As Escrituras Sagradas


Convido você amigo leitor a conhecer o Ministério Portas Abertas e a se engajar através de suas orações pelos irmãos que não gozam de nossa maravilhosa liberdade religiosa.

Compartilho com você este vídeo pedindo a sua reflexão sobre a sua liberdade, sua confortável posição e sua responsabilidade e atitude diante dessa liberdade e a perseguição que sofrem os que não a possuem e como eles têm agido a despeito de tudo isto.







Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”  (2 Timóteo 3:16-17)

“A Bíblia é a revelação infalível da vontade de Deus, o padrão do caráter, o teste da experiência pessoal, o revelador autorizado das doutrinas e o registro fiel dos feitos de Deus na História.” (Em Plena Certeza, 2)

O propósito máximo do estudo da Bíblia é conduzir-nos a um relacionamento pessoal com Deus que nos ama, e aceitar a salvação provida através do sacrifício de Cristo.

A Bíblia é uma biblioteca sagrada de sessenta e seis livros. Esta biblioteca singular é de origem divina. O Espírito Santo é o autor divino por trás dos autores humanos.

Cerca de quarenta homens, vivendo em diferentes gerações, em localidades diferentes e ocupando diferentes posições na vida, foram escolhidos pelo senhor para prepararem os manuscritos originais.

“Gênesis foi escrito cerca de 3.500 anos atrás, ou seja, aproximadamente no ano de 1500 A.C.; o Apocalipse foi composto cerca do ano 97 A.D., portanto a uns 1.900 anos atrás. Um período de aproximadamente 1.600 anos decorreu durante a complementação deste grande empreendimento.” – Teodora S. Wangerin, Gênesis to Revelation.



As Duas Palavras de Deus

Que alegação os escritores da Bíblia fazem com respeito à fonte de suas mensagens? Que faz a Bíblia por aqueles que aceitam sua inspiração?

“Outra razão ainda temos nós para, incessantemente, dar graças a Deus: é que, tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, que é de Deus, acolhestes não como palavra de homens, e sim como, em verdade é, a palavra de Deus, a qual, com efeito, está operando eficazmente em vós, os que credes.” (2 Tessalonincenses 2:13)

“A Bíblia não tenta provar que é a Palavra de Deus, mas declara sua autoria. A prova dessa alegação reside naquilo que ela faz por aqueles que a aceitam.” (Em Plena Certeza, 3)


Que outra “Palavra” é indicada como sendo a revelação de Deus?

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.[...] E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” (João 1:1-2, e 14)

“Mas a Escritura Sagrada, com suas divinas verdades expressas em linguagem de homens, apresentam uma união do divino com o humano. União semelhante existiu na natureza de Cristo, que era o Filho do homem.” (Conflito dos Séculos, 9)

A revelação deve ter uma qualidade sobrenatural. Ela vem do exterior de nosso mundo em vez de surgir da criatividade humana. Vem para informar, motivar, e nos transformar, para nos dizer como podemos ser salvos. A salvação não se origina em nós, ela vem de Deus, mas é realizada em nossa experiência. Cristo veio do céu, nasceu na família humana, e executou a salvação dentro da história humana, da mesma forma os pensamentos divinos chegaram a nós através da mente dos profetas, que lhes deram uma expressão humana.



Evidências da Inspiração da Bíblia

. Há uma impressionante harmonia na Bíblia, a despeito da grande diversidade de seus escritores, do tempo, e lugares onde foi escrita, essa é uma das evidências inequívocas de que ela é o que alega ser: a Palavra de Deus.

sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1:20-21)

. A Bíblia fala de eventos que já aconteceram e que provam sua veracidade.

“Então, lhes disse Jesus: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura, não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras.” (Lucas 24:25-27)

. A Bíblia tem a faculdade de transformar corações e vidas como nenhum outro livro.

“Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti. [...] Ensina-me, SENHOR, o caminho dos teus decretos, e os seguirei até ao fim. Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; de todo o coração a cumprirei. Guia-me pela vereda dos teus mandamentos, pois nela me comprazo. Inclina-me o coração aos teus testemunhos e não à cobiça. Desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no teu caminho. Confirma ao teu servo a tua promessa feita aos que te temem. Afasta de mim o opróbrio, que temo, porque os teus juízos são bons. Eis que tenho suspirado pelos teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.” (Salmo 119:11, 33-40)



A majestade da revelação divina

A grandeza e mistério dos temas apresentados na Bíblia servem para inspirar fé em si mesma como a Palavra de Deus. A maneira de expressar-se com toda simplicidade e com tanto significado para as necessidades e desejos de nosso corações encantando as mentes dos eruditos ao mesmo tempo capacitando a mais humilde das pessoas a compreender o caminho da salvação, demonstra a obra do Espírito Santo tanto no dar a Bíblia como no capacitar-nos a aplicá-la. “Quanto mais ele investiga a Bíblia tanto mais profunda se torna sua convicção de que ela é a Palavra do Deus vivo, e a razão humana dobra-se perante a majestade da divina revelação.” (Caminho Para Cristo, 107 e 108)


A Obra do Espírito Santo na Compreensão da Bíblia

Que atitude é essencial para a compreensão da Bíblia?

“Os homens maus não entendem o que é justo, mas os que buscam o SENHOR entendem tudo.” (Provérbios 28:5)


O papel do Espírito Santo no estudo da Bíblia:

“Visto Jesus haver dito que o Espírito Santo nos guia à verdade: “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.” (João 16:13), nunca devemos estudar a Bíblia sem pedir a sua elucidação. Devemos deixar de lado todas as opiniões pré-concebidas e permitir ao Espírito Santo guiar-nos à verdade. Sua orientação é essencial ao estudo da Bíblia.” Ao passarmos a estudar a Bíblia devemos lembrar seu caráter único. Métodos comuns de investigação são inadequados. Deus nos provê ‘vislumbres’ especiais através da orientação do Espírito Santo.



