Nós e a Angústia de Jacó – parte 1 Refletindo sobre Hebreus 4


A mensagem bíblica do pecado perdoado é muito mal compreendida pela grande maioria dos cristãos. Infelizmente, até mesmo o próprio conceito da salvação. Há quem tema perdê-la se fizer a opção por ser cremado por ocasião de sua morte. É isso mesmo, já ouvi isso da boca de cristãos sinceros. Penso que esses cristãos deveriam refletir mais no testemunho dos mártires. Foram tantos os que testemunharam em fogueiras! Perderam estes a eternidade com Jesus? Certamente que não! É Deus tão limitado assim que não possa ressuscitar todos os Seus amados? O mais interessante é que o fato de ser colocado no fogo parece-lhes já um julgamento...

O cristão não pode ter dúvidas quanto a sua salvação. Muitos cristãos se privam da paz porque alimentam preocupações resultantes do pavor de fazer alguma coisa que os faça perder a salvação! Não compreendem ou se esquecem de que a salvação é uma iniciativa, uma providência, uma dádiva, uma conquista de Deus. A maior tragédia do cristão é quando compreende de maneira tão frágil sua salvação. A grande verdade é que, infelizmente, o princípio pagão do dar para receber está regendo o comportamento do cristão contemporâneo. Afinal, toda postura religiosa que age para que Deus reaja é paganismo.

Sabemos que há muito do primeiro Jacó, do primeiro Davi, do primeiro Paulo em nós.  Nosso passado muitas vezes nos entristece. Certas lembranças e atitudes passadas nos atormentam. Quando em nossa mente há o sentimento de culpa, somos aprisionados emocionalmente e fragilizados física, mental e espiritualmente.

Recentemente alguém que amo muito enviou-me um e-mail:

“[...] Ruth, resolvi te mandar um e-mail pra dividir algumas coisas que eu venho refletido ultimamente.

Bem, uma questão que gera muita dúvida pra mim é a questão da obediência. Algumas coisas são mais fáceis de fazer, mas outras nem tanto. A questão é que algumas coisas que fazemos e que Deus não gosta passa por uma questão além de obedecer ou não obedecer, passa por alguns aspectos das nossas vida, algumas expectativas, gostos. Algumas coisas são bem mais difíceis de deixar de fazer e não é algo que se consegue da noite pro dia. O primeiro problema vem em acreditar que Deus me aceita mesmo com esses pecados, acreditar que ainda assim posso buscá-LO e que posso contar com a Sua misericórdia. E, depois, para mim ainda é difícil abrir mão de mim mesma pra fazer algo pra Deus. Isso de 'deixar que Deus governe em lugar do próprio eu’. 

Isso me deixa meio desconfortável porque eu fico com medo de perder a salvação. E aí eu percebo que eu ainda tenho uma tendência de ‘querer ser boa pra mostrar pra Deus que eu sou boa’ e, no entanto, de acordo com o que eu entendo até agora, é o contrário. É buscar à Deus da maneira como eu sou agora para Ele mudar o meu caráter.  Eu sou salva pela graça, não pelos meus méritos, mas aí eu me pergunto o papel que essa obediência tem na minha salvação, se a falta de obediência pode me levar a perder a salvação. Às vezes eu acho que eu ainda não consigo acreditar na graça de Jesus, não que eu não acredite que Ele pode fazer, mas é como se ela não pudesse me alcançar. É estranho pensar isso, porque eu tenho meus pecados, mas eu nunca fiz nada de ‘horrível’, sei lá, nunca matei ninguém, sabe?

Quando eu comecei a ir pra igreja, eu me cobrava muito. Era até meio angustiante. Aí eu fui conversar com o Pr._____, e ele disse que eu me cobrava muito. E aí vem outra dúvida: como fica essa questão do ritmo próprio da vida do cristão? Quando eu posso ter certeza que Deus respeita as minhas limitações e que tem paciência no meu progresso? Às vezes eu acho que todos os meus problemas espirituais se resumem no fato de que talvez eu nunca realmente me senti querida por Deus, ou não me permito sentir isso, não sei bem. 

A minha crise espiritual começou há quase um ano atrás, quando eu me perguntei por que eu não buscava a Deus quando eu estava triste, com raiva, etc. Naquela época, eu cumpria várias regras - algumas delas eu já não cumpro com o mesmo afinco hoje em dia, mas nesse momento eu me perguntei em que medida aquele cristianismo que eu vivia mudava a minha existência, qual era o sentido disso.

