
Eles lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro
Eles passaram por muito sofrimento e agora se alegram
Eles foram redimidos pelo sangue do Cordeiro
E como um forte e poderoso exército
Suas vozes estão soando
Oh grande nuvem de testemunhas
Eles cantam a canção da liberdade
Enquanto eles entram no país
Construído por seus próprios pais
A terra prometida
Que eles procuraram por... tanto tempo
E todos os estrangeiros
E todos os peregrinos
Não serão mais estrangeiros
Todos os cansados viajantes
Não viajarão mais
A mesa está posta para a grande celebração
E uma bandeira de boas vindas
Tremula acima dos portões

(Coro)







Ruth Alencar



Comentários

  1. Tolerância, amor, amizade, humildade, fraternidade, são alguns princípios básicos do cristianismo.

    Belíssimo texto!

    ResponderExcluir
  2. Num mundo como o nosso os valores citados pela Brígida sãoo de máxima utilidade.

    Ótima reflexão para um final de ano.

    De um modo pessimista, menos um ano nas nossas breves vidas....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 29 de dezembro de 2010 22:47
      Evanildo

      este ainda não é o nosso texto reflexão para o final do ano...

      interessante, muito interessante, pois lendo o que vc disse parece até que conhece o texto que já está pronto, mas que será postado apenas amanhã... aguarde.

      Adeus Ano Velho ou Feliz Ano Novo? Este é o título.

      grande abraço

      Excluir
  3. Ruth, que maravilhosa promessa a ressurreição dos filhos de Deus !Só Ele pode fazer isso.
    Estou ansiosa por esse dia!Iremos rever nossos queridos,não haverá mais dor nem tristeza...veremos a Jesus como Ele é.
    Vale a pena acreditar ,pois é fiel Aquele que prometeu.
    Seus textos são bons demais! Deus te conceda sabedoria cada vez mais.
    Final de ano...muita coisa pra agradecer.
    De um modo otimista estamos mais perto da volta de nosso grande Mestre, o Rei dos reis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 30 de dezembro de 2010 23:34
      Então Marta... temos alguém muito especial para rever não é?

      São tantas coisas maravilhosas que o retorno de Jesus nos trará. Sim minha irmã, "de um modo otimista estamos mais perto da volta de nosso grande Mestre, o Rei dos reis."

      Eu penso como vc... não dá para saber tudo o que sabemos das promessas que o Senhor deixou reveladas em Sua Palavra e ter pensamentos negativos.

      Tudo isto, esta vida que levamos hj, esse mundo, nossos problemas e inquietações... tudo isto fará parte de um passado quando nosso Senhor Jesus voltar e nos oferecer o Seu Amanhã.

      Guardemos pois a nossa fé e perseveremos na esperança de tudo quanto Ele nos prometeu.

      Excluir
  4. .
    .

    Ruth

    Mais uma vez, parabéns pela linda mensagem!

    .
    .

    Este poema destaca o que somos “Sem Cristo, sem amor, sem fé, sem crer”.
    Feliz o homem que alcança o entendimento de que a crença que nos leva à fé e ao amor, e nos dá a certeza do reencontro para uma existência glorificada e eterna, só tem uma explicação: Cristo.


    .
    .

    Fim de ano


    Alegrias, muitos sonhos, realidades,
    Fatos presentes, lembranças, saudades!
    Das nossas esperanças iniciais,
    Finalmente, só bem poucas são reais.

    Novos projetos são conjecturados,
    Problemas, desacertos, descartados.
    As palavras de ordem são: otimismo,
    Muito trabalho, pés no chão, realismo.

    É sempre assim a todo final de ano:
    Fim ou recomeço pra cada plano,
    Esperanças mortas ou renovadas.

    Tentando, nós mesmos, tudo fazer,
    Sem Cristo, sem amor, sem fé, sem crer,
    Somos perfil de obras inacabadas.

    .
    .

    Feliz Ano Novo

    Pedro

    .
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 31 de dezembro de 2010 12:42
      Então, Pedro.

      Não largo por nada a mão do meu Senhor. Afinal, se as vezes a coisa se complica mesmo com Sua presença... fica insuportável sem Ele.

      Tenho pedido ao Senhor para me dar a experiência espiritual de Paulo. Quero aprender com todo o meu entendimento Sua Graça... que tudo é realmente por Sua graça. E Ele tem me respondido.

      Quero aprender a estar contente na fartura e no vazio... e Ele misericordiosamente vem me ensinando através dos Seus nãos e dos Seus sins.

      Sim, feliz novo caminhar para vc também. Que Jesus seja o centro e o Senhor de seus planos... é a única maneira de encontrar a paz, a vitória... apesar das frustrações, dificuldades e dores que provavelmente também virão.

      abraço

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2