Analisando atos 2:31 e Efésio 4:9


A vida somente por Jesus Cristo (parte 3)

Um de nossos leitores que é pastor disse:

“Muitas passagens bíblicas nos mostram que existe o estado intermediário da alma sim. [...] Em atos 2:31, Pedro separa explicitamente o corpo de JESUS de sua alma, outrossim, o hades da simples sepultura. [...]

Efésios 4:9 diz que JESUS desceu as regiões mais baixas da terra, se naquela época o sistema de enterro fosse como aqui do Brasil, seriam apenas sete palmos abaixo da terra. Todavia, mesmo os cadáveres na época de JESUS sendo sepultados numa gruta, o apóstolo Paulo ousa dizer que ele desceu as partes mais baixas da terra. Aqui ele está se referindo ao hades e não a mera sepultura. [...]”

Gostaria de começar esta reflexão com estas palavras do pastor Timm sobre Gênesis 35: 16-18:

“Partiram de Betel, e, havendo ainda pequena distância para chegar a Efrata, deu à luz Raquel um filho, cujo nascimento lhe foi a ela penoso. Em meio às dores do parto, disse-lhe a parteira: Não temas, pois ainda terás este filho. Ao sair-lhe a alma (porque morreu), deu-lhe o nome de Benoni; mas seu pai lhe chamou Benjamim." (Versão João F. Almeida Revista e Atualizada)

“Se os mortos permanecem em estado de inconsciência, como explicar que a ‘alma’ de Raquel saiu dela por ocasião de sua morte?

A palavra “alma”, empregada em Gênesis 35:18 por algumas versões da Bíblia (João Ferreira de Almeida, Bíblia de Jerusalém, Lutero [original], Reina-Valera, King James Version, Revised Standard Version, New American Standard Bible), é a tradução do termo hebraico nêfesh. Este termo aparece 755 vezes no Antigo Testamento e foi traduzido em outros textos, pela Versão Almeida Revista e Atualizada (2.ª edição), por exemplo, como:

“pessoa” (Gênesis 14:21; Números 5:6; etc.)

“ser” (Gênesis 1:20; 2:19; 9:10; etc.)

“alma” (Gênesis 2:7; Deuteronômio 10:22; etc.)

.e “vida” (Gênesis 9:4 e 5; 1Samuel 19:5; Salmo 31:13; etc.).

Existem várias razões que nos levam a crer que o termo nêfesh seria melhor traduzido em Gênesis 35:18 como “vida” do que como “alma”.

Sendo assim, este verso tem o seguinte sentido:

“Eles partiram de Betel, e quando ainda estavam a certa distância de Efrata, Raquel começou a dar à luz com grande dificuldade. E, enquanto sofria muito, tentando dar à luz, a parteira lhe disse: “Não tenha medo, pois você ainda terá outro menino. Já a ponto de sair-lhe a vida, quando estava morrendo, deu ao filho o nome de Benoni. Mas o pai deu-lhe o nome de Benjamim. (Nova Versão Internacional)

“Jacó e a sua família saíram de Betel; e, quando estavam chegando perto de Efrata, Raquel começou a sentir dores de parto. E o parto foi difícil. Quando as dores estavam no ponto mais forte, a parteira disse: - Não tenha medo; você vai ter outro filho homem. Porém ela estava morrendo. E, antes de dar o último suspiro, chamou o menino de Benoni. Mas o pai pôs nele o nome de Benjamim.” (Versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

Voltemos, então, à reflexão do pastor Timm:

“Em primeiro lugar, o próprio relato bíblico da Criação esclarece que o ser humano não possui uma alma, mas é uma “alma [nêfesh] vivente” (Gênesis 2:7). O mesmo termo (nêfesh) usado em Gênesis 2:7 para referir-se à totalidade do ser humano é empregado também paraesignar tanto os “seres [nêfesh] viventes” que povoam as águas (Gênesis 1:20) como os animais da terra e as aves do céu (Gênesis 2:19; 9:10). A despeito de assumir, por vezes, significados mais específicos (Deuteronômio 23:24; Provérbios 23:2; Eclesiastes 6:7; etc.), nêfesh jamais é usado para designar qualquer entidade que continue consciente depois de separada do corpo. Pelo contrário, as Escrituras declaram explicitamente que a nêfesh pode morrer (Números 31:19; Juízes 16:30), e que “a alma [nêfesh] que pecar, essa morrerá” (Ezequiel 18:4).

