O Deus de Paz (3º Dia)



Não se esqueça de continuar seguindo a “receita” do pastor Allen da leitura de 5 vezes ao dia do Salmo 23 que falamos na Introdução

“Refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça, por amor de seu nome."




O bom pastor nunca leva seu rebanho para um lugar onde ele não estará em segurança. Ele também nunca levará seu rebanho para um lugar de onde ele não possa tirá-lo para dar-lhe mais segurança. Há caminhos perigosos, largos e apertados entre as rochas!

“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” (João 10: 11-16)

Podemos dar graças a Deus porque o nosso Bom Pastor não nos conduz nunca às armadilhas mortais. Ele nos guia pelas veredas da justiça por causa da Sua reputação, do Seu nome. Ele É o Bom Pastor.



Infelizmente, a maioria das pessoas não tem nenhum interesse em seguir a Jesus. Não querem ser conduzidos aos caminhos da justiça. Preferem andar em seus próprios caminhos, embora tenham sido advertidas que o fim deles são caminhos de dificuldades e até mesmo de morte. Quantos cristãos afirmam que são “guiados pelo Senhor”, cantam hinos que afirmam isso, mas são poucos os que têm vontade de seguir de acordo com a vontade do Senhor. Muitos cristãos creem no Cristo Salvador, mas deixam o Cristo Senhor de lado.

“Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” (I João 2:4)

“Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade  Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.” (Mateus 7: 22-25)

Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida;” (João 14:6) 

Jesus é o Bom Pastor. Só conseguimos andar de maneira segura, em veredas de justiça se o Bom Pastor nos guiar. Somente quando seguimos a orientação de Deus deixadas em Sua Palavra nossos passos pisarão a estrada que conduz à vida eterna. E Jesus Se identifica em Sua Palavra, como o Caminho. Não temos alternativa.

Só encontraremos refrigério para nossos sentimentos e emoções na verdade da paz. E, apesar do mundo dizer o contrário, a paz só é experimentada quando se está na verdade. E a verdade não é relativa. A verdade é um SER, é uma Pessoa. A verdade é Jesus. A alma encontra refrigério nos pastos do Senhor.

Uma palavra, um louvor e especialmente a Bíblia e a oração, são recursos que o Bom Pastor põe à nossa disposição para refrigério e restauração do espírito desanimado e cansado, muitas vezes por carregar um corpo doloroso e uma vida construída em cima de decisões equivocadas.

O pastor Allen em seu livro conta que em certa ocasião recebeu “uma carta que, entre outras coisas, no final dizia assim: 'A vida acabou para mim durante aqueles anos... através de um processo vagaroso. Levei muitos anos para construir minha fé, e agora ela morreu totalmente. Sou como uma casca vazia. Talvez a própria casca... já tenha se acabado também.’

Gostaria de falar ao autor desta carta a respeito do significado das palavras de Davi no Salmo 23: “Refrigera-me a alma.” Ele se lembra de quando o rebanho saía a pastar, cada ovelha tinha um lugar determinado na fila, e durante todo o dia ela conservava a mesma posição.

Algumas vezes, porém, no decorrer do dia, elas deixavam seu lugar e se aproximavam do pastor. Este colocava a mão no focinho ou na orelha do animal, coçava-o de leve e sussurrava alguma coisa ao seu ouvido. Depois, reconfortada e mais animada, ela voltava ao seu lugar.

Davi se lembra de como ele próprio estivera perto de Deus antes, de como Deus o protegera quando saíra para enfrentar o gigante Golias, e de como ele o guiara ao longo de sua caminhada para o sucesso. Depois disso, Davi passara a estar sempre muito ocupado, tornara-se mais capaz de cuidar de si mesmo, e não sentia necessidade de uma dependência direta de Deus.

Davi distanciou-se de Deus. Depois pecou e isto o fez infeliz. O peso da culpa tornou-se insuportável. Então arrependeu-se. Deus o ouviu, perdoou e restaurou sua alma. Ele tornou-se um novo homem.

A mente humana é muito semelhante ao corpo. Ela pode sofrer lesões. O arrependimento é uma ferida da alma. É uma ferida profunda, mas limpa, isenta de infecção; uma ferida que cicatriza rapidamente, a não ser que penetre nela algum corpo estranho, coisas como amargura, autopiedade ou ressentimento.

O pecado é outro ferimento.

Quando eu quebro algum dos meus princípios de vida, estou ferindo minha alma; esta é uma ferida infectada, uma ferida que o tempo não cicatriza. O senso de culpa pode, gradualmente, destruir uma vida e torná-la uma casca vazia, sem conteúdo. E só existe um médico que pode curá-la. O Salmo 51 é a oração confessional de Davi.

Esta frase: “Refrigera-me a alma” pode ter ainda um outro significado. A versão inglesa de Moffat diz o seguinte: “Ele me restaura a vida.” O espírito humano às vezes perde a vivacidade, como se esta fosse uma corda de relógio, que se acaba.

Nós perdemos nosso vigor e incentivo espiritual. Ficamos menos dispostos a lutar contra as dificuldades. Deixamos de atuar como verdadeiros soldados da fé.

A vida consegue roubar a vitalidade das pessoas, como se retira o suco de uma fruta, deixando apenas bagaço. A pessoa fica só com a casca. Não sente mais entusiasmo por nada. O começo de um novo dia não lhe dá nenhum ânimo ou novo alento.

