O Anticristo e seus braços de Atuação (final)

Continuando a reflexão tendo por base os textos de 2 Tessalonicenses 2 e de 1 João 2


"Um temor vigilante é o pai da segurança." 
(Edmúnd Burke)

No dia 20 deste mês o jornal francês “Le Monde” publicou uma matéria escrita por Louis Imbert sobre um caso de violência conjugal. Foi impressionante o rumo das investigações deste caso. A esposa que no início do processo começou como vítima findou também sob os braços da lei. Régine Labeur foi denunciada por seu marido. Preso por violência conjugal, em abril de 2009, o homem explicou aos policiais de Périgueux (França), que sua esposa não era psicóloga como alegava, pois ela não tinha diplomas. O que ela usava tinha sido usurpado. Foi assim que esta mulher, cujo nome constava entre os dos especialistas nas cortes da justiça francesa, foi desmascarada por falsidade ideológica. Régine Labeur foi condenada a 4 anos de prisão.

O que me chamou a atenção foi o fato de que até então as pessoas não haviam feito nenhuma queixa, somente quando ela foi desmascarada é que começaram a se identificar como vitimas. A reportagem fala que durante anos essa falsa profissional frequentou os gabinetes de justiça, esteve entre as autoridades sem ter jamais sua identidade questionada.

Qual o significado de usurpar? Usurpar é apoderar-se de (alguma coisa), mediante emprego de violência ou de artifício. E quais os sinônimos de usurpar? Burlar, despojar, enganar, esbulhar, espoliar, falsificar, fraudar e lesar.

É exatamente isto que o Anticristo tem em mente. Ele quer usurpar o lugar de Cristo. E ir mais além, ser como Deus. Mas, não como um deus qualquer! Ele deseja ser adorado como se fosse o Deus Criador. Quer o Seu trono e a adoração de Suas criaturas. Para isto, ao longo da história humana, ele tem burlado a verdade, falsificado sua identidade, lesado a fé de muitos. É um enganador. Um mentiroso.

Leia 1 João 2: 17-29. Destacamos: “Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que vem o anticristo, já muitos anticristos se têm levantado; por onde conhecemos que é a última hora. Saíram dentre nós, mas não eram dos nossos; porque, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; mas todos eles saíram para que se manifestasse que não são dos nossos. [...] Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse mesmo é o anticristo, esse que nega o Pai e o Filho.”

Anticristo é alguém que assalta a Cristo propondo-se a fazer ou preservar o que Ele fez, ao passo que O nega.1 Vejam que interessante. Cristo é negado por Sua natureza (Filho de Deus e consequentemente Sua mensagem é questionada). Mas, ao mesmo tempo utiliza-se do Seu discurso para ter simpatizantes. Compreendo que João, ao falar que “muitos anticristos se têm levantado”, poderia muito bem estar se referindo a uma índole, um espírito dominante, em muitas formas e pessoas. O fato é que João adverte que se quisermos ser membros do Corpo de Cristo, é necessário que sejamos mais do que simples membros da Igreja visível; e diz também que não devemos esperar seja a Igreja visível sempre composta só de verdadeiros crentes. João admite que ela pode até abrigar anticristos no meio dos seus membros professos. Seja como membro seja como líder.

Qual o contexto dessas palavras de João? Contraditoriamente, havia muitos cristãos que estavam tentados a aceitar o ponto de vista gnóstico de que o Cristo divino veio sobre Jesus, em Seu batismo, e dEle se afastou antes da crucifixão. Isto é, alguns recusavam reconhecer que o homem Jesus de Nazaré era o eterno Filho de Deus tomando sobre Si nossa natureza. Era o pensamento dessa negação que João estava combatendo. João a considerava a mentira fundamental, subversiva de toda a verdade. E ele chama a atenção para o fato de que se não é o próprio Filho de Deus, então não é o amor de Deus o que vemos revelado em Sua vida e morte. As Escrituras nos ensinam que somente em recebê-LO é que nos tornamos filhos de Deus (João 1:12); por consequência, se O rejeitamos, não somos membros da família celestial e não temos direito de chamar Deus nosso Pai.

