Aceito-te de Volta






Gosto muito de meditar na história de vida de alguns personagens bíblicos. Seus erros e acertos trazem esperança ao meu coração. Penso em suas quedas e no que os levou a cair. Penso no levantar de suas vidas. Penso no perdão liberado... Não! Penso nos perdões liberados. Sim, há tanto cair e levantar. Há tanto estender de mão!


Penso neste instante na prostituta Raabe. Aquela mulher vivia uma vida sobre a qual muitos com certeza haviam já escrito: perdida! Sem salvação! Mas, ela foi salva porque compreendeu sua condição e aceitou incondicionalmente a autoridade divina em sua vida. Você pode conhecer sua história no livro de Josué capítulos 2 a 6.

Raabe, que no passado fora prostituta, foi inscrita na galeria dos heróis da fé.
“Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias.” (Hebreus 11: 31)
“De igual modo, não foi também justificada por obras a meretriz Raabe, quando acolheu os emissários e os fez partir por outro caminho?” (Tiago 2: 25)

Outra história fantástica é a de Sansão. Um homem que viveu da vaidade carnal. Talvez a muita força lhe trouxesse de carona a muita testosterona. Sansão fez-se vítima de sua própria benção. O erro estava na benção ou no mau gerenciamento da benção? Aqui cabe uma pequena reflexão com relação ao dinheiro. É nos dito que a raiz de todo o mal é o dinheiro. Será que há uma maldição implícita na benção de se ter fartura financeira? Sinceramente, acho que não. Ter dinheiro resolve muitos problemas. Se cria é porque é mal gerenciado. Quando Jesus falou ao jovem rico para doar tudo o que tinha aos pobres havia uma lição especial para aquele jovem. Ele amava muito suas posses e nela colocava o melhor de sua atenção e amor. Por isso, retirou-se triste. Não queria desfazer-se dela. Mas, Jesus estava querendo que ele se tornasse pobre?

Não, Jesus queria que ele sondasse o seu coração e visse quem estava no trono de seu viver. Este é o problema do dinheiro, se damos a ele um lugar além do que ele deve ter tornamo-nos seus escravos.

Não havia problemas na sexualidade de Sansão. Um homem com aquela força só podia ter hormônios masculinos bem ativos. O problema advinha da promiscuidade com que viveu a sua benção. Sansão andou por vistas e por isso, literalmente, perdeu a visão. O objeto do seu prazer lhe conduziu à escravidão.

Foi somente quando se tornou cego e escravo que Sansão compreendeu sua real cegueira: a espiritual. Foi lá no chão, como um “objeto” de escárnio e humilhação que Sansão sentiu o maior de todos os privilégios. Sem visão material, vislumbrando com os olhos da fé, ele contemplou, enfim, o que precisava ser contemplado: ele dependia de Deus.

Num gesto de profunda nobreza e de desejo de justiça, ofereceu a própria vida como resgate de sua honra por seus olhos vazados e sua vida de humilhação. Não me venham com a afirmação de que Sansão suicidou-se, porque isto não foi um suicídio, mas um martírio.

No seu gesto libertou seu povo da tirania dos filisteus, cumprindo a missão para o qual havia vindo ao mundo: ajudar os israelitas contra seu feroz inimigo. Você pode ler a história de Sansão no livro de Juízes, capítulos 13 a 16.

Deus manifestara-Se para Sansão, dando resposta à sua súplica, apesar de todos os apelos ignorados quando Deus o chamava à razão. Sansão sempre demonstrou-se rebelde. Sansão poderia ter tido outro relato de sua história. Poderia ter escrito um outro roteiro. Era um guerreiro, para isto veio ao mundo. Mas, como era moralmente livre, em seu livre arbítrio escolheu um caminho de pecado e desobediência, apesar de saber sobre sua missão. Apesar de saber que havia um Deus que esperava outra atitude dele.

Deus, como cavalheiro que é, respeitou suas decisões, mas nunca o abandonou à própria sorte. Ele estava lá no alto do Seu trono, pronto para agir a favor da justiça e da verdade. Estava à espera do apelo do homem Sansão e quando este aconteceu estendeu Sua mão e veio em seu socorro. Sansão arrependido clama por perdão e auxílio e Deus o perdoou e o aceitou de volta. As consequências do pecado ficaram e Sansão morreu. Mas, morreu perdoado. Esse é o agir de Deus com relação ao pecado. Ele nãos os perdoa, mas misericordiosamente perdoa o pecador. O perdão do Senhor o colocou, apesar de seus muitos tropeços, na galeria dos heróis da fé.