Comentando o texto de Gênesis 35:18, Derek Kidner declara que “no Antigo Testamento a alma não é concebida como entidade separada do corpo, com existência própria (como no pensamento grego), mas, antes, como a vida, que aqui se esvai” (Gênesis: Introdução e Comentário, São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1979, p. 163).

Oscar Cullmann assegura que também no Novo Testamento a esperança de vida eterna não se fundamenta na teoria grega da imortalidade da alma, mas na doutrina bíblica da ressurreição dos mortos (Immortality of the Soul or Resurrection of the Dead? Londres: Epworth, 1958).

Procurando preservar o sentido original do texto bíblico, algumas traduções da Bíblia têm vertido o termo nêfesh, em Gênesis 35:18, por exemplo, como “suspiro” (Bíblia na Linguagem de Hoje, Tradução Ecumênica, New English Bible, Living Bible, New International Version) e “vida” (Moffatt, Lutero [revisada de 1984]). A Tradução Ecumênica (Loyola) verte a parte inicial de Gênesis 35:18 como: “no seu último suspiro, no momento de morrer, ela...”. E a Bíblia na Linguagem de Hoje diz: “Porém, ela estava morrendo. E, antes de dar o último suspiro...”. Desta forma, o texto pode ser perfeitamente harmonizado com outras passagens bíblicas que falam que os mortos permanecem em estado de completa inconsciência (ver Salmo 115:17; 146:4; Eclesiastes 3:9, 20; 9:5, 6 e 10; etc.).” (Fonte: Sinais dos Tempos, maio/junho de 2000)

Pastor, você cita Atos 2:31, afirmando que “Pedro separa explicitamente o corpo de JESUS de sua alma, outrossim, o hades da simples sepultura”:

“prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.”

Eu não posso fazer um comentário partindo de um verso solto, então lhe convido a irmos ao contexto do capítulo 2.

Bom, os judeus comemoravam o dia de Pentecostes, a festa das semanas (Levíticos 23:15, Deuteronômio 16:9) que caia no quadragésimo dia após a páscoa. A festa das semanas era o aniversário da concessão da lei do Sinai.

Jesus prometeu que lhes enviaria o Consolador, a saber, o Espírito Santo, a fim de que pudessem cumprir a missão do Ide. Não vou me estender na questão das línguas ali faladas, pois isto daria outro tema de texto. O fato é que o Espírito Santo deu aos discípulos de Jesus ali reunidos o dom de falar em línguas e dialetos diversos do seu aramaico galileu. É nos dito pelos estudiosos que a maioria dos visitantes falava o dialeto grego comum mais conhecido como Koiné, exceto os das partes orientais (Pártia, Média, Pérsia, Mesopotâmia, Síria) que falariam dialetos aramaicos.

O dialeto galileu era tão difícil de ser entendido pelos não-galileus que o fato deles começarem de súbito a falarem em línguas compreendidas pelas multidões heterogêneas que se encontravam em Jerusalém, não passou despercebido.

Pedro aproveita, então, a oportunidade para se levantar com os outros apóstolos e dirigir a palavra a todos os que estavam ao alcance de sua voz. Vejamos o conteúdo da mensagem de Pedro:

“22-35 Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela. Porque a respeito dele diz Davi: Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita,  para que eu não seja abalado. Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança, porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. [...] Irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção. A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. [...] Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés. [...]”

