A Vontade de Deus e Sua Palavra



por Morris Venden


O Livro - Introdução e Passos

Passo 3


O terceiro passo ao tentar compreender a vontade de Deus em sua vida é consultar Sua Palavra. Diz-nos o Salmo 119:105: "Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra, e luz para os meus caminhos." Se Deus está de fato nos guiando, Ele o faz através de Sua Palavra, e Ele nunca nos dirige de maneira que contrarie a Sua Palavra.

A Palavra de Deus nos é dada para ser mais do que simplesmente uma lição de História. É mais do que um relato da vida de pessoas que morreram há muito tempo. É mais do que profecia. É mais do que doutrina. É mais do que genealogia. É mais do que um livro de histórias.É a Palavra viva de Deus, que vive e permanece para sempre. 

Podemos aproximar-nos da Palavra de Deus de duas maneiras: primeira, em busca de informação, e segunda, à procura de comunicação. Constitui a Palavra de Deus uma valiosa fonte de informação? É claro que sim. Dá-nos um relato preciso da história da raça humana. Registra com fidelidade e imparcialidade tanto os fracassos quanto os triunfos do povo de Deus. É "inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça". II Timóteo 3:16. 

Podemos ter confiança de que a informação contida na Palavra de Deus é exata, e através da Sua Palavra Deus deu informação de que Ele conhecia as necessidades do Seu povo neste mundo enquanto o tempo durasse. 

Mas quando você recorre à Bíblia em busca de orientação, pode não haver um capítulo e um versículo específico para a decisão que você está tentando tomar. Suponhamos que você esteja tentando decidir-se para onde mudar-se ou que emprego aceitar ou se deve casar com uma pessoa ou com outra. Não há nenhum lugar nas Escrituras onde você possa encontrar um verso que diga: "Você tem obrigação de casar com Jaime", ou: "Você deve tornar-se um médico." E assim devemos compreender o segundo propósito da Palavra de Deus: comunicação. 

Poderíamos ir tão longe a ponto de afirmar que o propósito primário da Palavra de Deus visa a comunicação. Há uma grande diferença entre conhecer a respeito de Deus e conhecer a Deus. O apóstolo Paulo considerou o conhecimento de Deus como o mais importante aspecto da vida, pois ele disse em Filipenses 3:7: "Mas o que para mim era lucro, isso considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considerei tudo como perda,... para O conhecer." Escreveu Jeremias: "Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte na sua força, nem o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer." Jeremias 9:23 e 24. E disse Daniel: "O povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e ativo." Daniel 11:32. 

Visto que a Palavra de Deus deve ser uma via de comunicação e não meramente uma fonte de informação, devemos compreender mais uma vez que a base para conhecer a vontade de Deus em nossa vida deve ser sempre o relacionamento pessoal, diário e contínuo com Ele. Se você jamais soube o que significa usar a Palavra de Deus para comunicação e comunhão com Ele, a informação ali encontrada provar-se-á de pouco benefício. Mesmo que haja informação tão específica para sua situação que você não possa prescindir dela, você não terá a força espiritual para aceitar Sua Palavra a menos que se torne pessoalmente familiarizado com Ele. DEle deve provir não apenas a sabedoria, mas o poder para a obediência. Não é suficiente saber o que é certo e o que é errado. Devemos também saber aceitar o Seu controle para que possamos ser capazes de obedecer. 

Mas tendo você estado dia a dia em amizade e comunhão com Deus, e chega o momento de tomar alguma decisão em sua vida, você pode dirigir-se à Sua Palavra primeiramente em busca de informação e depois para comunicação com Ele onde quer que esteja faltando informação específica. 