Penso em Judas e em Pedro, dois traidores. Judas traiu Jesus, mas por não experimentar o arrependimento capaz de conduzi-lo aos pés de Cristo abandonou-se à própria sorte e pereceu a lastimável morte do suicídio. Judas poderia, apesar do seu terrível erro, ter escrito uma outra história. Deus o aceitaria de volta não há dúvidas sobre isto. Minha certeza vem de três pontos:

. primeiro, Deus não tem acerto a fazer com os homens, mas com o pecado dos homens;

. segundo, a morte de Jesus tem um poder infinitamente eficaz a ponto de lavar a culpa de qualquer pecador. Fomos perdoados por antecipação. Mas, a eficácia do perdão tem em si uma exigência, o querer do pecador. Jesus fez o suficiente naquela cruz, mas ao homem cabe o aceitar;

. terceiro, o perdão dado a Pedro comprova que Deus teria sim perdoado a Judas.

Pedro negou ao Senhor, dizendo não conhecê-LO, sendo que há poucas horas havia dito que jamais O negaria! Pedro O amava, mas era ainda muito tímido espiritualmente. Seu coração estava focado em si mesmo, no seu eu. Quando, porém, mudou seu olhar Pedro enxergou o tesouro sem preço da Pérola preciosa que era Jesus. Arrependido O buscou e Nele encontrou o perdão desejado. Tornou-se o corajoso e valente homem de fé. E Deus aceitou Pedro de volta.

Há também a história da família de Ló. Por amor e em fidelidade a Abraão Deus interviu de maneira maravilhosa naquela família. Se eles não tiveram o fim desejado não foi responsabilidade divina, mas o resultado de suas escolhas individuais. Você pode ler sobre a história de Ló no livro de Gênesis capítulos 18:20 à 19: 1- 38.

Deus sempre Se manifesta apesar de muitos O perceberem silencioso. Antes do agir final da justiça Ele marca Sua presença, convidando para a salvação. Algumas vezes Sua misericórdia O faz puxar literalmente o necessitado por suas mãos.

Os habitantes de Sodoma e Gomorra receberam a visita em sua cidade de seres celestiais enviados por Deus. Ao invés de se humilharem diante dos mensageiros celestiais afundaram-se mais ainda em seu pecado:
“Mas, antes que se deitassem, os homens daquela cidade cercaram a casa, os homens de Sodoma, tanto os moços como os velhos, sim, todo o povo de todos os lados; e chamaram por Ló e lhe disseram: Onde estão os homens que, à noitinha, entraram em tua casa? Traze-os fora a nós para que abusemos deles. Saiu-lhes, então, Ló à porta, fechou-a após si e lhes disse: Rogo-vos, meus irmãos, que não façais mal;”
Ao invés de buscarem o perdão, desejaram aprofundar-se no mal. Deus, então cegou fisicamente o que espiritualmente já cego estava e numa atitude de fidelidade a Abraão socorreu a família de seu sobrinho Ló. Literalmente manifestou-Se e literalmente os arrastou para fora da cidade. No entanto, não sem antes estender um apelo final aos moradores de Sodoma e Gomorra:
Então, disseram os homens a Ló: Tens aqui alguém mais dos teus? Genro, e teus filhos, e tuas filhas, todos quantos tens na cidade, faze-os sair deste lugar; pois vamos destruir este lugar, porque o seu clamor se tem aumentado, chegando até à presença do SENHOR; e o SENHOR nos enviou a destruí-lo. Então, saiu Ló e falou a seus genros, aos que estavam para casar com suas filhas e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Acharam, porém, que ele gracejava com eles. Ao amanhecer, apertaram os anjos com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas, que aqui se encontram, para que não pereças no castigo da cidade. Como, porém, se demorasse, pegaram-no os homens pela mão, a ele, a sua mulher e as duas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e o tiraram, e o puseram fora da cidade.”