O que Pedro faz na verdade é explicar o que seria a essência da estrutura da missão deles enquanto portadores do evangelho de Jesus:

Primeiro, ele faz uma narração do ministério público e dos sofrimentos de Jesus;

Segundo, ele fala do atestado divino do Seu Ministério messiânico que a ressurreição oferece. Ressurreição esta que ele, Pedro, foi testemunha ocular;

Terceiro, o apóstolo Pedro fala dos “testemunhos’ do Velho Testamento, provando ser Jesus o Messias;

Por fim, em resposta as indagações dos ouvidos sensibilizados com a sua mensagem, Pedro os convida ao arrependimento e à fé:

37-41: “Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. 40 Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41 Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. [...]”

É impressionante o uso que Pedro faz dos testemunhos do Velho Testamento (verso 16). Aliás, o Novo Testamento é repleto de referências ao Velho Testamento feitas também por Jesus. Viu, porque nós também fazemos apelo ao Velho Testamento quanto à perfeita vontade de Deus? O Velho e o Novo Testamentos são as fiéis testemunhas da vontade divina e de Sua Palavra.

Pedro, falando da ressurreição, argumenta sobre Davi. Davi era uma grande referência para os judeus. Do qual todos sabiam estar morto, pois seu túmulo estava entre eles e sua alma foi deixada no Sheol, habitação dos mortos, e seu corpo experimentou de fato a corrupção: “além disto, também a minha própria carne repousará em esperança, porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.”

Davi não falava de si mesmo ao referir-se ao Santo de Deus, mas a Jesus: “Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na mortenem o seu corpo experimentou corrupção.”

Conforme estudamos no texto I- A vida somente por Jesus Cristo“há na Bíblia 4 expressões que são traduzidas por Inferno. São elas: Sheol do hebraico, e GeenaHades e Tártaro do grego.” Sendo que a palavra Sheol às vezes é traduzida por sepultura, como no Salmo 16:10. "Não deixarás a minha alma na sepultura".

Mais interessante ainda é o fato de que Pedro usa o exemplo da morte de Davi em comparação com a de Cristo. Essa era a essência da fala de Pedro em Atos 2:31: “prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.”

Para Pedro, só houve uma Pessoa de quem verdadeiramente se podia dizer não haver conhecido a corrupção e não haver permanecido por muito tempo na sepultura, Jesus de Nazaré. Porque apesar de ter morrido, como todos sabiam, inclusive eles os judeus que não haviam crido Nele como o Messias de Deus, Sua alma não foi deixada no Hades, nem sua carne sofreu corrupção. Levantou-se dos mortos. Nem desceu, nem subiu. Levantou-se dos mortos!

“A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. [...] Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés. [...]”

Viu? Davi não subiu, nem desceu para lugar nenhum! Haverá uma ressurreição por ocasião do tempo de Deus:

Apocalipse 1:18: “e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno”

Apocalipse 21:4: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.”

Isaías 26:19: “Os vossos mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida, e a terra dará à luz os seus mortos.”

Daniel 12:2: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno.”

Desculpa, irmão, você tem razão quando diz que Pedro cita Jesus como exemplo de ressurreição, mas não tem razão quando diz que “Pedro separa explicitamente o corpo de JESUS de sua alma, outrossim, o hades da simples sepultura.”

Não é esse o sentido de Atos 2:31 : “prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.”

A Bíblia diz que após o tempo determinado por Deus, Jesus foi despertado por Ele. Portanto, Jesus não subiu ao Pai por ocasião de Sua morte.

1 Corintios 6: 14 “Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder.”

2 Corintios 4: 14 “sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitar com Jesus e nos apresentará convosco.”

1 tessalonicenses 4;16 “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro;”

1 Corintios 15:52 “num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.”

Regozijo-me ao ler o v. 43 de atos 2: “Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. [...]”