É verdade que a Bíblia nos oferece muitos princípios de vida que podemos aplicar à nossa situação específica. Por exemplo, a Bíblia adverte contra o casamento com os incrédulos. Se você está escolhendo entre alguém cuja vida espiritual é compatível com a sua e alguém que não demonstra interesse pelas coisas espirituais, você deve ter à sua disposição um auxílio muito poderoso ao tomar tal tipo de decisão. A Bíblia nos adverte contra a desonestidade. Se você mentiu a fim de obter ou conservar um emprego especial, você pode saber baseado nas Escrituras que Deus não está conduzindo em tal direção. De sorte que mesmo que não haja um capítulo ou versículo específico para sua situação, pode haver princípios que se ajustam e que podem ajudá-lo a tomar a decisão correta. 

Contudo, há ocasiões em que você pode estar decidindo entre duas escolhas aparentemente "corretas", em vez de entre uma certa e outra errada. Você pode estar escolhendo entre tornar-se um professor de matemática ou um professor de ciências – em vez de escolher se deve tornar-se um professor ou trabalhar num cassino em Las Vegas! Às vezes as escolhas que estão diante de você parecem igualmente corretas à base dos princípios estabelecidos na Palavra de Deus. 

Em tais ocasiões, o beneficio das Escrituras como meio de comunicação está além de toda estimativa – juntamente com o uso de todos os oito passos para conhecer a vontade de Deus. Porque Deus é capaz de comunicar-lhe Sua vontade específica de alguma outra maneira além daquela que vem através de um capítulo e versículo. 

Pode haver ocasiões em que Deus o surpreenda com passagens específicas das Escrituras que tanto se aplicam à sua situação, quando você vai a Ele em busca de orientação sobre uma decisão específica. Talvez isto me tenha acontecido meia dúzia de vezes durante minha existência, quando a Palavra de Deus falou subitamente à minha atual decisão de um modo inconfundível. 

Em um verão eu vendia livros cristãos a fim de ganhar dinheiro para voltar ao colégio no outono. No primeiro dia meu assistente de vendas saiu para mostrar-me como vender livros. Enquanto eu estava ali e segurava a pasta, ele vendeu livros o dia inteiro. Parecia fácil! Fui para casa exultante e multipliquei o número de livros que tínhamos vendido naquele dia pelo número de dias do verão, e estava certo de que voltaria no outono com três ou quatro vezes a quantia de dinheiro de que necessitava para a escola. 

Então o assistente de vendas deixou a cidade. Dia após dia era a mesma coisa. Eu não vendia um só livro. Em breve eu fiquei muito desanimado. Agora tudo indicava que eu não iria conseguir um único estipêndio. Realmente, era fácil crer que poderia transcorrer o resto do verão sem que eu fizesse uma só venda! Uma noite eu estava tão desanimado que mal pude dormir. Na manhã seguinte eu estava tentando decidir o que fazer. Deveria ir para casa e esquecer tudo? Deveria continuar tentando, embora isto parecesse tão inútil, tão irrealizável? Fui impressionado a abrir a Bíblia, e o texto ao qual recorri estava em Salmo 42:11: "Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro em mim? Espera em Deus, pois ainda 0 louvarei, a Ele, meu auxilio e Deus meu." 

Esta mensagem da Palavra de Deus deu-me a coragem para tentar novamente. Em meu caminho para o trabalho, parei ao lado da agência do Correio. Havia uma carta esperando por mim de uma mulher a quem eu tinha mostrado os livros três dias antes. Ela decidira que estava interessada! Corri apressadamente para sua casa e fiz minha primeira venda naquela manhã. O Senhor havia começado a mostrar-me que não era eu quem vendia Seus livros. Ele o fazia. Se você já tentou vender livros cristãos, também já aprendeu esta lição. 

Uma vez quando minha esposa e eu estávamos pastoreando uma igreja em Oregon, recebemos um chamado para outro local e estávamos procurando saber a vontade de Deus para nós naquela decisão. Uma manhã eu estava embaixo no subsolo, em minha sala de leitura, orando sobre o assunto, e senti-me impressionado a abrir a Bíblia em busca de orientação. O texto que saltou diante de mim foi este: "O que ficar nesta cidade morrerá... mas o que passar para os caldeus viverá." Jeremias 38:2. Eu nem mesmo o havia visto anteriormente, e para encontrá-lo hoje teria de procurar. Mas refleti cuidadosamente sobre ele e indaguei se o mesmo se destinava à nossa situação naquele tempo. Eu não sabia quem naquela cidade estava tentando matar-me! Mas ele parecia estar falando quanto à decisão sobre a qual eu acabara de orar. 