Os gnósticos pretendiam possuir um conhecimento secreto, por isso privilegiado. Mas, João rebate dizendo que no cristianismo não há grupos seletos, especiais, e todos os cristãos têm conhecimento, pois o cristão é independente do homem e deve sua iluminação diretamente a Deus. Exatamente porque o Espírito Santo foi concedido a todos.

“Os gnósticos eram cristãos que a princípio queriam tornar o cristianismo mais aceitável a seus compatriotas alexandrinos, especialmente os líderes e intelectuais do povo. Seu grande problema, porém, era que o cristianismo original, aquele pregado por Jesus e pelos apóstolos, chegava a ser patético diante dos olhos do mundo grego de Alexandria. Ideias como encarnação, ressurreição, morte expiatória numa cruz, etc. não tinham boa receptividade entre os pagãos. Eram rejeitadas antes mesmo de se iniciar um diálogo. Então o jeito foi adaptar o cristianismo para torná-lo mais aceitável e menos preconcebido. Em outras palavras, o que fizeram foi modificar a figura do Jesus histórico (isto é, aquele que realmente existiu e foi descrito nos primeiros evangelhos) criando um Cristo gnóstico, mais elegante e aceitável ao povo grego.”2

Infelizmente esse mesmo erro foi repetido, sob outra roupagem, em outros momentos da história do cristianismo. Com a intenção de tornar o cristianismo aceitável ao mundo pagão e idólatra foi introduzido o culto às imagens de santos homens e mulheres. À luz das Escrituras Sagradas isto é antibíblico. E o que antes era apenas uma ‘estratégia educativa’ transformou-se num terrível caminho sem volta, pois o culto a imagens está oficializado em um importante grupo religioso cristão.

O dogma da adoração a imagens, hoje, é o carro chefe da profissão de fé católica. Respeito profundamente os irmãos católicos, mas clamo para que eles estudem as Escrituras e examinem se há apoio bíblico para tal prática. Ainda que isto esteja sendo ensinado em seus púlpitos por seus líderes. Abram a Bíblia, examinem, desejem conhecer a verdade e decidam se querem apenas admirá-la ou obedecê-la.

Por outro lado, as igrejas neopentecostais estão disseminando um evangelho estranho ao ensinado pela Bíblia. Se os católicos estão mergulhados no culto às imagens, muitos evangélicos adentraram na idolatria aos ‘milagres’. Muitos cristãos estão se acostumando com a religião dos ‘milagres’ e quando o filho da perdição, o belial, a besta, o iníquo, o dragão, o Anticristo se revelar operando prodígios e milagres; contrafazendo a vinda de Cristo, simulando ser ele o messias, muitos estarão tão embevecidos com a cultura dos milagres e do sobrenatural que não discernirão ser ele o Anticristo.

Paulo anteviu que muitos migrariam do cristianismo consciente para o cristianismo do emocionalismo, do ter e não do ser. Faço um convite a você, para que de Bíblia aberta ligue a televisão. Escute o que estão pregando os pastores das mais diversas denominações religiosas. Escute o que estão dizendo os padres e compare com o que Jesus e Seus discípulos nos escreveram nas páginas dos evangelhos. Há um grande número de cristãos que estão construindo sua fé alicerçando-a em homens, líderes religiosos e em objetos de culto. Estes facilmente serão dominados e enganados por falsos profetas e falsos líderes. A cultura de adoração a imagens, assim como o ‘culto’ ao sobrenatural, serão uma eficiente ponte de aproximação daquele que conduzirá a grande rebelião contra os que quiserem permanecer firmes no evangelho de Cristo.

Mas, louvado seja Deus porque em Sua Palavra nos deixou escrito que a salvação não está no status de religião. O que João quer que se compreenda é que o Evangelho não se presta a diletantismo intelectual ou espiritual; é uma simples mensagem que apela a uma vida disciplinada pela fé. Talvez porque a mensagem tenha essa característica simples, homens mestres em heresias sejam tentados a fantasiar e torná-la diferente do que é. Por isso, João exorta aos cristãos do seu tempo, e a nós também como seguidores de Cristo, para permanecermos com essa mensagem simples, simples como ela é.