“a=egineto tsb=egeneto de pasê psuchê phobos polla te terata kai sêmeia dia tôn apostolôn egineto”

Olha a palavra psuchê aí se referindo a indivíduos. Segundo o relato bíblico, pela força do argumento de Pedro e a atuação do Espírito Santo a multidão foi sensibilizada pela própria consciência. 3.000 creram nas boas novas e se batizaram, formando assim a primeira igreja cristã.

Agora veja o que está escrito em Isaías 40: 6-8: “Toda a carne é erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e caem as flores, soprando nelas o hálito do SENHOR. Na verdade, o povo é erva; seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.”

E é confirmado em Tiago 4:13-14 : “Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.”

Lucas 12:16-20: “E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?”

Essa é a mensagem do Senhor: o ser humano é efêmero. Nós só ressuscitaremos se esta for a vontade Dele. E Ele quer e o fará.

Essa é a pedagogia divina: porque o homem desobedeceu, porque não soube e não quis respeitar os princípios da vida existentes somente em Deus, porque Nele está a fonte da vida eterna, deve retornar ao pó.

Gênesis 2:7 “Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o  fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”.

Gênesis 3:19 : “No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.”

Nos planos de Deus não havia lugar para a morte. Ela passou a existir em conseqüência da desobediência de um homem. Para Deus, que é vida pura e amor, a morte é algo trágico.

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo”- Romanos 5:12

Gosto do que disse Roger Mehi, professor da Universidade de Strasbourg na França: “A morte não é natural, porque ela não está ligada à vontade Daquele que nos chamou à existência. Deus não criou objetos para os destruir, mas seres que caminham diante Dele, que pudessem estar diante de Sua face e viver com Ele. O pensamento da morte é estranha para o Criador.” (Notre Vie e notre mort, Coll. “Prêts à répondre”, S.C.E., 2e Ed.., p. 42)

“porque tu és pó e ao pó tornarás.” Esta declaração implica sem dúvida alguma que na morte não é somente uma parte do homem que retorna à terra, mas a pessoa humana, o ‘eu”. O homem inteiro se perde na morte.

“porquanto vê-se morrerem os sábios e perecerem tanto o estulto como o inepto, os quais deixam a outros as suas riquezas. O seu pensamento íntimo é que as suas casas serão perpétuas e, as suas moradas, para todas as gerações; chegam a dar seu próprio nome às suas terras. Todavia, o homem não permanece em sua ostentação; é, antes, como os animais, que perecem. Tal proceder é estultícia deles; assim mesmo os seus seguidores aplaudem o que eles dizem. Como ovelhas são postos na sepultura; a morte é o seu pastor; eles descem diretamente para a cova, onde a sua formosura se consome; a sepultura é o lugar em que habitam. Mas Deus remirá a minha alma do poder da morte, pois ele me tomará para si.” (Salmo 49: 10-15)

Veja agora Filipenses 2:10: “para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra,”

1. nos céus: mundo superior onde estão os seres celestiais;

2. na terra: mundo intermediário onde moram os seres vivos;

3. debaixo da terra: onde dormem os mortos. Este último é chamado nas escrituras de: sepultura, túmulo, cova, lugares inferiores, lugares tenebrosos, profundezas da terra, regiões subterrâneas, abismo, etc.: 

“A ti clamo, ó SENHOR; rocha minha, não sejas surdo para comigo; para que não suceda, se te calares acerca de mim, seja eu semelhante aos que descem à cova.” (Salmo 28:1)

“Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão.” (João 5: 28)

“Porém os que me procuram a vida para a destruir abismar-se-ão nas profundezas da terra”. (Salmo 63:9)

“atirado entre os mortos; como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras; são desamparados de tuas mãos. Puseste-me na mais profunda cova, nos lugares tenebrosos, nos abismos.” (Salmo 88:5-6)

antes que eu vá para o lugar de que não voltarei, para a terra das trevas e da sombra da morte; terra de negridão, de profunda escuridade, terra da sombra da morte e do caos, onde a própria luz é tenebrosa.” (Jó 10: 21-22)