E desde aí que eu venho buscado esse "sentido maior". Hoje, eu entendo que não é só ir a igreja e cumprir regras, a igreja não é uma espécie de clube. Hoje gosto de pensar em espiritualidade, em algo muito maior e abrangente, como uma forma de ver um mundo e um relacionamento íntimo com Deus, em que esse relacionamento melhora o meu caráter e faz diferença na minha existência.

E aí eu observei - é uma opinião, não sei até que ponto ela é correta - que algumas pessoas prestam atenção demais em questões menos importantes e deixam de lado o sentido maior. Certa vez, há muito tempo, eu fui almoçar na casa de uns irmãos da igreja e uma delas, que tinha acabado de se separar do marido e estava sofrendo muito, disse que uma pessoa da igreja tinha chegado pra ela e perguntado se ela achava apropriado usar brincos e se não seria melhor tirá-los. Eu fiquei me perguntando se o real papel do cristão nesse caso não seria dar apoio a essa senhora e não pedir pra ela tirar os brincos, que essa era uma questão muito pequena, enfim.

Eu quero te perguntar o que você acha disso, se você acha que isso faz sentido. E, ainda, onde fica o papel da lei diante desse "sentido maior"? Até que ponto vai a liberdade do cristão pra cumprir ou não ‘essas questões menores’? Ou isso não existe? [...]”

Amada de Jesus abra sua Bíblia e leia o que está escrito em  Hebreus4:1-16

Você é pecadora, eu também, mas não o somos porque pecamos. Pecamos porque somos pecadoras. A grande questão a definir é que há uma diferença entre sermos pecadoras e sermos ‘pecadeiras’. Tudo o que você está passando é reflexo do fato de que você tem se enxergado como você é. Sabe aquela parábola do fariseu e do publicano contada por Jesus e registrada em Lucas 18:10-17? Então, nesta parábola Jesus deixa um ensinamento maravilhoso! Ele ama os simples e honestos. Não se preocupe, Jesus sabe quem exatamente você é e ama profundamente você, principalmente quando você se preocupa em Lhe agradar e em fazer a vontade dEle. O que você precisa compreender é que Deus tem motivações próprias para amá-la, não precisa que você O estimule, entende? Você precisa confiar neste amor divino e permitir-se descansar no pensamento de que cada dia basta a sua dor.

Isto é, concentre-se no hoje, amanhã você pensará sobre o dia de amanhã. O que interessa é o dia de hoje. Comece o dia, cada dia, convidando Deus para estar com você, para lhe ajudar nos momentos de decisão. Será inevitável uma amizade forte, sincera, livre, tranquilizadora e feliz.

Deus não quer ser um fardo para você. Ele quer fazer parte da sua vida porque você compreende que depende dEle e Ele lhe faz bem. Deixe-me refletir um pouquinho com você. Sei que os brincos não eram seus, mas falemos do brinco, mas pode ser qualquer outra coisa, tá?

Estar usando um brinco causa dúvidas? Deixe-me dizer-lhe uma coisa, Jesus foi esmagado de dores, crucificado, humilhado... Intercedeu naquela cruz por você. Deu o que mais tinha de valor que era a Sua própria vida, para que através dessa doação você pudesse também viver.

Como pode um pequeno pedaço de metal impedir alguém de ser alcançado pela graça de Deus e consequentemente a salvação? Isso não faz o menor sentido! Deixem o brinco nas orelhas, mas, por favor, não deixem de acreditar que o que precisa ser feito para a salvação pessoal já foi feito.

Gosto dessas palavras do pastor Benedito Muniz: O cristão não obtém vitória na tentação. [...] Na tentação a vitória só se manifesta! A vitória é ganha na comunhão, diante do trono da Graça pela fé. Vitória na vida cristã não é uma experiência de momento, é experiência vivida a todo instante. Não esperamos por vitória, respiramos vitória! O cristão não anda em busca de, ele anda em vitória! Em Cristo a vitória não é uma experiência circunstancial da vida; é uma experiência da vida toda! [...] Deus com Seu perdão através de Jesus Cristo, creditando perdão em nossa vida resolveu a questão do nosso passado de culpa. A presença do Espírito Santo em nossa vida supera as debilidades emocionais, espirituais e nos dá vitória sobre nós mesmos e nosso ego doentio. [...] O pecado não reina mais, embora esteja presente. [...] A volta de Jesus vai encerrar a história do pecado e nos transformar à Sua semelhança no que diz respeito ao físico e às emoções porque o caráter Ele transforma agora.”

