O Deus de Paz (4º Dia)

Oferecemos este texto em homenagem aos nossos leitores, amigos e irmãos em Cristo, ovelhas como nós do grande rebanho do Bom Pastor. Não esqueça de continuar seguindo a “receita” do pastor Allen da leitura de 5 vezes ao dia do Salmo 23 que falamos na Introdução.

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo; o Teu bordão e o Teu cajado me consolam."

Você se lembra do Vale da morte que falamos no texto  Pedras que Clamam



Hoje vou lhe falar de um outro Vale da Morte. É o Vale da Morte da Califórnia: um desfiladeiro estreito. A luz solar só atinge a sua base ao meio dia quando se encontra diretamente acima do vale. No restante do dia, o fundo desse vale permanece na sombra. Esse vale é tão profundo e íngreme que a maior parte do tempo está em trevas.

Há de verdade um Vale da Sombra da Morte em Israel, no caminho de Jericó. Este é o Vale do Salmo 23. Davi o compara com a morte. Em hebraico a expressão que ele usou quando mencionou este vale significa “Vale da Escuridão Profunda”.

Os pastores de ovelhas da região vivem essa experiência. Isto acontece sempre no fim do verão. Mas, por que levá-las para o vale se há tanto perigo? Acontece que é no topo da montanha que se encontra o melhor capim verde e a água mais pura. E para chegar ao topo é preciso passar pelo vale.

Então, se eu quiser me beneficiar das bênçãos do topo da montanha tenho que passar pelos desafios dos precipícios e dos vales.




Vale da Sombra da Morte em Israel

Chega a ser assustador e magnífico ao mesmo tempo! É bem provável que Davi tenha passado em seus tempos de juventude como pastor de ovelhas por esse vale. 

O pastor Allen assim o descreve: “é um vale que existe na Palestina, e vai de Jerusalém ao mar Morto. É uma trilha estreita e perigosa que corta as montanhas. Sendo um caminho árduo, é muito fácil uma ovelha precipitar-se ribanceira abaixo e morrer.”

E ele diz em seu livro: “É certo que a expressão “vale da sombra da morte” não significa apenas morte física. Ela já foi traduzida como “o corredor sombrio”, e compreende todas as experiências duras e terríveis da vida.” (...) “E para nós há os momentos sombrios da vida, os quais todos temos que atravessar. A morte é um deles. Desilusões são outros destes momentos. A solidão é outro. E há vários outros ainda.

Já conversei com muitas pessoas que estavam atravessando o “vale das sombras”, e disse-lhes que procurassem um lugar e ficassem a sós com Deus. Disse-lhes que parassem um pouco de lutar; que esquecessem por instantes das circunstâncias adversas da vida; que impedissem a mente de se preocupar com o amanhã, com o ano seguinte, com o futuro.

Pare um pouco. Fique quieto, em silêncio, e, mesmo que esteja dentro deste “corredor sombrio”, você sentirá uma presença estranha e maravilhosa, e a sentirá mais fortemente do que antes. [...] Onde quer que a trilha da vida me leve, eu não temerei nada, disse Davi. E milhares e milhares de outras pessoas também já se libertaram desse medo. Como? “Tu estás comigo.” Há um grande poder nesta presença.”




“(...) A ovelha é um animal muito vulnerável. Ela não tem meios próprios de defesa. É presa fácil para qualquer animal feroz. Por esta razão, a ovelha é temerosa.

O pastor sempre carrega consigo um bastão pesado e duro, de cerca de sessenta centímetros a um metro de comprimento. Quando Davi escreveu este salmo, provavelmente estava se lembrando da necessidade que ele próprio tivera de usar aquela vara. Em 1 Samuel 17, ele conta a Saul como matara um leão e um urso para proteger seu rebanho.

Além da vara, o pastor tem também um cajado, de quase três metros. A ponta deste cajado é recurvada, formando um gancho. Muitas trilhas da Palestina vão margeando barrancos íngremes. Era muito fácil a ovelha, às vezes, desequilibrar-se e escorregar para o abismo, ficando suspensa apenas por uma saliência estreita.