“Quem descerá ao abismo?. isto é, para levantar Cristo dentre os mortos.” (Romanos 10:7)

Você diz pastor, que Efésios 4:9 “diz que JESUS desceu as regiões mais baixas da terra, se naquela época o sistema de enterro fosse como aqui do Brasil, seriam apenas sete palmos abaixo da terra. Todavia, mesmo os cadáveres na época de JESUS sendo sepultados numa gruta, o apóstolo Paulo ousa dizer que ele desceu as partes mais baixas da terra. Aqui ele está se referindo ao hades e não a mera sepultura. [...]” 

Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido até às regiões inferiores da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas. (Efésios 4: 8-10) 

Veja o que diz W. G. M. Martins, Ministro da Primeira Igreja Presbiteriana da Irlanda: “A alusão à descida se refere, provavelmente, àquela do céu à terra na encarnação; esta é uma explicação satisfatória, embora alguns deem uma aplicação mais extensa baseando-se em 1 Pedro 3:18 [...]. A identidade daquele que sofreu a humilhação na terra, mas que foi exaltado no céu, é ressaltada no verso 10.”

O que isto significa? Como cristã compreendo que “a ascensão de Cristo implica sua anterior descida: “Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais? Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem [que está no céu].” (João 3: 12- 13). 

“O filho de Deus não só desceu à terra, mas também viveu as mesmas profundidades das experiências humanas, fazendo desta maneira mais sublime sua ascensão ao trono de glória. [...] Por meio dessa experiência se converteu em um Supremo Sacerdote pormenorizado e eficaz, familiarizado com todas as vicissitudes da vida humana inclusive a morte.”

Jesus morreu, foi sepultado e ressuscitou. Apenas após ter sido chamado por Deus é que Ele ressuscitou e então pode ascender aos céus:

“Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder.” (1 Coríntios 6: 14)

“E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste, alva como a neve. E os guardas tremeram espavoridos e ficaram como se estivessem mortos. Mas o anjo,  dirigindo-se às mulheres, disse: Não temais; porque sei que buscais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Vinde ver onde ele jazia.” (Mateus 28: 2-6) Veja bem, “onde ele jazia”.

Segundo o Dicionário Michaelis UOL este é o significado de Jazer:

v. 1. Intr. Estar deitado (no solo ou no leito). 2. Intr. Estar morto ou como tal. 3. Intr. Estar quieto, imóvel. 4. Intr. Estar sepultado. 5. Tr. ind. Estar colocado, posto, situado. 6. Intr. Dir. Não estar repartido (bens, herança). 7. V. de lig. Continuar, permanecer. Verbo regular, conjuga-se, pres. ind.: jazo, jazes, jaz etc.; pret. perf.: jazi, jazeste, jazeu etc.

Enquanto morto Cristo permaneceu quieto, imóvel, inconsciente, mas quando Deus O chamou Ele ressuscitou de Seu cativeiro. Em Deus, Cristo venceu a morte. Ao ascender aos Céus, após a Sua ressurreição, Cristo levou cativo o cativeiro. E concedeu dons aos homens. Sendo o maior dos dons concedidos o Seu amor e a vida eterna. E são Dele estas palavras:

“E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia.”

O cristão não crê na imortalidade da alma, mas na ressurreição da pessoa. O cristão crê como é dito nas Escrituras que somente um possui a imortalidade, a saber, Deus.

Na verdade, se cremos que há imortalidade na alma fazemos do homem um deus. Afinal, este é um atributo divino. Não é este o ensinamento básico das religiões espiritualistas, nova “eristas”, ou mesmo a ensinada pela antiga serpente no paraíso?

“Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.” (Gênesis 3:4)

Cuidado, irmão, você está ecoando um antigo discurso. Reflita seriamente nisto, pois quanto a mim não tenho dúvidas quanto à procedência de tal doutrina. Eu fico com o que disse o Criador: certamente morrerás.” (Gênesis 2:16)

Ao dizermos que o homem é mortal não estamos dizendo que Deus é a causa da morte. Como cristã, digo que Deus nos criou para sermos almas viventes, isto é, seres viventes, com a capacidade de receber a imortalidade. E esta que foi perdida no primeiro Adão, foi novamente conquistada no segundo Adão. A saber, Jesus Cristo, o único em quem alcançamos a vida eterna. O Senhor da vida e mesmo até da morte, pois a levou em cativeiro.

Que Deus possa lhe abençoar pastor, dando-lhe discernimento espiritual. Afinal, a verdade é somente uma: Jesus. Em quem temos a certeza de encontrar vida plena e em abundância.

Continuaremos...




A vida somente por Jesus Cristo (parte 2)


Ruth Alencar


Comentários

  1. Rute, uma breve observação e algumas reflexões.

    OBSERVAÇÃO: “Nos planos de Deus não havia lugar para a morte. ela passou a existir em conseqüência da desordem gerada pelo pecado dos homens”... Não seria melhor dizer que: Nos planos de Deus não havia lugar para a morte. ELA PASSOU A EXISTIR EM CONSEQÜÊNCIA DA DESOBEDIÊNCIA PRATICADA POR UM HOMEM...

    “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo”- Romanos 5:12

    REFLEXÕES:

    a)Porque e para quê Cristo veio a terra?

    “Eu vim para que TENHAM VIDA e a tenham em abundância...dou a minha vida para retomá-la...tenho poder de entregá-la e poder de retomá-la” João 10:10;17-18.
    .
    b)Possui o homem em si, a imortalidade?

    “Com efeito, é necessário que este ser corruptível revista a incorruptibilidade e que este ser mortal revista a IMORTALIDADE. Quando pois este ser corruptível tiver revestido a incorruptibilidade e este ser mortal tiver revestido a IMORTALIDADE, então cumprir-se-á a palavra da Escritura: A Morte foi absorvida na vitória; Morte, onde está a tua vitória? Morte, onde está o teu aguilhão? Ora, o aguilhão da Morte é o pecado” 1 Coríntios 15:53–56

    c) O que significa “levou cativo o cativeiro?” Efésios 4:8-9.

    Significa que: CRISTO não somente tem a Vida, mas é a Vida; Ele morreu "a fim de destruir pela sua morte, o dominador da MORTE, isto é, o diabo". Hebreus 2:14. CRISTO, ao subir aos céus, levou “cativo o cativeiro” porque em suas mãos estão as chaves da MORTE e do HADES" Apocalipse 1:18

    O diabo aprisionou os homens com a MORTE, mas Cristo tem o poder de destruí-lo, de lançá-lo no LAGO de FOGO; O diabo levou o homem ao cativeiro MORTE),então ao cativeiro(MORTE)irá! Apocalipse 13:10.

    “O diabo foi lançado no LAGO de FOGO” Apocalipse 20:10 -

    “E os mortos foram julgados conforme sua conduta, a partir do que estava escrito nos livros...o mar devolveu os mortos que nele estavam; a MORTE e o HADES entregaram os mortos que neles estavam...a MORTE e o HADES foram lançados no LAGO DE FOGO”
    Apocalipse:20:12 -14

    “Ele enxugará toda a lágrima dos seus olhos, pois nunca mais haverá MORTE...e a quem tem sede eu darei gratuitamente da fonte da água da vida...o vencedor receberá esta herança: Eu serei seu Deus, ele será meu filho!Quanto aos covardes,infiéis,assassinos,corruptos,impudicos,mágicos,idólatras,mentirosos, a sua porção se encontra no LAGO DE FOGO, que é a SEGUNDA MORTE” Apocalipse 21:4-8

    Ora, se há uma SEGUNDA MORTE é porque há uma PRIMEIRA; a primeira é a MORTE NATURAL de todos os homens; a segunda é para quem não reconhecer ao Senhor Jesus como Senhor das suas vidas porque os que o reconheceram, receberão a herança: a VIDA ETERNA, a IMORTALIDADE!