O que essas pessoas fizeram com a chance da salvação recebida? A Bíblia conta que Ló, ao invés de manter-se sóbrio e vigilante para conhecer a vontade de Deus em sua vida e escrever uma história de vitória pela fé, deu-se à bebida e disto sobreveio-lhe um grande mal. Entretanto, é a história da mulher de Ló que me surpreende. Apesar do aviso dos mensageiros celestiais para que não olhassem para trás, ela desvalorizando o conselho e a maravilhosa salvação, o fez.

Quantos, presos aos valores desse mundo, são impedidos de seguir em frente! Deus tem proporcionado salvação para todos os homens. Deus tem apelado anos e anos. Veio Ele mesmo doar Sua vida em favor dos homens. A ninguém rejeita quando Lhe buscam arrependidos e confessando suas faltas e fraquezas. A ninguém nega acolhida quando com humildade submete-se à Sua autoridade.

Deus os tem mesmo arrastado por suas mãos, mas alguns têm escolhido o mundo e o que ele proporciona. Infelizmente, mesmo tendo o poder de fazê-lo, Deus não pode interferir, pois não manipula seus desejos e vontades.

Em Marcos 4:19 lemos: “mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera.”

A esposa de Ló não precisava ter aquele fim, muito menos Ló e suas filhas. Deus fizera o suficiente, dera-lhes a libertação. Mas, eles escreveram o roteiro para suas vidas que queriam e Deus os respeitou, embora não fosse essa a Sua vontade. Alguém certa vez me disse: “Não confundamos vontade de Deus com permissão divina.” Nessa história de Ló compreendo bem essas palavras.

Em Lucas 21:34-36 lemos: “Acautelai-vos por vós mesmos, para que nunca vos suceda que o vosso coração fique sobrecarregado com as consequências da orgia, da embriaguez e das preocupações deste mundo, e para que aquele dia não venha sobre vós repentinamente, como um laço. Pois há de sobrevir a todos os que vivem sobre a face de toda a terra. Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que têm de suceder e estar em pé na presença do Filho do Homem.”

Estou escrevendo para alguém que lê e encontra-se afastado dos caminhos do Senhor? Para alguém que está caído pelo peso do sentimento de culpa por suas falhas morais? Alguém que traiu a quem amava, que não foi firme diante de uma prova moral ou espiritual? Só de pensar em seus erros você se entristece e pensa: "ah, se tão somente pudesse fazer o tempo voltar atrás e não o haver cometido!"

Deixe-me dizer-lhe uma coisa, isto nunca será possível. Provavelmente você terá que arrastar a tristeza por esses erros até seu último suspiro, afinal as consequências do pecado permanecem. Mas, não aja como a mulher de Ló, não olhe o que ficou para trás. Nem para o que tem que renunciar se você decidir voltar para Deus. Não olhe nem para seus erros! Satanás vai lhe encher de culpa, lhe sussurrar na mente o pensamento de que você não tem perdão pelo que fez. Ele se aproveitará disto e dirá para você que não há solução para o seu caso e paralisado por essa mentira você pode perder o que já está reservado como vitória.

O que pode impedir alguém de experimentar a alegria do perdão, apesar da falta grave?
Penso que a indiferença diante da oferta de perdão. Penso que a não compreensão do poder perdoador de Deus. Penso que o não olhar para Cristo e Sua misericórdia e graça.

Se você reconhece em Jesus um amor incondicional, volte! Não importa quão desgraçado moralmente você se sinta, Ele pode mudar essa condição. Dê a Jesus o lugar que Lhe é devido em sua vida, em seus projetos e em seus interesses pessoais. Submeta-se à Sua autoridade. Procure conhecer a vontade de Deus para sua vida.

É muito mais fácil “discernir” a vontade de Deus para nossos amigos ou parentes do que para nós mesmos. Temos uma facilidade enorme em apontar o que o outro deve fazer; difícil mesmo é saber o que nós precisamos fazer. O convite do senhor é “arrazoemos”. Não em busca de acúmulo de conhecimento intelectual, mas do conhecimento gerado pela comunhão com Ele. Só assim alcançaremos a verdadeira maturidade espiritual, gerada pelo conhecer a vontade de Deus.