O pastor então estendia o cajado; encaixava-o no peito da ovelha, e a içava para cima, de volta ao caminho certo. A ovelha sente-se instintivamente protegida pelo cajado e pela vara que o pastor carrega.”






O cajado e a vara também protegiam contra os arbustos ou espinheiros. Serviam também para disciplinar. Há ovelhas que se tornavam rebeldes. Desobedeciam e se aproximavam de ervas venenosas. Neste momento a vara servia para livrá-la do perigo.

Serviam também para guiar. Com a vara o pastor tocava as ovelhas, guiando-as em caminhos seguros. O Espírito Santo pode muito bem ser aqui comparado, afinal é Ele que nos convence do pecado.

“Ora, aquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme  o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória...” (Efésios 3:20)

O pastor Allen continua: “... encontramos grande consolo em pensar no poder de Deus. É lógico que não penso em Deus com um abrigo subterrâneo ou um seguro contra acidentes. Entretanto, posso dizer como o poeta cristão:

Deus é minha salvação: a quem temerei?
Em trevas, em tentação, ele é a minha luz e o meu socorro
Embora as hostes malignas se acampem ao meu redor
Estou firme na batalha
Nenhum temor pode me abalar, Com Deus à minha direita.

“A tua vara e o teu cajado me consolam” — esta frase dissipa em meu coração toda a ansiedade e o temor do futuro.”

A morte é uma das realidades mais duras da vida. Há situações em que só Deus pode confortar o coração aflito. Só Ele pode dar o consolo. Tenho experimentado essa certeza na dor de meu pai causada pela ausência de mamãe.

II Coríntios 1:3-4 podemos ler: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo.”

Quando estamos conscientes da presença e autoridade de Deus em nossas vidas, não precisamos ter medo da morte: “Não temerei mal algum, porque tu estás comigo...”. Exatamente porque Ele nos prometeu: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Isaías 43:2).

Ao escrever o salmo 23 Davi não fez referência apenas ao momento da morte. Ele referia-se também a angustia pelas ameaças que sentia devido as constantes perseguições do rei Saul.

Temos passado por dores, tristezas, decepções, angústias e traições que ferem o nosso coração? Haverá sempre vales na vida de todos nós. O Bom Pastor nos advertiu que "no mundo tereis aflições, mas, tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16:33).

E Isaías assim se expressou: “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em Ti; porque ele confia em Ti” (Isaías 26:3).

Mas, se é o risco da morte que você está enfrentando agora, não tenha medo. O Grande Eu Sou garantiu que a morte não é nenhum segredo para Ele. Na cruz Ele a venceu e esta mesma vitória nos é oferecida Nele e por Ele.

Por isso, sem Jesus, sem vida eterna.

Continuaremos amanhã...



Ruth Alencar

Comentários

  1. Sejam bem vindos!



    Melhor visualização do blog no Google Chrome e Firefox!



    Em alguns navegadores poderá ocorrer a não visualização de comentários postados ou poderá ocorrer a visualização de comentários sobrepostos aos posts recomendados: "Poderá também gostar de:".


    Boa leitura a todos!

    ResponderExcluir
  2. Em especial aos meus amigos e irmãos adventistas, presbiterianos, assembleianos, batistas e católicos.

    Com carinho especial aos meus amigos e irmãos ateus (risos) e espiritas.

    paz a todos.

    ResponderExcluir
  3. .
    .

    É Ruth,agora o problema é o "vale" da endometriose (estágio 4, numa escala de 1 a 5) afligindo a minha "Perola" de número dois. Mas, o "vale" por onde passei fez o bem de convencer-me de que Deus quer o melhor para cada um dos seus filhos.
    É só a gente deixar que Ele realize o Seu querer!

    O efeito da medicação "orativa" é extraordinário! Estamos muito confiantes de que tudo vai findar bem.

    O Senhor é o nosso pastor.

    Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, vc tem a experiência da súplica e da resposta divina em sua própria vida. Mantenha-se firme, sobretudo na submissão à vontade divina.

      Nossa mente é o centro da nossa vontade, precisamos colocá-la em submissão aos cuidados do nosso Senhor... não existe outra alternativa para encontrarmos a paz.