    Eis o cerne da morte de Cristo: Com a própria vida, resgatou a vida, restituiu a imortalidade para o homem!

    “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a VIDA ETERNA” - João 3:16 -

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. 5 de maio de 2011 14:42
      Anônimo,

      Excelentes reflexões. Muito obrigada por sua participação. Por favor, sempre venha ao nosso encontro com suas observações. Que Deus lhe abençoe.

      Quanto à sua "OBSERVAÇÃO: “Nos planos de Deus não havia lugar para a morte. ela passou a existir em conseqüência da desordem gerada pelo pecado dos homens”... Não seria melhor dizer que: Nos planos de Deus não havia lugar para a morte. ELA PASSOU A EXISTIR EM CONSEQÜÊNCIA DA DESOBEDIÊNCIA PRATICADA POR UM HOMEM...

      “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo”- Romanos 5:12"

      Simplesmente, perfeita. Vou corrigir lá no texto. Isto é muito mais do que um detalhe. É a escrita perfeita se queremos que seja a verdade dos fatos os nossos argumentos.

      Mais uma vez muito obrigada.

      Excluir
  2. Anônimo

    fiz a correção lá no texto, realmente fez uma diferença significativa no conteúdo.

    ResponderExcluir
  3. Caro leitor pastor,

    Endosso as REFLEXÕES do nosso leitor Anônimo.

    A razão da vinda de Cristo é em si mesma uma resposta absoluta para a questão da morte.

    Taí uma pergunta que você deve se fazer pastor leitor, afinal nos e-mails vc continua insistindo na imortalidade da alma. Faça a si mesmo essa pergunta de uma maneira honesta e da mesma maneira responda: "Porque e para quê Cristo veio a terra?"

    b)Possui o homem em si, a imortalidade?

    “Com efeito, é necessário que este ser corruptível revista a incorruptibilidade e que este ser mortal revista a IMORTALIDADE. Quando pois este ser corruptível tiver revestido a incorruptibilidade e este ser mortal tiver revestido a IMORTALIDADE, então cumprir-se-á a palavra da Escritura: A Morte foi absorvida na vitória; Morte, onde está a tua vitória? Morte, onde está o teu aguilhão? Ora, o aguilhão da Morte é o pecado” 1 Coríntios 15:53–56

    Essa é uma promessa futura. Como Deus é maravilhoso!!!

    c) O que significa “levou cativo o cativeiro?” Efésios 4:8-9.

    Não há outra resposta senão esta das Escrituras:

    "Significa que: CRISTO não somente tem a Vida, mas é a Vida; Ele morreu "a fim de destruir pela sua morte, o dominador da MORTE, isto é, o diabo". Hebreus 2:14. CRISTO, ao subir aos céus, levou “cativo o cativeiro” porque em suas mãos estão as chaves da MORTE e do HADES" Apocalipse 1:18

    O diabo aprisionou os homens com a MORTE, mas Cristo tem o poder de destruí-lo, de lançá-lo no LAGO de FOGO; O diabo levou o homem ao cativeiro MORTE),então ao cativeiro(MORTE)irá! Apocalipse 13:10."




    Que Deus possa retirar as "escamas" que lhe impedem a perfeita visão de Sua Palavra.

    um abraço

    ResponderExcluir
  4. .
    .

    Êita! Ufa!

    Eu acredito piamente na sinceridade das suas palavras. Eu seria capaz de colocar as minhas mãos no fogo para confirmar o quanto creio na honestidade da sua convicção, embora não concorde com tudo que você diz.

    Por outro lado, lamentavelmente, eu não arriscaria um fósforo queimado em defesa da honestidade da quase totalidade dos "profissionais da fé".

    NENHUMA REFERÊNCIA EM PARTICULAR AO PASTOR EM QUESTÃO!

