O Custo do Discipulado


“Defendam-me contra a opinião do mundo, e eu os defenderei na presença do meu Pai no céu. Mas não pensem que vou protegê-los se vocês se acovardarem e fugirem!” (Mateus 10:32-33) 
Discurso duro esse! E qual é a opinião do mundo? 

‘Não vale a pena seguir o caminho da fé. Esta é a vida que temos para viver. Não há um Deus para amar, não há um Deus de amor.” 

“No centro da mensagem bíblica está a mais bela história contada, do Deus Criador que, na pessoa de Seu Filho, deixou a glória do Céu para salvar a humanidade do pecado e da morte. Jesus Cristo veio ao mundo no momento exato, a fim de salvar os que nEle cressem. Essa é a maior história e o mais decisivo evento ocorrido no mundo. Nosso destino futuro depende de nosso relacionamento com o Messias que veio e voltará novamente. Os judeus dos dias de Cristo conheciam muito bem essas profecias do Antigo Testamento. No entanto, eles se concentraram mais nesse aspecto triunfante do Messias, em vez de em Seu sofrimento e morte. Hoje, podemos correr um perigo parecido. Enquanto muitos estão estudando profecias bíblicas, a tendência é demorar-se em questões periféricas e em especulações, enquanto o maior dos acontecimentos está prestes a ocorrer. As profecias não foram dadas para satisfazer nossa curiosidade, mas sim para que tenhamos o foco certo e vivamos de maneira coerente com o evento que estamos aguardando."  (Pr. Luiz Gustavo S. Assis)
“Se não forem até o fim comigo, ainda que o caminho seja acidentado, vocês não me merecem. Se a prioridade de vocês é cuidar de vocês mesmos, jamais irão se encontrar. Mas, se vocês se esquecerem de vocês mesmos e me buscarem, irão encontrar-se e a mim também.” (Mateus 10:37-39)

Há um principio a compreendermos: a conversão e perdão nos liberta dos fardos dos pecados, não das responsabilidades do discipulado. Há um custo. Um caminho de testemunhos a percorrer.

“Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por Minha causa, a encontrará.” (Mateus 16:25)
"O método de Cristo é o ÚNICO que trará verdadeiro êxito em alcançar o povo. O Salvador Se misturava com as pessoas como alguém que desejava o bem delas. Mostrava simpatia por elas, ministrava às suas necessidades e ganhava sua confiança. Então dizia: 'Siga-Me'" (Ellen G. White, A ciência do bom viver, p. 143).

Faça o que Eu faço. Ame incondicionalmente e de maneira voluntária. “O mais provável símbolo de nossa dedicação não é que, literalmente, damos a vida, mas que oferecemos a vida em serviço pelos outros,”1

‘O ÚNICO método; não há outro. Podemos gastar tempo e recursos desenvolvendo técnicas humanas, estratégias humanas, métodos humanos, mas, dessa maneira, só iremos fracassar. O método de Cristo é mais simples, mais barato e o único que traz verdadeiro sucesso.’ (Matheus Cardoso)

‘O mundo mudou muito desde que os primeiros discípulos pagaram com a própria vida para viver por Cristo. No entanto, ainda existem países em que a intolerância religiosa é tão grande que essa violência é praticada entre fiéis de diferentes religiões.

No entanto, talvez ainda mais traiçoeiro seja o clima em que muitos de nós nos encontramos: Não importa como as pessoas praticam sua fé nem mesmo se a praticam. A ascensão do secularismo e do materialismo, em muitos países do mundo, deixa pouco tempo para a busca da espiritualidade autêntica.

O essencial é reconhecer que a vida do discipulado tem suas próprias recompensas, tanto agora como no futuro.’1
“Se não forem até o fim comigo, ainda que o caminho seja acidentado, vocês não me merecem. Se a prioridade de vocês é cuidar de vocês mesmos, jamais irão se encontrar. Mas, se vocês se esquecerem de vocês mesmos e me buscarem, irão encontrar-se e a mim também.” (Mateus 10:37-39)
'Eu vim para acender fogo sobre a terra, e como queria que já estivesse aceso! Vim para mudar tudo, para acertar tudo, e como queria que tudo já estivesse concluído! Acham que vim para facilitar as coisas e deixar o ambiente agradável? Nada disso! Vim causar conflito e confronto! De agora em diante, numa casa com cinco pessoas, será assim: Três contra dois, e dois contra três; Pai contra filho, e filho contra pai; Mãe contra filha, e filha contra mãe; Sogra contra nora, e nora contra sogra”. (Lucas 12:49-53)

O que Jesus quis dizer com isto? Estava Jesus menosprezando as relações familiares?

