Deus, Espírito Santo



“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.” (João 14: 16-17)

“Deus, o Espírito Santo, tomou parte com o Pai e o Filho na Criação, na vida de Cristo aqui na Terra, e na obra da redenção. Ele inspirou os escritores da Bíblia. Ele convence os seres humanos da verdade e do pecado, transformando aqueles que são receptivos á imagem de Deus. Ele traz dádivas espirituais à igreja, capacitando-a a testemunhar por Cristo. Como um dos membros da Divindade, o Espírito Santo sempre atuou com o Pai e o Filho neste mundo.” (Em Plena Certeza, 30)


A Pessoa do Espírito Santo

“Pedro afirma que Ananias e Safira mentiram ao Espírito Santo eles não mentiram a um ser humano, mas a Deus. Paulo salienta que o Espírito Santo compreende os mais profundos segredos de Deus, pondo assim o Espírito Santo em igualdade com Deus o Pai. Embora sejam um só Deus, as três pessoas da Divindade são retratadas na Bíblia como inter-relacionadas uma com a outra, da forma prevista entre pessoas.” (Em Plena Certeza, pág. 31)

Refletir : 

. Mateus  3: 16-17; 28:19

. Lucas 1: 35

. João 15:26

2 Coríntios 13:13

“A personalidade do Espírito Santo é evidenciada nas passagens bíblicas que lhe atribuem atividades executadas por uma pessoa em vez de por um mero poder, influência ou atributo de Deus.”1


A Obra do Espírito Santo

“Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.  Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.” (João 16;7-15)

“É possível que a pessoa e obra do Espírito Santo sejam menos compreendidas da dos outros membros da Divindade. Um dos motivos é a natureza de Sua obra apontar Cristo e o Pai em vez de Si mesmo.

Não é dito muito sobre o papel do Espírito Santo na criação. Mas um vislumbre a mais em Sua obra criativa é dada na obra de recriação que Ele opera em cada pessoa aberta a Deus. Não apenas o Espírito Santo inspira os profetas na produção das Escrituras, ele também ajuda as pessoas através das eras a compreenderem o que está escrito. Através de Seu ministério as Escrituras ganham a vida, tornando Cristo real para nós hoje, abrandando nosso coração ao Salvador, e capacitando-nos a viver para Ele.”1

“sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1:20-21)

Nas Escrituras muitas são as atribuições do Espírito Santo nos dias do Antigo Testamento

. O Espírito Santo age nos convencendo: “Então, disse o SENHOR: O meu Espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos.” (Gênesis 6:3)

. O Espírito Santo nos capacita: “e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício,” (Êxodo 31:3)

. O Espírito Santo nos purifica, nos transforma, nos ajuda a obedecermos a Deus, dando-nos discernimento: “Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis.” (Ezequiel 36: 25-27)

“Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.” (Zacarias 4:6)


O Espírito Santo, o Representante de Cristo

“O povo de Deus, durante o período do Velho Testamento, anelava pela vinda de dois membros da Divindade – Jesus o Messias e o Espírito Santo, através da “chuva serôdia”.1

“Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia.”

“E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões;” (Joel 2:23 e 28)

“Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.” (Mateus 1: 19-21)

“Naqueles dias, veio Jesus de Nazaré da Galiléia e por João foi batizado no rio Jordão. Logo ao sair da água, viu os céus rasgarem-se e o Espírito descendo como pomba sobre ele.” (Marcos 1:9-10)

“Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto,” (Lucas 4:1)

“muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo! Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados.” (Hebreus 9:14-15)

“Ele traz a presença de Cristo. Ele não somente apresenta a verdade de Cristo, mas traz a própria presença de cristo. Jesus disse: “Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei.” (João 16:7)1


O Espírito Opera em Nós

. Ele é chamado o Espírito da verdade para habitar com e nos discípulos: “o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.” (João 14:17)

. Ele é chamado de o enviado em nome de Jesus: “Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim;” (João 15:26)


Sobre o Espírito Santo disse João Batista:

“Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” (Mateus 3: 11)

“Durante a era patriarcal a influência do Espírito Santo tinha sido muitas vezes revelada de maneira muito notável, mas nunca em Sua plenitude. O Espírito veio sobre os discípulos, que expectantes oravam, com uma plenitude que alcançou cada coração. O Ser infinito revelou-Se em poder a Sua igreja. Era como se por séculos esta influência estivesse sendo reprimida, e agora o Céu se regozijasse em poder derramar sobre a igreja as riquezas da graça do Espírito.” (Ellen White, Atos dos Apóstolos , pág. 37-38)