A Bíblia diz que Deus criou o homem e “lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2:7). Deus pode querer soprar nova vida naquele que está perdido.


Só Deus pode fazer isto.

Falando a um grupo de médicos em Atlanta, nos Estados Unidos, o Dr. R. B. Robins fez a seguinte declaração: “O divã de um psiquiatra nunca pode tomar o lugar da Igreja na função de resolver os problemas de uma sociedade frustrada.”

Bom, não estou incentivando ninguém a negligenciar seu tratamento médico. Ao contrário, penso que há situações em que a ajuda de um profissional é imprescindível. Porém, seja qual for a circunstância envolva Deusrespire Deus. Perceba-O ao seu lado e não no distante Céu.


A Bíblia diz que os caminhos da vida muitas vezes nos enganam e nos levam a encruzilhadas perigosas: “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte.” (Provérbios 14:12 e 16:25)

E o pastor Allen continua:  “Há uma inscrição em um monumento da Flórida que diz o seguinte: “Venho aqui para encontrar-me a mim mesmo. É tão fácil a gente se perder no mundo!” Isto e verdade.

Muitas vezes nós chegamos às encruzilhadas da vida e não sabemos que direção seguir. Há muitas decisões a serem tomadas, e, às vezes, é muito difícil chegar-se a uma delas. É então que nos sentimos desorientados, perdidos, e precisamos de orientação. Nesse Salmo 23, Davi diz confiantemente: “Guia-me pelas veredas da justiça” (...).

Com certeza, Davi está se recordando de seus dias de pastor. Ele sabia que as ovelhas não tinham muito senso de direção. Um cão, um gato ou um cavalo, quando se extraviam, sabem perfeitamente achar o caminho de volta. Eles parecem possuir uma bússola interior. Com a ovelha isto não acontece.

A ovelha não possui boa visão. Não enxerga mais que oito ou dez metros à sua frente. As campinas da Palestina eram cortadas por trilhas estreitas, pelas quais os pastores levavam o rebanho para o pasto.

Algumas destas trilhas terminavam à beira de precipícios, nos quais a ovelha desavisada poderia cair e morrer. Outras iam dar em becos sem saída. Havia, outras, porém, que levavam a pastos verdejantes e às águas tranquilas. Algumas vezes, o pastor as guiava através de passagens íngremes e perigosas, mas os caminhos por que passavam sempre iam dar em um bom lugar.

As ovelhas estavam sempre dispostas a deixar a escolha deste lugar aos cuidados do pastor. Era assim, como no cântico:

Senhor, quero colocar a minha mão na tua,
Sem murmurar, sem reclamar.
Contente estar, qualquer que seja minha sorte
Contanto que seja meu Deus quem me guie.

Talvez Davi estivesse pensando em seus antepassados, marchando por um deserto sem trilhas certas, em sua caminhada do Egito para a terra prometida. Deus enviou uma coluna de fogo para guiá-los à noite, e uma nuvem, de dia. Foi seguindo-a que os israelitas chegaram à terra pela qual ansiavam.

Para algumas pessoas, essas “veredas da justiça”, às vezes, vão significar dificuldades. Ouvi a história de um rapazinho inglês que resolveu engajar-se no exército britânico, para servir na Índia.

Perguntado sobre a razão desta escolha, ele respondeu: “Soube que no exército indiano eles pagam bem, e a gente trabalha pouco. Depois de algum tempo de serviço, eles aumentam o salário, e diminuem o serviço. Quando a gente se aposenta, eles pagam bem, para não se fazer nada.”

Embora Deus não nos dê um mar de rosas, neste campo de batalha, nem coloque um tapete em nossa pista de corridas; embora ele não nos prometa uma vida sem lutas, ele nos garante forças para a caminhada e a sua presença constante.

Notemos que o salmo diz: “Guia-me.” Ele não nos empurra por este caminho, ele vai à frente, subindo a mesma ladeira que subimos — o homem não se encontra sozinho. Quando vamos pela vida, dando um passo de cada vez, nós andamos com ele nas “veredas justas”.

O grande sábio Salomão afirmou: “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Provérbios 3:6). Isto é verdade. Todos que, sinceramente, procuram fazer a vontade de Deus, qualquer que seja ela, conhecerão a força de orientação da sabedoria eterna. Ele o levará à sua terra prometida.”

Seguindo os passos do Mestre não nos perderemos jamais. Seremos guiados por Alguém que é Onisciente. Não haverá erro, poderá haver encruzilhadas, bifurcações, túneis a descer e montanhas a subir... não importa! Ele sabe o caminho. Ele é o Caminho.

Continuaremos amanhã...




Ruth Alencar

Comentários

  1. Sejam bem vindos!



    Melhor visualização do blog no Google Chrome e Firefox!



    Em alguns navegadores poderá ocorrer a não visualização de comentários postados ou poderá ocorrer a visualização de comentários sobrepostos aos posts recomendados: "Poderá também gostar de:".


    Boa leitura a todos!

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez reforço que não estou incentivando ninguém a negligenciar seu tratamento médico.

    Ao contrário, penso que há situações em que a ajuda de um profissional é imprescindível. Digo isto por conhecimento de causa. Tenho pessoas muito próximas a mim com problemas sérios de depressão e sei o quanto a questão é séria e complexa.

    O cristão tem e pode sentir-se deprimido e triste. Isto não é pecado.

    Porém, seja qual for a circunstância envolva Deus, respire Deus. Perceba-O ao seu lado e não no distante Céu.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2