Todos os dias somos surpreendidos    por ‘descobertas’ e ‘afirmativas’ na tentativa de contestar o que nos é ensinado na Bíblia. A atual vem de um papiro, ‘um fragmento que mede 4 cm x 8 cm – algo pouco maior que um cartão de visitas.  Alguns noticiários (felizmente não todos) divulgaram de modo sensacionalista que teríamos aqui o primeiro indício de que, contrariando a posição oficial do cristianismo, Jesus teria, sim, Se casado com Maria Madalena.”3





Você pode ler mais sobre essa notícia aqui 






Ao longo da trajetória humana, Satanás vem trabalhando na mente dos seres humanos para que não levem a sério a Bíblia. Alguns chamam de lenda o relato da história da criação e do jardim do Éden.  O que mais me espanta é que muitos cristãos assimilaram tais ideias. O grande objetivo de Satanás é que os seres humanos tenham aversão aos assuntos de Deus, fé e religião. Em sua luta contra Deus vai estabelecendo o poder que pouco antes da volta de Cristo se levantará contra Deus e Seus servos. Cada vez mais o número dos que são contra Deus está aumentando. Cada vez mais líderes religiosos vêm estabelecendo formas de religião totalmente antibíblica. Cada vez mais formas estranhas de adoração são instituídas nas igrejas cristãs... Mas, sensacionalismo não é espiritualidade madura.

Infelizmente, há muitos cristãos que se acostumaram com um cristianismo sem conhecimento, adotaram o cristianismo místico e descompromissado com a verdade.  Veja o que Jesus disse em Mateus 7:21-26.

Este verso bíblico é maravilhoso porque ele traça a linha divisória entre os que são e os que professam. Note que os dois grupos fazem, mas a razão pela qual se dá o exercício prático da fé faz toda a diferença para Deus. Tem que ouvir e praticar. Então o Senhor Jesus está dizendo aqui que as obras de cada um de nós tem o seu devido valor como identificação dos que fazem a Sua vontade ou não. Por isso que a Bíblia diz que a fé sem as obras é morta. Por isso, que nela está anunciado que a perseverança na fé passa pela questão da obediência à vontade de Deus. Por isso, que a Bíblia fala em um sinal de Deus e um sinal da Besta.

Leia: 


Não nos aprofundaremos neste texto na simbologia destes versos, porém, convidamos você, amigo leitor, a refletir um pouco no que a Bíblia explica com relação ao nome “Besta”. Em termos proféticos, Besta ou Animal significa Rei ou Reinos. Conversamos sobre isto neste texto aqui.

Na linguagem profética bíblica o Anticristo é identificado como o dragão, a besta. Na Bíblia está escrito que Deus tem um sinal de pacto com Seus filhos: “Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” (Jeremias 31:33)

A “Besta” é uma autoridade que se estabelece como poder. Um poder que persegue os que não se sujeitam aos seus interesses. Segundo os livros de Daniel e Apocalipse esse poder tem sucessores. Há um poder que cede autoridade a outro poder. Um poder revestido de características do que envolve o poder na terra: econômico, político e religioso. Leia Apocalipse 13:4-17.

Chamo sua atenção para o seguinte verso bíblico: “A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome”.

Se levarmos em conta que ‘fronte’ conduz à “mente”, não no sentido da intelectualidade, mas ao conceito da razão, do discernimento, da consciência, do livre arbítrio, da decisão e à ‘mão’ empregarmos o conceito de obras, ação, consequência do decidir, veremos que o que definirá a marca não é a marca em si, mas o que está intrínseco na questão que envolve e define o uso da marca. Aceitá-la significará obediência ou desobediência. A questão faz apelo, então, a dois senhores. No nosso caso, a Deus ou aos homens de poder (instigados por Satanás, Arqui-inimigo de Deus). Então, obedecer ou desobedecer implicará em adoração. A essência será, então, a rejeição da verdadeira adoração para com Deus.

O problema será então fazer a vontade de Deus ou a dos homens (sob o senhorio de Satanás). A “Besta” é o Anticristo, ou tudo o que se opõe a Cristo, Deus, ou à Sua vontade. Não é isto que tem efetivado a perseguição aos cristãos ao longo da História? O Anticristo no tempo do fim vai novamente se impor e mais uma vez o instrumento de depravação espiritual será a idolatria. Você entende agora porque digo que o culto a imagens é espiritualmente perigoso?