‘Jesus queria que eles compreendessem que nenhuma obrigação humana é desculpa válida para não tomar a cruz da lealdade, obediência e serviço a Cristo. Quando Ele disse ‘vem após Mim’, Ele na verdade está nos convidando a ir pelo caminho do discipulado e do sofrimento.

A lição de Jesus é simples, mas cheia de implicações profundas. Sempre que a família recebe precedência e Cristo Se torna secundário, Jesus abre mão do Seu senhorio. Servir a vários senhores é impossível. Cristo certamente apoiava as fortes ligações familiares. Tais conexões, no entanto, recebem força de um fundamento inabalável. O fundamento é amar a Deus sem reservas e acima de tudo. Deus desaprova todas as barreiras, interrupções e distrações. O discipulado cobra o preço mais alto: lealdade total a Cristo.

Discipulado significa aceitar Cristo como Salvador e Senhor. Seguir Jesus significa que você está pronto a passar pelo mesmo sofrimento que Cristo suportou. [...] Se os cristãos desejam proclamar a mensagem completa de Deus, não podem ignorar a cruz que devem carregar.’1


‘Ao longo da História, milhões de cristãos anônimos sacrificaram a vida por Cristo. Eles foram presos, torturados e mesmo executados. Milhões preferiram abrir mão de seus empregos, sofrer ridículo, suportar o abandono da família e perseverar sob perseguição religiosa, a abandonar Cristo. Só Deus sabe a plena extensão do sofrimento que Seus fiéis têm sofrido.1

. Jesus me mostra o custo em segui-Lo: Ele deu a própria vida para que cada um de nós fosse resgatado e reconduzido para a vida. Como discípulos Seus devemos estar conscientes de que este é o custo para nós também: dar a nossa própria vida por Cristo e Seu Reino.

. Jesus me mostra o benefício em segui-Lo: a vida eterna com Ele. 

‘A vida do discipulado tem dificuldades, mas tem muitos aspectos positivos. Oferece este mundo alguma coisa que faz com que a oferta de Cristo não valha a pena? Certamente não.’ 

Por definição a vida do discípulo requer disciplina. Em alguns países ser cristão significa riscos de perseguição e mesmo de morte. Mas, hoje o desafio enfrentado pela maioria dos cristãos, pelo menos nos países secularizados, industrializados, é viver como discípulos espiritualmente vigorosos, vibrantes. Em muitos lugares o cristianismo está incrustado de tantas tradições obsoletas, inúteis e sem vida que se tornaram irreconhecíveis para aquela primeira geração de cristãos que ‘viraram o mundo de cabeça para baixo’ (Atos 17:6)

Os valores do reino, o amor de Cristo, a graça, a misericórdia, a justiça e a liberdade são tão discordantes dos valores apreciados pelo mundo que, quando nos engajamos parece que estamos nadando contra a correnteza.

Vocês estão cansados, enfastiados da religião? Venham a Mim! Andem comigo e irão recuperar a vida. Vou ensiná-los a ter um descanso verdadeiro. Caminhem e trabalhem comigo! Observem como Eu faço! Aprendam os ritmos da graça. Não vou impor a vocês nada que seja muito pesado ou complicado demais. Sejam Meus companheiros e aprenderão a viver com liberdade e leveza (Mateus 11: 28-30)

Cristãos bem equilibrados não pensam somente em coisas espirituais. Eles estão empenhados em ser cônjuges, pais, colegas e amigos. Levam a sério a palavra de Jesus: ‘vocês são o sal da Terra’ (Mateus 5:13), e não têm medo de participar da sociedade. Ainda praticam as disciplinas espirituais de estudo da Bíblia, oração, testemunho e serviço. Por causa disso influenciam o mundo mais do que o mundo os influencia.'1

____

. Versões utilizadas da Bíblia: Bíblia a Mensagem, e King James.

 Ruth Alencar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2