“Em que extensão o Espírito Santo está ministrando em nosso favor hoje? Ele está envolvido em cada aspecto de nossa experiência cristã. Quando vamos a Deus é porque o Espírito Santo operou em nosso coração. Quando desejamos aprender mais sobre Deus na Bíblia e pedimos sabedoria, o Espírito nos conduz aos textos que devemos estudar, ajuda-nos a  obter uma clara compreensão por meio desse estudo e a explicar o que lemos à nossa vida. Dá-nos então forças para viver a verdade que aprendemos. Nossa compreensão sobre Deus e Jesus é o resultado do ministério de ensino do Espírito Santo.” (Em Plena Certeza, pág. 34)


Os Efeitos do Espírito na vida do cristão:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.” (Gálatas 5:22-25)


O Espírito Santo opera através de nós

. Que instruções deu Jesus aos discípulos?

“Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.” (Lucas 24:49)

Que foram comissionados a fazer assim que recebessem a promessa do poder do espírito Santo?

“mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” (Atos 1:8)

“Além de operar nos discípulos de Cristo, capacitando-os para o cumprimento de sua comissão, o Espírito Santo tornaria eficaz o que Jesus realizou por Seu grande sacrifício. Por meio de Seu poder o Espírito pode usar o evangelho para convencer o inconverso “mundo do pecado, da justiça e do juízo” (João 16:8)1

. Dons espirituais: “O Espírito Santo também fortalece a igreja e a igreja e as pessoas a través dos dons espirituais. Alguns dos quais são impressionantes quanto à natureza, enquanto outros são menos dramáticos, mas igualmente essenciais. Em Efésios 4:11 são mencionados vários dons do Espírito1: “E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres,”

“tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo; ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria.” (Romanos 12:6-8)

“Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso. Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente. [...] A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura, são todos apóstolos? Ou, todos profetas? São todos mestres? Ou, operadores de milagres? Têm todos dons de curar? Falam todos em outras línguas? Interpretam-nas todos?  Entretanto, procurai, com zelo, os melhores dons. E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente. [...] Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.” (1 Coríntios 12:4-11, 28-31; 13:1-3)

“Mencionado tanto nos primeiros como nos últimos versos da Bíblia, o Espírito Santo teve uma participação ativa na criação, inspiração, encarnação e redenção. Após a morte de Jesus, como Seu representante pessoal, o Espírito Santo foi comissionado a representar Jesus aos corações humanos.” (Em Plena Certeza, pág. 35)

Para reflexão:

“Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.

A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo. O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito.” (João 3: 1-8)

Se você quiser se aprofundar mais um pouco leia o capítulo “Nicodemos”, do livro “O Desejado de Todas as Nações”, que disponibilizamos para você.

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.

Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à carne como se constrangidos a viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.” (Romanos 8: 1-16)


O Pecado contra o Espírito Santo

“Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á isso perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir.” (Mateus 12: 31-32)

Um dos temas mais solenes em toda a Escritura são os pecados contra o Espírito Santo. E o pior pecado que um ser humano pode cometer contra o Espírito Santo é blasfemar contra Ele. A razão disto é clara: para este pecado não há perdão.

Chegamos agora a dois pecados contra o Espírito Santo que podem ser cometidos por cristãos:  entristecer e apagar o Espírito Santo. Quase tudo o que nós fazemos de errado pode ser incluso em um destes dois termos.


1- Entristecer o Espírito Santo:

“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (Efésios 4: 30)

“Tristeza” é uma palavra do “amar”. O Espírito Santo nos ama tanto quanto Cristo.

“Rogo-vos, pois, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e também pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas orações a Deus a meu favor,” (Romanos 4: 30)


Como um cristão pode entristecer o Espírito Santo?

Em Efésios 4: 20- 32 Paulo diz que tudo o que não combina com Cristo, em ações, palavras e pensamento, entristece o Espírito da graça. 

Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,  no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade. Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros. Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.”

Podemos saber o que entristece o Espírito analisando nossa conduta à luz das palavras que a Escritura usa para caracterizar o Espírito. O Espírito Santo é o espírito da:

. Verdade: assim tudo o que é falso, hipócrita O entristece.

“o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.” (João 14: 17)

. Fé: por isso, dúvidas, desconfiança, ansiedades e preocupações O entristecem.

“Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos,” (2 Coríntios 4:13)

. Graça: assim, tudo em nós que é duro, amargo, malicioso, indelicado e indisposto para perdoar e amar O entristece. 

“De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça?” (Hebreus 10:29)

. Santidade: por isso tudo que é impuro, sujo ou degradante O entristece. 