      Não pense que não tenho tb minhas lutas. Estou dizendo para vc, mas estou olhando para mim mesma ... é preciso que eu escute minhas próprias palavras e leia minhas pr´prias letras tb. Semanas duras tenho atravessado... mas estou em paz. Afinal, de outra forma tudo seria uma grande hipocrisia.

      Sempre tive vontade de perguntar por sua pérola nº 2. E hj vc me dá notícias...

      O "vale" por onde vc passou fez de vc mais sábio para consolá-la. Vc poderá ser mais do que pai para ela, entende.

      Nosso Senhor pode tudo pq é um Homem experimentado na dor, Ele entende os nossos gemidos. Entende as nossas súplicas, lágrimas, fraquezas, palavras... Ele sabe como nos consolar, a cada um de nós. Acheguem-se a Ele e descansem. Não haverá melhor lugar para achar consolo. Eu sei do que estou falando... estou neste lugar.

      "O efeito da medicação "orativa" é extraordinário! Estamos muito confiantes de que tudo vai findar bem. O Senhor é o nosso pastor." (2)

      Oremos uns pelos outros e seremos mais que vencedores.

      Excluir
  4. Registro aqui, uma das fiéis traduções do hebraico: "Ainda que eu caminhe por um vale tenebroso, nenhum mal temerei, pois estás junto a mim"...

    Quero me reportar a conhecida tradução: "Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, pois tu estás comigo"... O salmista tem a convicção do Senhor em sua vida, mesmo que tenha que enfrentar a morte!

    ** Muitas vezes usamos as passagens para contexto, o que é válido, assim como também, muitas vezes, conhecemos a letra e falta-nos a experiência!

    Quero compartilhar com vocês, dois momentos especiais em que o v.4 esteve presente em minha vida:

    - A primeira foi diante de minha mãe; quando orei o Salmo e falei "vale da sombra da morte", o meu coração apertou porque eu a assistia atravessar o "vale", mas com voz firme continuei: “não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo”...

    - A segunda foi diante de minha cunhada; quando eu a abracei e disse: “você sabe que chegou a hora, não é? Com voz fraca ela respondeu-me: SIM! Então eu falei: Não temas, pois do outro lado do “vale”, o Senhor está te esperando. Não permita que nenhum outro nome venha a tua mente, a não ser o nome de Jesus. Agarre-se a Ele e Ele te dará forças para atravessar o “vale”!

    Sabemos que enquanto o grande dia não chega, o “vale” continua a existir, apesar de já estar vencido, pela ressurreição de Cristo.

    O “vale” é de “sombra” para os que atravessam COM cristo, mas é de “morte” para os que atravessam SEM cristo!

    ...E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte...e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. (Apocalipse 20:14 e 21:4).

    Lúcia Vasconcelos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia, interessante que este mesmo sentimento eu tive quando ela em meus braços segurei para as primeiras horas do atendimento médico. Ao ver o interesse frio do médico, as fortes dores sem nenhuma mácula de murmuração dela...

      Seu carinho ao olhar para o papai e a forma quando agarrou minha mão e disse: "Jesus não posso mais"...

      Senti uma certeza estranha de que aquela era a última das tantas e inúmeras vezes que eu a levaria para um médico humano. O espantoso consolo que ela transmitia em sua profunda dor jamais me esquecerei.

      Assim comojamais me esquecerei do sorriso que ela dava apesar de ter o corpo tremendo de agonia e dor.

      Mamãe conheceu a paz dos que dormem no Senhor. Conheceu o que era atravessar o vale da escuridão profunda em plena LUZ. Não tenho a menor dúvida quanto a isso. E é por saber o que eu sei que tenho a certeza absoluta que ela dorme na memória do Senhor e quando Seu dia de glória chegar Ele a chamará e ela ressuscitará para receber a coroade sua vitória.

      Valorosa mulher cristã foi nossa mãe... compreendo demais os seus sentimentos. E sei que o Senhor tem algo muito especial para vc, que também é uma mulher cristã muito especial.

      Que Deus lhe abençoe e fortaleça a sua fé hoje e até aquele maravilhoso dia.

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2