Você compreende essa última frase? A nossa transformação de caráter à semelhança de Jesus é um processo, o atual, por isso viva cada dia com o discernimento de que você precisa de Jesus para ser mais semelhante a Ele. Mas, viva em paz. Uma paz discernida da compreensão de que Ele lhe ama profundamente independente do que você faça. Essa comunhão diária semeará em seu coração o desejo de agradá-LO e esse desejo desenvolverá em você a sensibilidade para o fato de que o que fará você feliz é obedecê-LO. Tipo, fumar vai fazer adoecer meu corpo. Eu vou ficar doente e isto deixará o meu Amigo triste, não quero adoecer, nem deixá-LO triste, entendeu?

Na relação de amizade com Deus você e Ele tem que estar felizes. Ele quer que você se sinta linda a partir do seu interior. Então se você usa um brinco como fuga (vaidade) para assim lhe deixar mais linda aos olhos dos outros, está errado. Não devemos negligenciar a paz interior. Sabe aquela frase de Shakespeare: “Não espere que lhe tragam flores, decore você mesma o seu jardim”? Então, cuide, proteja suas emoções, seu senso de valor e amor próprio. Fortaleça o seu amor por você mesma... Tem que começar por ai. O problema não é o uso dos brincos ou qualquer outra coisa, mas os sentimentos que lhe fazem usá-los. Se há o amadurecimento emocional de que não é o portá-los que a torna mais linda, qual o problema de usá-los?

Ir à igreja não nos torna santos aos olhos de Deus. Mas, ir a igreja porque quero compartilhar com meus irmãos a palavra, o conforto espiritual e unir-me em adoração a Deus, isto é um culto agradável a Ele. Pense na igreja como um lugar aonde você vai para receber, mas também para compartilhar, para doar. E não há altar melhor para Deus do que o nosso coração!

Procure examinar as razões de suas escolhas e a partir daí vá processando onde tem que haver correções. Na sua busca diária por crescimento espiritual avalie sempre as razões de suas decisões e escolhas.  Tente encontrar descanso em suas decisões diárias e que elas estejam em sintonia com o pensamento de que sua paz espiritual só terá sentido se for por Ele e para Ele.

A mensagem de Hebreus 4:1-16 é simplesmente maravilhosa! Há um motivo urgente para que o ser humano dê atenção à advertência divina haja vista o fato de que, se por um lado, Sua promessa de entrada em Seu descanso (em Sua paz) continua de pé, por outro lado o não abraçá-la pode resultar em uma perda impossível de ser remediada, uma perda permanente das melhores bênçãos de Deus.

Essa promessa no descanso de Deus foi oferecida novamente a todos os homens mediante a pregação do Evangelho de Cristo. É isso que outorga os homens de ‘hoje’ a oportunidade de ouvir a voz de Deus. Isto nos ensina o quão bom é lembrarmos que conforme as Escrituras do Antigo Testamento quando os homens escutam a Palavra proferida por Deus, podem usufruir das bênçãos que Ele promete somente quando se tornam vitalmente unidos a ela por meio da resposta positiva da fé.

Você entende? O propósito divino é que Sua Palavra lhe proporcione descanso, não perda da paz. Não permita que a busca por uma demonstração prática de religião lhe tire do verdadeiro foco. Religião boa é aquela que nos permite compartilhar do descanso com Deus. Examine tudo o que lhe impede desse descanso. Acontece às vezes de ser o próprio conceito construído do que seja religião.

Estou tentando construir com você essa percepção. Não vou olhar este texto de Hebreus em seu sentido de descanso sabático apenas. Quero lhe levar a refletir no fato de que a entrada no verdadeiro descanso proposto por Deus dá-se principalmente no nível espiritual e consequentemente emocional e físico. Se o descanso sabático implica na cessação das próprias obras, tal como Deus descansou na obra da Criação no Seu Sábado de descanso, espiritualmente também nos é requerido descansar, abandonar nossas próprias obras. Deixar-se estar nos braços de Deus, confiante de que Ele proverá o que nos falta em nossa vida espiritual. Esse é o gozo do descanso da alma (do ser). É paz interior. É certeza de ser aceito por Deus. É aceitar a aceitação divina.