“e foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos, a saber, Jesus Cristo, nosso Senhor,” (Romanos 1:4)

Entristecer o Espírito Santo não implica perdê-Lo. O cristão continua selado por Ele; Ele não deixa de morar em nós. Nenhum crente parece entristecê-Lo a ponto de Ele o deixar totalmente.


2. Apagar o Espírito Santo

“Não apagueis o Espírito.” (I Tessalonicenses 5: 19)

A palavra apagar, aqui, significa "abafar”, “extinguir", e nos lembra o conceito bíblico de que o Espírito é um fogo.

Quando nós apagamos o Espírito, nós extinguimos o fogo. Não quer dizer que O expulsamos, mas que abafamos o amor e o poder do Espírito enquanto Ele está tentando executar através de nós o propósito divino. Podemos apagá-Lo de diversas maneiras, mas a idéia de fogo sugere dois aspectos:


1º- Um fogo se apaga quando lhe tiramos o combustível.

O fogo do Espírito fica bloqueado quando nós deixamos a alma adormecida, quando deixamos de usar o que a graça põe à nossa disposição, quando deixamos de orar, falar de Cristo ou ler a Palavra de Deus. Estas coisas são veículos que Deus usa para nos dar o combustível para manter o fogo. O Espírito Santo quer que nós usemos estas coisas para mantê-Lo aceso em nossa vida. 


2º- A outra maneira de apagar um fogo é jogar água ou terra sobre ele, ou sufocá-lo com um cobertor (úmido).

De maneira semelhante um pecado intencional apaga o Espírito.

Blasfemar contra o Espírito é um pecado cometido por descrentes. Entristecer e apagar o Espírito são pecados cometidos por crentes.  

O que é, então, blasfemar contra o Espírito Santo?

Blasfemar contra o Espírito Santo é resistir a Ele. E este pecado, quando praticado por muito tempo, leva à condenação eterna. O julgamento é certo para os que resistem ao Espírito. A única maneira de o pecador receber o perdão por este pecado é deixar de resistir ao Espírito Santo e abrir o coração para Jesus, de quem o Espírito dá testemunho. Somente o arrependimento nos dá esperança, deixando o Espírito atuar em nós. 


Como pode alguém saber se já cometeu o pecado imperdoável?

Ninguém que ainda está sob o poder perturbador, persuasivo do Espírito Santo cometeu este pecado. Enquanto o Espírito estiver se ocupando de uma pessoa, esta não cometeu o pecado imperdoável. Mas quando alguém tanto se opõe ao Espírito Santo que Este o deixa de lado, então esta pessoa está em perigo. Em outras palavras, o pecado imperdoável implica na rejeição total e irrevogável de Jesus Cristo. 

O pecado imperdoável, portanto, ou blasfêmia contra a Terceira Pessoa da Trindade, é a rejeição, de maneira completa e definitiva, do que o Espírito Santo diz sobre Jesus Cristo: que Ele é o Filho de Deus, o único que pode nos salvar dos nossos pecados.

Nossa oração então deve ser: “Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito.” (Salmos 51: 11)



Resumo:

“O Espírito Santo, a terceira pessoa da Divindade, sempre tomou parte ativa da obra divina na terra. Mas, desde que Cristo voltou para o Céu, o Espírito Santo tem desempenhado uma tarefa especial como representante de Cristo na terra: Introduzir o poder e a presença de Cristo em nossa vida.” (Em Plena Certeza, pág. 35)

______

Referência:

1- Por Crescendo em Cristo, lição 5 – pág. 21-23. União Nordeste Brasileira. 


Comentários

  1. Tive o prazer de estar presente nesta tarde de estudo sobre o Espírito Santo e foi uma grande benção. Volney foi realmente agraciado por Deus pelo dom de transmitir Sua Palavra.

    Muito obrigada, Volney, mais uma vez. O estudo que vc nos trouxe, principalmente no que discerne a diferença e em que consiste o blasfemar contra o Espírito e o entristecer ao Espírito é uma mensagem maravilhosa.

    Uma mensagem muito importantíssima e que todos precisamos, como cristãos, compreender sob o risco de perda ou ganho espiritual.

    As igrejas que professam o cristismo precisam compreender a verdadeira função do Espírito Santo. Função esta que está muito longe do provocar "shows", mas simplesmente a de manifestar a presença de Deus na mente e vida de Seus filhos.

    ResponderExcluir
  2. Amém... que Deus a abençoe sempre. Vc tb é uma bênção para Deus...

    Tão logo possa, estaremos juntos novamente

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2