O Amor que não se vende e não se compra

Ontem fui ao funeral de uma pessoa que não tive muita proximidade, mas era alguém por quem eu nutria uma grande simpatia. Nunca vi essa pessoa com expressão de zanga. Ao contrário, era um senhor bem alegre e que costumava dizer expressões bem engraçadas em suas conversas.Ontem fui ao funeral de uma pessoa que não tive muita proximidade, mas era alguém por quem eu nutria uma grande simpatia. Nunca vi essa pessoa com expressão de zanga. Ao contrário, era um senhor bem alegre e que costumava dizer expressões bem engraçadas em suas conversas.

Meu cunhado, que foi durante muitos anos vizinho seu, foi convidado a dizer algumas palavras e através do que ele dizia pude conhecer um pouco mais sobre esse senhor. Que interessante alguém ser lembrado por sua extrema bondade e prazer em servir aos outros! Meu cunhado falou a verdade, esse senhor ali naquele caixão era bem isso.

Mas, onde estavam todos os que ele ajudou e serviu enquanto viveu? Éramos poucos, muito poucos, os que fomos prestar-lhe o companheirismo nesse momento em que ele realmente dependia de que alguém o colocasse em um lugar de repouso para que ele pudesse descansar até o dia da ressurreição diante de nosso Senhor Jesus Cristo.

Ele era um homem de fé, semanalmente ia à sua igreja para fazer orações. Mas onde estavam os irmãos de sua fé? Onde estava o líder espiritual de sua igreja?

Aquela família, esposa, filha, neta, e irmãos estariam sozinhos se não fossem os vizinhos. Foi inevitável não me perder nos turbilhões de pensamentos que invadiam minha mente...

Minha tristeza se acalmou quando toda a verdade que eu sabia sobre a morte, a ressurreição, o poder da ressurreição de Cristo veio como que a socorrer minhas emoções. Meu coração se encheu de alegria e meu peito ardeu de desejo para falar aquela esposa e filha tão chorosas. Aproximei-me delas, que eu conhecia apenas de passagem, cerquei-lhes com meus braços e falei-lhes da esperança da ressurreição e do consolo que elas poderiam buscar em Jesus Cristo. Certamente houve autoridade em minhas palavras porque sua esposa olhou-me nos olhos, estendeu a sua mão agradecida e com um sorriso nos lábios disse: ‘Muito obrigada por terem vindo...”

Depois disso o que passou então a arder foi a minha mente depois de suas palavras: “... por terem vindo”. E eu refleti longamente sobre a missão da Igreja. Jesus ia até os doentes, tristes, mortos... Meu Deus quanta responsabilidade tem o cristão! Não podemos ser ausentes em meio a uma humanidade tão carente do conforto, do consolo, do conhecimento da verdade. Que Deus tenha misericórdia de nós e que Seu Santo Espírito nos examine, nos sonde, nos transforme para que possamos discernir sobre a nossa verdadeira missão.

Não há em nós, do Blog Nossas Letras, o espírito de acusação. Compartilhamos o pensamento de que “não temos necessidade de lançar pedras contra a igreja de Cristo, pois Satanás já faz tudo o que ele pode neste terreno. [...] temos melhor a fazer do que ser descobertos ajudando o inimigo na denúncia, acusação e condenação. Procuremos restaurar, e não rasgar, desencorajar e destruir.” (Review and Herald, vol. 6, p. 516)

Mas, não podemos negligenciar ou nos omitirmos diante desse quadro triste que tem sido o testemunho dos que anunciam uma fé em Cristo baseada na negociação do ter.

Algo tem que ser anunciado por nós em cumprimento da ordem de nosso Senhor Jesus Cristo. E com certeza não é o dinheiro e suas comodidades! A grande certeza que tenho é que há muita coisa sendo anunciada em púlpitos e testemunhada pelos cristãos que não fazem parte da mensagem de Deus. A cada um de nós é dito para falarmos a Palavra de Deus ao mundo que não a conhece. Mas, há muitos que têm pregado e vivido uma doutrina estranha ao Evangelho. Para estes, que têm escutado “tradições, teorias e máximas humanas” o convite é: “Ouçam a voz d’Aquele cuja palavra pode renovar a alma para a vida eterna”.


Imagens do site: Púlpito Cristão 

Gostaríamos de compartilhar essa oportuna reflexão sobre a Teologia da Prosperidade publicada pelo site: Evangelho Urbano 

“Em alguns anos de experiência percebi que de nada adianta denunciar e criticar o falso evangelho e falsos profetas se não dissermos a verdade para os ouvintes. De nada adianta negar o falso evangelho sem apresentar o verdadeiro! Quero falar sobre isso hoje, mas deixem-me continuar a história.” Continue a leitura aqui
Há muito mais pela web, entretanto, não é enfatizando o erro, a mentira que a verdade é estabelecida. Assim sendo, continuaremos com nosso projeto de compartilhar com nossos leitores a verdade como compreendemos segundo a Bíblia.  Cremos que tudo o que o homem precisa para sua salvação e espiritualidade está na Bíblia. Este é o livro por excelência!

Algo precisa realmente ser destruído a fim de que o que permaneça seja a Verdade. Deus chamou Saul e o ungiu com óleo de Sua benção e ele foi feito rei. Mas, Saul apostatou ainda que exercesse sua autoridade como rei. E foi substituído pelo próprio Deus que o ungiu.

Deus não está omisso diante da omissão dos professos cristãos e a seu tempo Ele age. Façamos a nossa parte na missão que o Senhor nos comissionou e descansemos na certeza de que Seus olhos estão atentos e que Ele  é Juiz.

Uma profunda e verdadeira reforma começa a ser o grande desejo dos que abraçaram o verdadeiro Evangelho. Esse é o tempo, o hoje. Hoje é o tempo de fortalecer a fé através do espírito de oração, humildade e relacionamento com Cristo. Não há outro caminho. Não podemos dar o que não temos de fato. Precisamos de Cristo em nossas vidas, somente assim poderemos compartilhar o Seu amor e as virtudes de Sua presença.

O que temos a mais a dizer, e que dizemos na grande certeza da nossa fé, aos que ainda duvidam, que sofrem e que choram, é que longe, bem acima dos homens há um Deus que abençoa e que vigia. Ele conhece e sabe sobre a maldade humana, inclusive dos que professam Seu nome, quando ela se revela, mesmo sob o escudo da religiosidade, de forma má para estragar a fé dos que procuram conhecê-LO.

Aos que buscam ao Senhor e Sua bênçãos dizemos, Deus não Se vende, nem vende Sua misericórdia e bondade. Desconfie de quem usa o nome do Senhor Jesus e dá um preço, ou barganha com a sua fé. Não há a verdade neles.



Ruth Alencar

Comentários

  1. Linda a sua atitude de consolar pessoas em momento tão difícil! Creio que Deus te usou para consolar aquela família! Apesar de tanta coisa ruim que ha no mundo, conforme relata o texto, é muito bom saber que os servos de Deus continuam tendo atos de misericórdia.
    Deus a abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2