Quem diz a Bíblia ser o intercessor por excelência da humanidade?


Ninguém mais pode interceder pelo homem. Ninguém! Se alguém ensinar que há um outro intercessor está indo contra o que ensina a Bíblia. Cuidado com este ensinamento, pois ele conduz ao pecado do adultério espiritual: a idolatria. Obedecê-lo significa obedecer a outro que não Deus. Significa receber uma marca que não a de Deus. Este ato implicará na quebra de, no mínimo, sete dos 10 Mandamentos de Deus registrados em Êxodo 20:

1º mandamento: 1 “Não terás outros deuses diante de mim.”

2º mandamento: 4-5 “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; [...]”

4º mandamento: 8-11 “Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.”

No tempo que anteceder a volta de Cristo haverá um grande conflito e o ponto em discussão será a obediência a vontade de Deus. Grande sofrimento será imposto aos que decidirem não somente crer, mas também obedecer a Palavra de Deus vivida e testemunhada por Jesus Cristo enquanto aqui andou. Seu exemplo é a nossa referência como cristãos. 

Em 2 Tessalonicenses 2 Paulo nos diz que essa oposição a Cristo está por enquanto velada, mas no tempo profético ela se revelará e assumirá sua posição contra Deus e ontra tudo o que a Bíblia diz. Paulo fala de um poder que a restringe. É possível que Paulo falasse aqui sobre o próprio Deus limitando a ação de Satanás? Por que, então, Deus o retém? Compreendo que Deus deseja que todos tenham a oportunidade de ouvir o Evangelho. Deus quer que todos conheçam a verdade a fim de não serem enganados por Satanás.

Haverá um momento em que o Espírito Santo que hoje tem insistido aos homens para que busquem a verdade de Deus cessará Sua obra de sensibilização porque os homens decidirão que não querem saber de Deus. O Espírito Santo, porém, não será retirado dos filhos de Deus. Nenhum de nós venceria, nesta terrível época, sem o auxílio do Espírito Santo, pois o melhor que há em nós é obra dEle. A missão consoladora do Espírito Santo será fundamental para a paz e coragem que nutrirão os fiéis do Senhor nesta grande tribulação que proporcionará esse tempo de angústia e perseguição sem precedentes. Jamais o Espírito Santo abandonará os filhos de Deus. Ele veio para ficar, é nesse contexto que entendo o sermos morada Sua.



Próximo ao tempo em que acontecerá a volta de Cristo haverá um desafio aberto a Deus e Suas leis. Neste tempo haverá apenas dois grupos de pessoas, embora estejam cada uma com a sua fé denominacional:

1- os que aceitam a autoridade da ‘besta’ (o inimigo de Deus - o Anticristo) submetendo-se a ela e lhe rendendo adoração através da obediência à sua vontade;

2- os que discernem como autoridade suprema, incondicional e irrestrita o Deus criador de todas as coisas. Recusam-se a desobedecer a Sua vontade, rejeitando toda outra autoridade ainda que religiosa. E a despeito de ameaças contra sua integridade física, mental e moral e mesmo risco de morte, não cedem em seus princípios espirituais. Fazem parte deste segundo grupo os que atentam para os mandamentos de Deus e que creem em Jesus como seu único intercessor.

“Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis.”

Estes são os que escutaram a mensagem de Deus: 


No hebraísmo “filho da perdição” é aquele que está determinado para a destruição. Satanás é o grande mentor do sistema anticristo e os homens que não aceitam a autoridade de Deus e de Sua Palavra tornam-se instrumentos operacionais de sua grande rebelião contra Deus e tudo o que é de Deus. Em sua arrogância Satanás semeia no coração de homens religiosos a soberba, o orgulho, a vaidade de uma pretensa santidade. A princípio de natureza velada, restrita, ‘um mistério’. Mas, haverá um momento em que Satanás compreendendo que o tempo do fim chegou, deixará a prudência de lado e se levantará, aparecendo pessoalmente para imitar o ministério de Cristo. Por meio de falsos milagres, ele tentará desviar a atenção das pessoas do evangelho e simulará até mesmo a segunda vinda de Cristo. Haverá um momento em que ele mesmo se manifestará de forma tão enganosa que se possível enganaria até os próprios escolhidos. Foi Jesus quem o disse.