Quatro recursos para melhor compreender a Bíblia:

1- Cuidadosa leitura com oração:

“Buscai no livro do SENHOR e lede: Nenhuma destas criaturas falhará, nem uma nem outra faltará; porque a boca do SENHOR o ordenou, e o seu Espírito mesmo as ajuntará.” (Isaías 34:16)

2- Meditação sobre a Leitura:

“Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” (Josué 1:8)

3- Comparação de textos:

“Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali. [...] Assim, pois, a palavra do SENHOR lhes será preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem, se enlacem, e sejam presos.” (Isaías 28:10, 13)

4- Disposição de obedecer o que foi aprendido:

“Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se eu falo por mim mesmo.” (João 7:17)



A Exatidão e a Autoridade das Escrituras

A Bíblia tem resistido aos ataques da crítica. Nenhum livro foi submetido a um escrutínio mais cuidadoso e crítico do que a Bíblia. Porém, a despeito das tentativas feitas para destruí-la, ela ainda é reconhecida como sendo o que alega ser: A Palavra de Deus.



Baseados em que fonte autorizada pregaram os antigos Profetas?

“Então, foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; Daniel bendisse o Deus do céu.” (Daniel 2:19)

“Então, Ageu, o enviado do SENHOR, falou ao povo, segundo a mensagem do SENHOR, dizendo: Eu sou convosco, diz o SENHOR.” (Ageu 1:13)

“Os profetas do Antigo Testamento anunciavam que as mensagens que apresentavam provinham de Deus, e o povo a quem eles as entregavam reconheciam sua fonte verdadeira. Jesus usou as Escrituras como um instrumento de autoridade para responder as acusações e tentações de Satanás.” (Em Plena Certeza, 6)

“Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” (Mateus 4:4)



Por que as pessoas rejeitam a autoridade das Escrituras?

“Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” (Mateus 22:29)

“Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” (1 Coríntios 1:18)

Um motivo porque muitos se desculpam para rejeitar a autoridade da Bíblia é não desejarem praticar o que ela ensina.



A Importância do Estudo das Escrituras

Por que é tão importante o estudo diário da Bíblia? 

“E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Beréia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.” (Atos 17:10-11)

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.” (Salmo 119:105)

“Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.” (Apocalipse 1:3)



A Palavra revela a Palavra:

Cristo sugere que quando fizermos um exame diligente descobriremos que as Escrituras testificam Dele. “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” (João 5:39).

Descobrimo-LO como O Cerne, o conteúdo e o contexto desses escritos. Ao estudarmos a Bíblia descobrimos que a missão do Espírito Santo é conduzir-nos a Jesus e glorificá-LO: “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.” (João 16:13-14). Para experimentarmos o poder das Escrituras, devemos permitir ao Espírito conduzir-nos a um encontro com Cristo e a ser levados a glorificá-LO.



Para Reflexão:

Romanos 1:16 : “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, [...]” 

Hebreus 4:12-13 : “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.”

“É conveniente considerar o caráter da Palavra com a qual somos confrontados, a palavra das Escrituras e do Evangelho, caso tenhamos de apreciar plenamente a responsabilidade sob a qual somos postos ao ouví-la. Pois essa Palavra é a palavra de Deus. Ela participa dos atributos do próprio Deus. Ela é viva e plena de atividade e poder de realização. Nela o próprio Deus acha-Se ativo, pelo que ela jamais deixa de produzir resultado: traz salvação ou julgamento. Ela penetra até o mais íntimo do ser do homem, como se fosse um bisturi dissecador, e força as coisas que diferem na vida humana. Põe sob juízo os pensamentos e as idéias da mente e da vontade humanas.

Ela é o ‘crítico’, isto é, apta para discernir, pelo qual somos julgados. Confrontado por ela, o homem é confrontado por Deus, perante Quem nada pode ser ocultado. De fato, a Palavra de Deus nos deixa côncios de que todas as coisas estão descobertas e patentes, plenamente expostas ao olhar prescrutador de Deus. E é justamente Ele, o Deus onde se originou essa Palavra, e que todos quantos ouvem-na terão de finalmente dar uma resposta com sua própria palavra final, todos deverão olhar para Deus e ser olhados por Ele.” (A. M. Stribbs , M.A., Vice-Reitor do Oak Hill Theological College, Londres I e II Timóteo, Tito e Hebreus).

O tema da inspiração e revelação permanece um assunto para muita discussão teológica no mundo cristão. Os Adventistas do Sétimo Dia rejeitam o conceito de que a tradição seja, ao lado da Bíblia uma fonte de revelação. Aceitamos a Bíblia, e a Bíblia somente como norma de nossa fé e prática.







Resumo:

“A Bíblia é a Palavra inspirada de Deus, dada a nós de tal forma que podemos ver que procedeu Dele. Nesta palavra, Deus proveu todo o necessário para nossa compreensão a fim de sermos salvos e testemunharmos Dele.”


Fonte:

. Bíblia Sagrada

. Crescendo em Cristo: Temas de consolidação da fé. União Nordeste Brasileira.
__________


Outros textos referentes às Escrituras Sagradas publicados por nosso blog:




Ruth Alencar

Comentários

  1. Algumas pessoas estão com dificuldades para postar comentários, principalmente através do INTERNET EXPLORER. Se você tiver alguma dificuldade para postar comentários, tente mudar de navegador. Pelo FIREFOX não estamos tendo esse problema.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2