Norbert Hugede em seu livro Le Christ Oublié (O Cristo Esquecido) disse: “Não se trata de ter uma opinião, mas de consolidar as bases de nossa fé. É uma questão de salvação, de vida ou de morte espirituais. É sobre o nosso destino eterno. No momento em que a humanidade se encontra em dias difíceis, é muito importante saber como disse Paulo, em Quem temos crido. É muito tarde para buscar água nas cisternas fendidas do pensamento humano, da filosofia e da ciência. É necessário voltarmos à fonte da água viva.”

Volte para Jesus. “É chegada a hora em que [...] Deus a quem tão prontamente responsabilizamos por todas as nossas infelicidades e desencorajamento, Se dirige aos homens, como fazia antigamente nas planícies da Judéia - aos homens de boa vontade. [...] O chamado é dirigido a cada um de nós. (...) Deus procura os que são Seus. Estes que, na luta decisiva, tomarão posição ao Seu lado.”

Loron Wade em seu livro “Os dez mandamentos: princípios divinos para melhorar seus relacionamentos” escreveu:

“Fazer Deus o primeiro significa deixar de lado ideias, interesses e pensamentos que entrem em competição com Ele ou diminuam Sua soberania sobre nossa vida. Esse conceito é a base, o princípio fundamental da verdadeira moralidade e do viver espiritual. É um princípio abrangente que nos permitirá avaliar as infindáveis decisões e alternativas que enfrentamos no dia-a-dia.

Em cada caso, perguntaremos: Como este vídeo, este jogo, esta amizade, este emprego ou esta propriedade vai afetar meu relacionamento com Deus? Quando realmente começarmos a viver dessa maneira, a ordem e a moralidade tomarão conta de nossa vida, a paz, substituirá a angústia, e a esperança afastará a depressão e o desespero. Somente então começaremos a compreender a obediência profundamente espiritual que Jesus descreveu no Sermão do Monte.

Muitas pessoas que instintivamente creem na existência de Deus não chegam ao ponto de torná-LO o primeiro em sua vida. Mas este é o único lugar que Ele pode ocupar se de fato for Deus. [...] Se não dermos a Deus o Seu lugar, se não tivermos feito Dele o Senhor de nossa vida, todos os outros mandamentos serão apenas regras morais que não têm o poder maior do que milhares de outras boas idéias.”
“Agora... que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, para guardares os mandamentos do SENHOR e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?” (Deuteronômio 10:12-13)
Você é muito especial para Deus e o seu lugar não é neste mundo onde muitos estão se perdendo assentados no trono da ilusão. Arrazoe com o Senhor, volte a ajoelhar-se e a ler a Sua Palavra de forma que você possa pesar e medir o que é realmente a felicidade. Algumas poucas décadas ou toda uma eternidade?

Não se preocupe com seus erros. Eles lhe levaram para longe de Deus, deixe agora que a misericórdia e a graça do Senhor lhe atraiam e volte. Deus lhe aceita

Permita que o Senhor aja em sua vida. Dê-lhe a concessão para que Ele desabroche de verdade a vida que está potencialmente concedida a você. Ele fará de você um campeão, mesmo que em seu viver possam haver os espinhos de um roteiro pleno de quedas e levantar.

Ele nos aceita de volta, não importa o que tenhamos cometido de pecado, eu sei porque essa está sendo a realidade da minha vida. Que Deus possa operar em você a transformação de um viver feliz e com esperança.


Ruth Alencar

Comentários

  1. "...eu sei porque essa está sendo a realidade da minha vida."

    Em minha vida também!

    Amém!

    ResponderExcluir
  2. Passei por um momento difícil essa semana e tive um pensamento: como posso eu não me perdoar se Jesus já me perdoou? Estou querendo ser mais realista que o Rei! Quem sou eu?
    Muitas vezes, é difícil perdoarmo-nos, mas se Ele já perdoou, quem somos nós que não nos permitimos sentir esse perdão em nossa vida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. encontre essa resposta e vc encontrará a paz. vejo que vc leu o texto que lhe enviei. Espero que ele lhe ajude.

      Fique na paz do Senhor irmão o mais difícil Ele já fez e vc aceitou. Agora é só viver a proposta do perdão divino e ser feliz. Lembre-se que o grande desejo de Deus é que sejamos felizes.

      grande e fraterno abraço

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2