As mães e o Salmo 23


O salmo 23 é o poema da confiança e esperança. Ele fala do pastor que está sempre conosco. 

Costumamos escutar pessoas dizerem que as mães são anjos que o Senhor nos dá de presente. Excetuando as cruéis, sim mães são como anjos. Embora não estejam presentes a olhos físicos, seus ensinamentos, conselhos e intercessões, através das orações, nos dão consolo e abrigo em momentos de inquietação, medo, solidão e angustia.

Eu sinto isto, mesmo que minha mãezinha esteja descansando o sono dos justos... suas palavras e conselhos sempre surgem em minha mente. Ela foi perfeita em sua missão. Ela me ensinou algo maravilhoso! Ensinou-me sobre o amor de Deus. Como é bom saber as verdades do Senhor!

Como é bom saber que embora estejamos separadas pela morte, um dia essa saudade será extinta. O Senhor prometeu dar ressurreição a todo aquele que nEle crê. Mamãe creu e pautou sua vida neste princípio. Mamãe tinha em Jesus um grande Amigo. Ela amava o Salmo 23. O salmo do bom pastor.

O pastor do salmo 23 e as mães têm muito em comum, eles amam suas ovelhinhas. Eles se preocupam com elas, saram suas feridas, lhes consolam, lhes alimentam, lhes protegem, lhes dão descanso.

O amor de mãe é o exemplo do amor perfeito! Deus, para falar do Seu amor por Seu povo, o utilizou como exemplo: “Poderá uma mulher esquecer-se da criança junto ao peito, e não demonstrar compaixão pelo filho do seu ventre? Ainda que se esquecesse, eu não me esquecerei de você. Eu a gravei na palma das minhas mãos, seus muros estão sempre diante de mim.” (Isaías 49:15-16)

Embora Sião pudesse duvidar do poder de Deus e imaginar-se um filho abandonado, Deus reafirma misericordiosamente o amor e o cuidado que por ela tem. Deus os abençoou com Sua bondade ainda que eles tivessem em cativeiro. Ainda que Seu povo Lhe tenha sido infiel, Deus não anulou o pacto que pronunciou quando se relacionavam. Isto porque Seu amor e poder são eternos e incondicionais.

"Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: "Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas.  Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram.  Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. “Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor." (João 10:7-16)

Deus é o eterno pastor. E Ele, do alto do Seu trono, observa os caminhos de Suas ovelhas. Ele é justo em Seu julgamento e será rigoroso com os líderes espirituais, tanto quanto será com as mães que forem negligentes em sua missão de ensinar, proteger, cuidar e educar. Veja o que encontramos em Ezequiel 34:5-10:

"Assim se espalharam, por não haver pastor, e tornaram-se pasto para todas as feras do campo, porquanto se espalharam. As minhas ovelhas andaram desgarradas por todos os montes, e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andaram espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem perguntasse por elas, nem quem as buscasse.” Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: ‘Vivo eu’, diz o Senhor DEUS, ‘que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas; Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: ‘Assim diz o Senhor DEUS: "Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto’.”

Só um Deus tremendamente amoroso e preocupado com Seus filhos poderia ter idealizado as mães. É interessante perceber que a palavra em hebraico ‘pastor’ tenha as mesmas letras que a palavra mal. A primeira palavra nos mostra a proteção que devemos ter contra a segunda.

הָרוֹעֶה    = O pastor
רָעָה      = Mal

Muitos cristãos não acreditam no amor de Deus, pelo menos não tanto quanto afirmam. Se aceitamos Seu amor, por que o medimos a partir de nós e não Dele mesmo, que é o sujeito desse amor? Olhamos nossos pecados, os maiores são sempre a referência de medição, e dizemos: Ele não me perdoará... foi feio, foi grave, o que fiz! Esquecemos muito facilmente o que escrito está: “Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, [...]” (Romanos 5:20)

Você crê no perdão de sua mãe? Então não duvide jamais do perdão de Deus, pois Ele ama profundamente mais que as mamães, mais do que eu como mãe posso amar aos meus filhos!

Uma mãe quando ama, ama incondicionalmente e perdoa de maneira divina!

O primeiro passo então é reconhecermos que o amor de Deus não provém de nossa bondade, nossa moral, nossa espiritualidade, mas DEle mesmo! Seu amor repousa em Sua própria essência. É, portanto, incondicional e imortal como Ele É. Deus absoluto, Onipotente e Onipresente. A verdade do amor incondicional de Deus se expressa com mais firmeza exatamente quando a queda é mais profunda. Paradoxalmente, é quando nos percebemos indignos que aflora em nós o discernimento desse amor tão constrangedor.

O profeta Isaías assim se refere aos cuidados de Deus: “Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente.” (Isaías 40:11).

Uma mãe em seu amor profundo é capaz de dar a sua vida pelas de seus filhos. Jesus Se apresenta como o Bom Pastor: “conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.”

Quem é a primeira pessoa que vem à nossa mente quando estamos com um problema? Muitos dirão: mamãe.

Jesus amava e se interessava tanto pelas pessoas que expressou a importância do sentimento de segurança.   Em Mateus 11:28-30 nos é dito: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.”

Jesus afirmou de Si mesmo: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.”

Àqueles que O aceitarem como Senhor e Único Deus nesta vida não é prometida uma vida isenta de problemas e aflições, mas é garantido o sustento e o conforto pela esperança de que haverá um novo lar. E neste lar nunca mais haverá lágrimas, nem decepções, nem frustrações porque Deus fará tudo novo. As primeiras coisas serão passadas, pois o Grande Conflito entre o Bem e o Mal terá atingido o seu ápice e Deus fará justiça.

E Ele ressuscitará todas as mamães que estão descansando... inclusive a minha! E novamente terei minha mãezinha de novo! Ouvirei sua voz, sentirei seu abraço, seu perfume... poderei tocar novamente em suas doces e macias mãos”

Que Deus abençoe todas as mamães e que os filhos as valorizem. Neste dia especial para você mulher mamãe o nosso desejo de uma vida plenamente abençoada pela presença de Deus.


Ruth Alencar


Comentários

  1. Salmos 23

    O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.
    Minha mãe é minha protetora e nada me faltará.
    Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.
    Deitar-me faz em limpos lençóis , guia-me mansamente a um sono tranquilo.
    Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
    Sempre acalma meus sofrimentos; guia-me pelos caminhos do Senhor, por amor ao Seu nome.
    Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.
    Quando fico doente, ou se chegar a beira da morte, não temerei mal algum, porque ela está comigo. O teu amor e teu carinho me consolam.
    Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
    Ela me protege dos meus inimigos, abençoa-me todos os dias. E minha gratidão e amor por ela, transborda.
    Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias.
    Certamente a tua bondade e o teu amor, me acompanharão todos os dias da minha vida, até nos encontrarmos com o Senhor e vivermos com ele por longos dias!

    Ana Cristina

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

O Rio Jordão: As Águas de Naamã