Fitness Mental - Neuroplasticidade


“Os neurônios são células características do sistema nervoso central que possuem a capacidade de estabelecer conexões entre si quando recebem estímulos advindos do ambiente externo ou do próprio organismo. Essas conexões são responsáveis por tudo o que somos. Por nossa personalidade, modo de agir, pela forma que nosso corpo vai adquirindo no transcorrer da vida. 

Em linhas gerais, o processo se resume no seguinte. Uma vez estimulados, os neurônios geram impulsos de natureza elétrica e liberam íons e substâncias químicas que lançadas nas sinapses (espaços vazios entre um neurônio e outro) estabelecem ligações entre eles. A cada novo estímulo, a rede de neurônios se recompõe e reorganiza, o que possibilita uma diversidade enorme de respostas. 

Plasticidade neuronal é o nome dado a essa capacidade que os neurônios têm de formar novas conexões a cada momento. Por isso, crianças que sofreram acidentes, às vezes gravíssimos, com perda de massa encefálica, déficits motores, visuais, de fala e audição, vão se recuperando gradativamente e podem chegar à idade adulta sem seqüelas, iguais às crianças que nenhum dano sofreram.” (Dr. Cláudio Guimarães dos Santos, Neurocientista da Universidade Federal de São Paulo, trabalha na reabilitação de pacientes com disfunções cognitivas.)


O que é neuroplasticidade?

“Por mais de quatro séculos foi comum pensar que nossos cérebros se desenvolviam somente durante a infância e depois se tornava inflexível ao longo da vida adulta, dando uma falsa sustentação ao velho ditado “não se pode ensinar truques novos a um cachorro velho”. Porém, pesquisadores continuam a provar que essa teoria defasada não está correta e fornecem provas de que o cérebro humano pode se alterar através de estímulo mental, ginástica cerebral e novos aprendizados.

Neuroplasticidade, ou plasticidade cerebral, é a capacidade de remapeamento das conexões das nossas células nervosas, o processo que nos ajuda a continuamente aprender. Ela se refere à maneira do nosso cérebro agir e reagir à medida que experimentamos uma mudança em nosso ambiente ou desenvolvemos uma habilidade.

Estima-se que as características neuroplásticas do nosso cérebro influenciam mais de 100 bilhões de nossas células nervosas ao longo da vida. Quando nós usamos nosso cérebro de formas novas, nós criamos novos caminhos para comunicação neural. Mesmo quando adultos o que nós aprendemos e ao que nos adaptamos ao longo da vida reorganiza nossos neurônios existentes. Portanto, a neuroplasticidade é o que nos permite aprender, memorizar e adaptar através da nossa experiência com o mundo a nossa volta.

Na famosa pesquisa da Dra. Joenna Driemeyer sobre os efeitos cognitivos no aprendizado de malabarismo, ela e sua equipe de pesquisadores concluíram que “a mudança qualitativa (como por exemplo, o aprendizado de uma nova tarefa) é mais crítica para o cérebro mudar sua estrutura do que o treinamento contínuo de uma tarefa já aprendida”. Ainda, descobertas recentes  em neuroplasticidade estão abrindo caminho para tratamentos de lesões e doenças neurológicas, algo que até recentemente era inexplorado por causa da falta de evidência sobre neuroplasticidade. 

A moral da estória é que é importante se dedicar a novas atividades. Exercitar seu cérebro é tão importante quanto exercitar seu corpo. Se você continuar a desenvolver sua reserva funcional  através de prática de exercícios mentais e um estilo de vida saudável, você tem mais chances de manter a plasticidade cerebral e sua habilidade de aprender, à medida que envelhece.”1



O ser humano tem que ser compreendido como um todo e em toda a sua complexidade racional e emocional. Como vimos nos textos acima precisamos cuidar da nossa mente. Procurar proporcionar ao nosso cérebro uma atividade positiva constante, sem nos esquecermos de cuidar do nosso emocional, afinal o equilíbrio vem da harmonia desses importantes lados do ser. Proteja o seu lado emocional e jamais se esqueça de cuidar da sua intelectualidade.



Tome tempo para meditar sobre o seu ser. Sobre você. Ame-se por inteiro. Não deixe que os anos se transformem em pesos ou em angústias, mas faça dos anos que vive verdadeiros celeiros de informações. Procure conhecer a verdade dos fatos. Leve a sério o pensamento que diz que não somos frutos do acaso, mas o resultado de um projeto de vida arquitetado por um Ser que em Sua essência é amor. Não se esqueça do lado espiritual. Se você decidiu ser uma pessoa que crê, fortaleça a sua fé na vida, em Deus. Viva com esperança. Ande por visão em não por vistas. Enxergue um amanhã de paz e de transformações profundas, apesar de um hoje complicado e desastrado, tão pleno de lágrimas, violência e dores. Você quer ter saúde mental? Pratique fitness mental. Exercite sua mente, sua lógica, desenvolva a arte de refletir. O conselho do Criador e fonte de toda a vida é: “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas. Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra.” (Isaías 1:16-19)

Eu vejo aqui a postura de um Deus que não manipula o querer do homem. Somos livres para decidirmos ser maus ou bons. Seu convite é: “arrazoemos”, pois é um culto racional que Lhe agrada e que pode nos proporcionar a paz verdadeira e a espiritualidade equilibrada.

“Porventura, o ouvido não submete à prova as palavras, como o paladar prova as comidas? Está a sabedoria com os idosos, e, na longevidade, o entendimento? Não! Com Deus está a sabedoria e a força; ele tem conselho e entendimento. O que ele deitar abaixo não se reedificará; lança na prisão, e ninguém a pode abrir. Se retém as águas, elas secam; se as larga, devastam a terra. Com ele está a força e a sabedoria; seu é o que erra e o que faz errar. Aos conselheiros, leva-os despojados do seu cargo e aos juízes faz desvairar. Dissolve a autoridade dos reis, e uma corda lhes cinge os lombos. Aos sacerdotes, leva-os despojados do seu cargo e aos poderosos transtorna. Aos eloqüentes ele tira a palavra e tira o entendimento aos anciãos. Lança desprezo sobre os príncipes e afrouxa o cinto dos fortes. [...] Multiplica as nações e as faz perecer; dispersa-as e de novo as congrega.” (Jó 12:11-25)

“Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento.

Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; é escudo para os que caminham na sinceridade, guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos seus santos. Então, entenderás justiça, juízo e eqüidade, todas as boas veredas. Porquanto a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será agradável à tua alma. O bom siso te guardará, e a inteligência te conservará; para te livrar do caminho do mal e do homem que diz coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas; que se alegram de fazer o mal, folgam com as perversidades dos maus, seguem veredas tortuosas [...]” (Provérbios 2:1-15)

“Filho meu, não te esqueças dos meus ensinos, e o teu coração guarde os meus mandamentos; porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz. Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço; escreve-as na tábua do teu coração e acharás graça e boa compreensão diante de Deus e dos homens. Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal; será isto saúde para o teu corpo e refrigério, para os teus ossos.” (Provérbios 3:1-8)

Viva com saúde plena. Saúde plena produz paz. A paz verdadeira. Aquela que nos ergue e nos mantém em pé, mesmo quando o chão nos falta. E saúde plena exige a perfeita harmonia no complexo sistema da vida: mente e corpo. Isto é o que compõe o homem em sua dimensão mais profunda, a espiritual.


Fontes:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13