Por isso, o conceito de que o Céu começa aqui está correto. Estamos em processo diário de santificação, de mudança de vida. Esse é o tempo de dar-se perdão, liberar perdão e receber perdão. Ao decidirmos seguir a Cristo entramos já em processo de vida nova. Começamos a experimentar o Céu, o Reino de Deus, porque passamos a viver em novidade de vida, pois estamos em vida nova com Cristo. Quando damos esse passo, e você já o deu, tenho certeza, tornamo-nos crentes cristãos. Recebemos o status de cristãos, não podemos permanecer com a mentalidade de perdidos. Isto é incoerência! Isto nos impede de usufruir as bênçãos espirituais que o Senhor deseja nos conceder.

Louvo a Deus por essa sua sensibilidade. De fato precisamos ter zelo e nos esforçarmos para continuarmos nesse caminho, afinal é algo muito solene tornar-se uma testemunha negativa da verdade das promessas de Deus ao deixar-se cair e ficar para trás.  Afinal, a Palavra que escolhemos e decidimos ouvir não é qualquer palavra, mas é a Palavra de Deus. Ela participa dos atributos do próprio Deus. Ela é viva e por isso deve gerar vida em nós, não desespero. Uma de suas grandes bênçãos é gerar em nós poder para vivê-la em nossa vida prática, daí porque nos é necessário dela nos alimentarmos diariamente.

A Bíblia só é sagrada porque ela é a Palavra de Deus e contém a Palavra de Deus. Continue lendo a Bíblia e descanse no fato de que ela tem poder concedido por Deus, pois Ele está presente em sua vida, para penetrar como um bisturi dissecador e forçar uma aberta e radical divisão e distinção entre as coisas reais a abandonar e que tanto diferem na vida humana daquilo que lhe pode ser de fato uma benção. Será o contato diário com o pensamento de Deus, através da leitura de Sua Palavra, que porá em juízo os pensamentos e ideias de sua mente e vontade.

É através da leitura de Sua Palavra que somos confrontados por Ele, de Quem nada podemos ocultar. Aprendemos nessa experiência a sermos cônscios de que todas as coisas estão descobertas e patentes ao Seu olhar. E aqui é importante a nossa percepção com relação ao olhar de Deus.

Se O vemos como um Deus misericordioso e perdoador ou se Ele é um deus condenador e punitivo. Como está de fato você percebendo o olhar de Deus? Talvez na resposta que você der encontrará as respostas a toda a sua inquietação espiritual.

Afinal, quando abrimos Sua Palavra estamos dizendo fala Senhor eu Te escuto. É justamente a Ele, o Deus onde se originou essa Palavra, que todos quantos ouvem-na têm que dar uma resposta com sua própria palavra. Nesse momento temos que compreender que falar com Deus, andar com Deus, servir a Deus implica em poder olhá-LO e ser olhados por Ele, face a face.

Compreenda que você já está salva por Jesus. Não há nada que você faça ou deixe de fazer que lhe roube essa salvação. Ela está garantida pela Palavra de Deus: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. (João 3 16-17)

Você só precisa fazer uma coisa: aceitar essa salvação. Aceitar que Deus perdoou você e viver em consequência dessa certeza, dessa aceitação. Com o pensamento de que não é o que você faz ou deixa de fazer que lhe dá o status de salva, mas o que Jesus fez e faz por você é quem a garante.

Que Deus ajude você a percebê-lo como um Amigo, a amá-LO como Senhor  e a buscá-LO como Salvador.

Continuaremos...