Antes de mencionar isto para alguém, subi as escadas para o desjejum. Nosso filho, então com seis anos de idade, tinha à mesa sua pequena Bíblia multicor. Eu disse: 

– Filho, escolha um texto para lermos nesta manhã antes da oração. 

– Qual escolherei? – perguntou ele. 

– Isto não importa – respondi-lhe – escolha alguma coisa.

Ele abriu a esmo sua pequena Bíblia e apontou para um verso, entregando-me a Bíblia para que eu pudesse ler o que ele havia escolhido. Tomei a Bíblia e li: "O que ficar nesta cidade morrerá... mas o que passar para os caldeus viverá." 

Ora, não tomamos toda a nossa decisão baseados neste texto bíblico, embora estivéssemos impressionados, porque a probabilidade de tal coisa acontecer por acaso era esmagadora. Mas pusemos o referido verso na pasta de papéis e refletimos sobre ele juntamente com o resto da orientação do Senhor sobre os outros passos para conhecer Sua vontade. Isto fazia parte do peso da evidência que nos levou a aceitar o chamado e mudar-nos daquele lugar.

Então chegou a vez em Mountain View, Califórnia. Amávamos a igreja e o povo. Não queríamos partir. Não queríamos, especialmente, mudar-nos para a mistura de nevoeiro e fumaça do sul da Califórnia, que foi para onde nos levou nosso próximo chamado. Dissemos Não. Não tínhamos vontade própria no dado assunto! Mas o Senhor começou a virar-nos ao contrário, e uma manhã na hora do culto minha esposa recorreu ao verso em que Deus ordenou a Filipe que fosse para a banda do sul, para o lugar que é chamado deserto. Veja Atos 8:26. Depois de três anos no sul da Califórnia, ficamos deleitados ao encontrarmos outro texto, depois de termos sido convidados de volta para o norte da Califórnia, que dizia: "Tendes já rodeado bastante esta montanha: virai-vos para o norte." Deuteronômio 2:3. 

Ora, há um risco muito real que eu descobri ao contar estes tipos de histórias, porque as pessoas freqüentemente se esquecem de tudo o mais que foi dito. Olvidam os outros passos para conhecer a vontade de Deus e começam a tentar descobrir esta vontade exclusivamente à base de pôr os dedos nos textos. Não há nenhuma segurança em usar este como o único método para determinar a vontade de Deus. 

Você descobrirá freqüentemente, se tentar fazer isto por si mesmo, sem ser dirigido a tal coisa pelo Espírito Santo, que você acabará encalhado em algum lugar, não tendo nada que nem mesmo pareça orientação. Isto aconteceu comigo em uma ocasião. Conta-se também a história de uma pessoa que tentou isto como uma forma de orientação, à parte de qualquer outro método, e voltou-se para dois textos. O primeiro dizia: "Então Judas... retirou-se e foi enforcar-se", e o segundo dizia: "Vai, e procede tu de igual modo." S. Mateus 27:5; S. Lucas 10:37. Estando plenamente certo de que Deus não queria que ele tirasse a própria vida, pôs o dedo em um terceiro texto, que dizia: "O que pretendes fazer, faze-o depressa. " S. João 13:27. 

Assim eu gostaria de expressar-me publicamente como não recomendando este método para se descobrir a vontade de Deus. Todavia, ao continuar o seu relacionamento com Ele e procurar saber Sua vontade por todos os métodos que Ele tem dado, pode haver ocasiões em que Ele preferirá comunicar-Se com você através da Sua Palavra, conduzindo-o a um texto específico que expresse Sua vontade para você naquele momento. Talvez seja proveitoso lembrar-se em tais ocasiões que Ele não dará conselho específico de um texto a esmo que vai contra o conselho geral de Sua Palavra, em termos de princípios e verdade. Você pode também descobrir que em tais ocasiões Ele lhe fala nas próprias palavras que você Lhe tem apresentado, em suas orações sobre o assunto. Mesmo no relacionamento devocional diário com Deus, dá-se freqüentemente o caso de você deparar-se com algo em sua leitura para aquele dia que responde a própria pergunta que esteve em sua mente, sobre a qual você vinha indagando. 