    Se esta declaração for considerada ofensiva, antecipadamente peço desculpas a você e a Brígida, e solicito que seja deletada.

    Àqueles a quem a mensagem é endereçada não peço esculpas, antes,ratifico a minha afirmação.

    Fraternalmente.

    ResponderExcluir
  5. .
    .

    Ruth

    Tamanha malcriação é motivada pelo estresse de ver tanta hipocresia. Os enteresses corporativos, as conveniências, a gana de poder e de riquezas levam os "profissionais da fé" a enganar e explorar aos fiéis e aos voluntários da causa cristã.

    É desabafo mesmo!

    .
    .

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. 8 de maio de 2011 14:51
      Pedro

      vc diz:

      "Eu acredito piamente na sinceridade das suas palavras. Eu seria capaz de colocar as minhas mãos no fogo para confirmar o quanto creio na honestidade da sua convicção, embora não concorde com tudo que você diz."

      Isto só aumenta a minha responsabilidade.

      Vc diz:

      "Por outro lado, lamentavelmente, eu não arriscaria um fósforo queimado em defesa da honestidade da quase totalidade dos "profissionais da fé".NENHUMA REFERÊNCIA EM PARTICULAR AO PASTOR EM QUESTÃO!"

      Tenho que concordar com vc... mas acrescentaria dizendo que há muito o que se lamentar da cristandade como um todo hj. Infelizmente. Aqui incluo a membresia tb.

      Vc diz:

      "Se esta declaração for considerada ofensiva, antecipadamente peço desculpas a você e a Brígida, e solicito que seja deletada."

      Da minha parte ficará aqui. Não há o que ser deletado.

      Excluir
  6. "Por outro lado, lamentavelmente, eu não arriscaria um fósforo queimado em defesa da honestidade da quase totalidade dos "profissionais da fé"."

    Pedro,

    Sobre os profissionais da fé, digo que infelizmente o mundo está voltando à época, triste e escura época, onde se vendia "pedaços no céu" e "anos a menos no purgatório". Porém hoje se vende bênçãos. Até parece que Deus atribuiu cargo aos comerciantes em nome DEle. E
    o mais triste é que as igrejas, estão lotadas de poessoas que estão comprando bênçãos.

    Ora, se houvesse paciência para vender seria bem mais útil, pois tudo que precisamos (não tudo o que desejamos) nos será dado gratuitamente na hora certa.

    As pessoas estão sendo levadas a crer que a vida é somente os bens que temos aqui, nesse mundo. Há quem diga, e são muitos que devemos exigir de Deus, pois somos Seus filhos.

    Como um filho pode exigir algo de seu pai? Nosso Pai nos dá por amor e misericórdia, não porque merecemos.

    "Mas, buscai primeiro o Reino de Deus , e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" Mt. 6:33

    Buscar o reino de Deus!

    Parece que os profissionais da fé encontraram um atalho para "essas coisas serem acrescentadas"...


    "Se esta declaração for considerada ofensiva, antecipadamente peço desculpas a você e a Brígida, e solicito que seja deletada."

    Da minha parte ficará aqui também.

    ResponderExcluir
  7. Entretanto, por uma questão de justiça, não colocaria todos os pastores em um mesmo balaio.

    Existem pérolas preciosas...

    ResponderExcluir
  8. Não sei se é desse tipo de hipocrisia que você Pedro, disse.

    Eu também vejo hipocrisia em muitos membros de igrejas. Para isso, não devemos seguir exemplos e olhar para os lados, nem pra frente e pra trás. Se queremos paz e viver em comunhão com Cristo, temos que olhar para Ele. Ele é nosso Pastor, Mestre e Exemplo.

    Ruth,

    "Entretanto, por uma questão de justiça, não colocaria todos os pastores em um mesmo balaio.

    Existem pérolas preciosas..."

    Concordo sobre existirem pérolas preciosas em todos os lugares, todas as denominações e entre todos seres humanos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2