Ruth Alencar






Comentários

  1. Ruth, eu cresci ouvindo tudo isso. É pecado usar isso, é pecado fazer aquilo..etc e etc. Hoje, o que entendo é o seguinte: Quando eu aceito a Jesus como meu Salvador, quando eu entendo o Seu sacrifício de amor por mim, a minha gratidão e felicidade é tão grande por saber que meus pecados foram lançados no fundo do mar, e que Deus vai me olhar através de Jesus, e que Ele pode me salvar, que automaticamente eu vou mudar. O meu amor por Jesus vai fazer com que eu tenha prazer em fazer a Sua vontade, não para agradá-Lo, mas porque eu estou transformada. Essa transformação é gradativa, à medida que eu ando com Ele. Mais comunhão significa maior amor e maior transformação. O mundo já não me interessa, é incompatível com a minha nova vida. Aí, eu tenho discernimento para fazer as minhas escolhas, como, o que vestir, como me comportar, o que usar, qual programa de TV assistir e assim por diante. Pela sua graça e misericórdia Ele me dá forças para escolher o que é bom e o que não é. Vou saber que não devo usar roupas inconvenientes na Sua Santa Presença, não preciso me preocupar em me enfeitar, porque "o coração alegre, aformoseia o rosto". Andar com Jesus assim como Enoque andou, vamos ser transformados. eu entendo assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Deus continue lhe dando sabedoria. Confie no Seu amor e cuidado. Acredite em Suas promessas de que estará com vc através do Espírito Santo. E é o Espírito Santo que nos dá discernimento sobre todas as coisas.

      Excluir
    2. Obrigada pelas palavras de encorajamento. Passei por alguns momentos de desânimo, por causa de um irmão, que deixou Jesus há algum tempo e tornou-se ateu. Fiz o que foi possível para que ele refletisse no erro que está cometendo, principalmente por estar agora atacando aos cristãos, com críticas e ironias. Isso está sendo triste para mim, mas decidi que vou apenas orar por ele, porque o diálogo se tornou impossível. Nosso Deus é misericordioso, confio n'Ele!

      Excluir
    3. Faça do seu silêncio um grande testemunho, revelando para o seu irmão o maior de todos os sermões: o do amor.

      Sabe aquele ditado que diz: as palavras convencem, mas o exemplo arrasta? Que Deus seja com vc. Seja sábia e deixe o Espirito Santo cumprir a missão dEle. Ele apenas Ele, nos convence de nossos erros.

      Excluir
  2. Eu gostaria de acrescentar o seguinte: Aquelas pessoas que me diziam, na minha infância, que eu tinha que guardar a lei, que não poderia fazer algumas coisas, porque se fizesse eu não iria para o Céu, eram pessoas sinceras, consagradas, mas pessoas simples. Naquela época não entendiam ainda completamente assuntos como a Graça e a Justificação pela fé. Esse assunto está sendo compreendido melhor nos nossos dias. Hoje temos grandes teólogos que estudam profundamente todas essas verdades e assim conseguimos aperfeiçoar o nosso entendimento. Nosso Pai celestial é misericordioso e compreende as nossas limitações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há quem diga que não concorda com a tese de que a verdade é progressiva.

      Acredito nessa essência da verdade com a compreensão de que isto não dá à verdade uma relatividade temporal, mas que Deus compreende nossa limitação e nos ajuda a vencê-la a partir de nossa própria vontade e disposição de querer crescer, aprender mais.

      Louvo a Deus por homens limitados como Martinho Lutero, mas que a despeito de todo um sistema de conhecimento estabelecido ousou estudar o conhecimento de Deus e Seu amor. Penso que é somente quando acreditamos nas verdades de Deus e não dos homens que conseguimos realmente crescer no conhecimento da verdade.

      Que Deus nos ajude a sermos de fato luzes e não sombras, sal e não fel.

      Excluir
  3. A graça e muito grande para ser medida por usos e costumes! Olhemos para Jesus!

    ResponderExcluir
  4. Ruth

    O que eu li me ajudou muito, de verdade. Eu não tenho nada específico pra comentar, mas eu não quero que você pense que o post não significou nada pra mim, muito pelo contrário. Me ajudou muito! Como as coisas ainda estão um pouco confusas, é como se eu não conseguisse me expressar bem em relação a isso, mas sinto que vou ler esse post mais vezes ao longo dos dias pra meditar sobre ele Eu só não encontro palavras pra definir o quanto você me ajuda, o quanto essas mensagens são importantes pra mim. Obrigada, mesmo. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amém... Que Deus continue lhe dando sabedoria. Confie no Seu amor e cuidado. Acredite em Suas promessas de que estará com vc através do Espírito Santo. E é o Espírito Santo que nos dá discernimento sobre todas as coisas.

      A resposta que dei para vc não termina aqui, haverá a segunda parte. Obrigada por compreender que esta resposta não é apenas para ser lida, mas algo a ser meditado. Que Deus seja com vc e não se acanhe a qualquer hora pode me contactar, vc tem meu telefone e e-mail. Bjs

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13