Algumas pessoas podem estar apreensivas com tal subjetivo método de comunicação com Deus, contudo para aqueles que interrogam se Deus usaria ou não tal plano, é proveitoso lembrar que este jamais deve constituir toda a base de uma decisão. Mas Deus pode às vezes escolher fazer disto parte do pacote, operando Suas maravilhas de um modo misterioso. 

Lemos em Salmo 32:8: "Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir; e, sob as Minhas vistas, te darei conselho." Se você for a   I Coríntios 12, descobrirá que a igreja é comparada ao corpo humano, com diferentes partes tendo funções diversas, porém todas operando juntas para o bem do todo. Pelo fato de ser você um dos membros do corpo que parece pequeno e insignificante não significa que o seu lugar seja sem importância. Se qualquer parte do corpo é atingida, todo o corpo sente a dor. 

Paulo faz a comparação entre o corpo humano e os vários membros do corpo de Cristo. E neste contexto, há um texto interessante que se encontra em I Samuel 9:9. "(Antigamente em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia: Vinde, vamos ter com o vidente; porque ao profeta de hoje, antigamente se chamava vidente.)" Você já examinou esta palavra do Velho Testamento? O que é um vidente? Bem, um vidente é aquele que vê! Portanto, o profeta do Antigo Testamento era comparado aos olhos da igreja. 

De sorte que quando consultamos a Bíblia e a palavra do profeta de Deus, somos ajudados no conhecimento da vontade do Senhor. Poderia ser esta uma das maneiras em que Deus nos guia ou nos aconselha "sob as Suas vistas"? Não tenha isto em pouca consideração ao consultar o conselho inspirado do Senhor que tem sido outorgado à Sua Igreja. Teremos muitas ocasiões para sermos gratos pelo auxílio e orientação que tem sido dada por intermédio dos olhos da Igreja. 

Quão agradecidos podemos ser pelo dom da Palavra de Deus, por Sua voz através dos Seus profetas, para guiar e dirigir-nos no caminho em que Ele quer que andemos. Ela provê uma fonte poderosa e confiável para o conhecimento da vontade de Deus, quando consultamos Sua Palavra.


Comentários

  1. .
    .

    "Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte na sua força, nem o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer."Jeremias 9:23 e 24.

    E disse Daniel: "O povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e ativo." Daniel 11:32.


    Estou absolutamente convencido de que Deus se nos manifesta a cada instante da nossa existência. Tenho Lhe pedido que o Seu Santo Espírito me dê sencibilidade para perceber a Sua prensença, e ação, manifestas em meu viver. E, não são poucas as oportunidades em que posso afirmar, com certeza, que as providências divinas estão se manifestando de modo especial em minha vida.

    Antes de ontem à tardinha fui procurado por amigo que me trousse uma informação inesperada. Parecia um sonho! Ontem estive com ele tratando do assunto, e hoje já tive a confirmação concreta da bênção.

    Fatos como este foram uma constante em minha vida pública e privada, a grande diferença é que dantes eu não tinha a sencibilidade que só o conhecimento do Divino pode proporcionar,e então, tudo ficava por conta da "sorte", das "conincidências", do acaso. Mas, ainda agora, não são poucas as bênçãos recebidas e não percebidas e identificadas. É um processo evolutivo do aprendizado infinito.

    Isso ocorre a todo instante na vida de cada um de nós!

    Conhecimento, especialmente, conhecimento do Divino, é o que mais nos falta!

    .
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruth Alencar Dec 13, 2011 08:34 AM

      sim, o Senhor não é um Deus ausente ou que Se esconde...

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13