“Os anticristos não são ateus. Não são pagãos que estão lutando contra Jesus. São indivíduos que estão pregando um evangelho, mas que não é o verdadeiro. É um ‘evangelho diferente’.”4

Reflita sobre o que a Bíblia diz em 2 Coríntios 11:4, 13-15

Jesus preveniu a Igreja sobre o trabalho enganador destes falsos profetas. Em Mateus 7:15, 21-23 lemos: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores”. [...]

E em Mateus 24:4-5, 24-26: “Acautelai-vos, que ninguém vos engane. Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão. Porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que de antemão vo-lo tenho dito. Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto; não saiais; ou: Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis”. 

Compreendida esta verdade o que então fazer? Como reencontrar o caminho da verdade? Paulo mesmo dá a resposta em 2 tessalonicenses 2:15.

Que grande conselho e advertência há para nós aqui. Muitos estão em falta com Deus por anunciarem um evangelho estranho ao que ensina a Bíblia. Dizem alguns que Jesus já voltou espiritualmente. Este é um dos exemplos de muitos evangelhos estranhos que estão sendo ensinados nas igrejas cristãs. Talvez porque seja mais fácil dizer que Jesus já voltou e mais complicado dizer: prepara-te.

O que acontecerá a este Anticristo? Leia 2 Tessalonicenses 2:8-10 

Jesus voltará novamente a esta Terra e desmascarará Ele mesmo este enganador. A questão que se impõe, então é: de que lado você quer estar? Esse é o tempo de decidir, pois quando Jesus vier estaremos todos com o coração já decididos.



Referência:


2- Rodrigo Silva é professor no Unasp, apresentador do programa Evidências, doutor em teologia, especialista em arqueologia bíblica e doutorando em arqueologia pela USP





Ruth Alencar

Comentários

  1. Desculpem a extensão, mas tive que juntar duas partes num só texto, meu computador começou a apresentar problemas e tive receio de que ao desligá-lo ele não volte mais a ligar...

    Já perdi um computador dessa forma e como alguns leitores me pediram para postar este estudo até sábado aqui está.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a reflexão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu feedback. Que Deus abençoe vc.

      Excluir
  3. Sabe, Ruth, meu maior desejo era ver Jesus voltar. Não queria morrer. Mas vira e mexe me vem à cabeça que quem estiver vivo no tempo do fim passará por uma tribulação tão grande, uma angústia tão inigualável que equivalerá à morte. E penso que isso é justo, pois Deus é tão infinitamente misericordioso que, aqueles que ficarem vivos até a volta de Jesus, não poderiam ser privilegiados. Eu já decidi de que lado quero estar. Só não decidi se quero morrer ou passar por essa "angústia pior que a de Jacó".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, não se angustie por isso. Pedro, o discípulo de Cristo foi um covardão no início, mas depois quando recebeu o Espírito Santo e amadureceu espiritualmente foi um bravo.

      Creio fortemente na promessa do Senhor quando Ele diz que o Consolador estará conosco para sempre. O amanhã não nos pertence, agarre-se a verdade de que Deus está no controle e Ele enviará Seus santos anjos para estar com Seu povo neste período de prova. Passaremos o que pudermos passar. Ele é justo e não permitirá nada a nenhum de Seus filhos se não puderem vivenciar.

      Preocupe-se com o hoje. Viva como se Jesus viesse agora. Seja fiel ao Senhor, ame ao seu próximo, tenha zelo por sua vida espiritual e não se deixe levar pelos enganos desse mundo, tudo aqui tem uma data para findar. Sua expectativa e esperança devem ser no que é eterno.

      Creia que se vc tiver que passar por essa prova, o Senhor lhe capacitará. Vc só tem que zelar a cada dia de buscar e permitir que Jesus faça parte de sua vida. Sem ansiedades, mas com o infinito prazer daqueles que experimentam a paz que somente a amizade e o amor de Jesus podem proporcionar.

      Um grande abraço, seja corajoso e persevere na fé e no amor de Jesus

      Excluir
  4. Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ler sua reflexão Ivani Medina. Depois comento. Obrigada por sua leitura e participação.

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

O Rio Jordão: As Águas de Naamã