Conversando sobre o filme "Êxodo: Deuses e Reis"


O filme "Êxodo: Deuses e Reis"1 do diretor Ridley Scott, liderou as bilheterias dos cinemas americanos neste primeiro fim de semana em cartaz com arrecadação de US$ 24,5 milhões. Isto é um fato. Confesso que não sei se esta cifra representa muito em relação a outros lançamentos. No Brasil este filme estreou ontem, 25 de dezembro de 2014.

Ridley Scott foi diretor de muitos filmes. Entre eles cito ‘Kingdom of Heaven’ e ‘O Gladiador’. Enquanto produziu Kingdom of Heaven Scott afirmou ter recebido ameaças de morte por parte de extremistas islâmicos. Centenas de soldados foram disponibilizados pelo governo marroquino para protegê-lo. Contraditoriamente, apenas um dia antes da estreia em Hollywood de “Êxodo: Deuses e Reis", as autoridades² marroquinas decidiram banir o filme do seu território. Isto apesar do Centro de Cinema Marroquino (CCM) ter dado sinal verde para sua exibição no país, no qual a indústria cinematográfica é dirigida pelo Estado. Qual a razão? Não sei! Terá o ISIS alguma influência sobre esta decisão? Talvez o cuidado em não ‘excitar a sensibilidade muçulmana’ tenha sido levado em conta.

Segundo alguns críticos dos filmes de Scott fica a impressão de que ele gosta de transformar o ‘cristianismo medieval numa ideologia sanguinária de fanáticos, tiranos e ladrões’. Isto porque o Ser, objeto de adoração do cristianismo,  é também considerado ‘sanguinário e injusto’? 

Registro, embora de forma superficial, o alerta para a realidade do pensamento de que as três grandes religiões, islamismo, judaísmo e cristianismo, sejam estigmatizadas como causas de grande parte dos males e sofrimentos humanos. Ou mesmo, para que se evite o pensamento de que  uma delas seja mostrada na tela como única autora de crimes. Que diremos, então, da Santa Inquisição?

Não podemos negar o fato de que conflitos políticos e ideológicos, antigos e atuais, têm historicamente se utilizado da fé como escudo e causa geradora. Ao ponto tal que a religião tenha se tornando o bode expiatório da modernidade no contexto de conflitos entre povos e nações. Porém, isto não é nenhuma novidade. Centenas de ‘guias iluminados’, no século XVIII, promotores do movimento iluminista, prometeram que, com a extinção da fé cristã, uma nova era de paz e tolerância se espalharia sobre a Terra. Curiosa e ironicamente desde então, movimentos políticos ateístas e mesmo os Estados laicos já mataram muitos em guerras e ditaduras. O homem, sempre o ser humano...


Qual a trama do filme “Êxodo: Deuses e Reis"? 

É a história da saga envolvendo Moisés e como ele guia os escravos hebreus para fora do Egito. Estaria Scott realmente com intenções a respeito do caráter de Deus? Duvido. Acho que ele queria apenas produzir um filme que gerasse lucro a partir do entretenimento. Em minha opinião a história central de ‘Êxodo: Deuses e Reis’, está o embate entre Moisés e o faraó Ramsés. O aspecto religioso do filme ganha vulto pelo fato de que há o personagem Moisés, figura real e importante na história de duas das três maiores religiões monoteístas, o Cristianismo e o Judaísmo.  

Ridley Scott mesmo definiu seu posicionamento espiritual: ‘Sabe, eu sou basicamente agnóstico, o que equivale a dizer que não tenho certeza da verdade.  Mas tenho uma sensação de que há coisas ali que devem ser reais. E quanto mais eu me aprofundo, mais a Bíblia se torna incrível como um livro de histórias’.3

Particularmente, o filme Os Dez Mandamentos resta imbatível na tela do cinema quando penso em tentativa de fidelidade ao texto bíblico. Imagino como seria sua produção com a tecnologia moderna.

Em relação ao filme "Êxodo: Deuses e Reis" o fato para mim é que, a exemplo de Noé e outros filmes com pretensão a uma origem bíblica, provavelmente alguns detestarão, outros o apreciarão apenas como mais um filme de entretenimento. Outros ainda irão enxergá-lo como um documento histórico. Porém, muitos o perceberão com uma pretensão com fundo religioso. Penso que, dependendo da experiência pessoal que cada um traz consigo, seja provável que todas essas interpretações se tornem verdadeiras. Eu gostei do filme como entretenimento, talvez porque não o tenha assistido com esperança de vivenciar a experiência de um relato bíblico fiel, mas confesso que acho que o filme pode tornar-se uma ‘isca’ em busca do aprendizado da verdadeira história. Meu esposo, por sua vez, detestou!

Ainda sobre o filme só digo que a mente humana é fértil em encontrar solução segundo os homens. Se você quiser conhecer a verdadeira história da intervenção divina na história de 400 anos de escravidão e sofrimento do povo hebreu há uma fonte fidedigna: a Bíblia.

Nela você encontra o relato dessa intervenção nas letras fidedignas do caráter de um Deus que ama e de um amor que faz apelo à verdadeira justiça. Um Deus que alinha a Sua vontade, sem com isso submetê-la, à própria história escrita pela humanidade.

As coisas segundo Deus não acontecem, nem precisam acontecer, segundo a força humana, mas acontecem e sempre acontecerão segundo o Seu Espirito. Além do mais, a despeito da fé ou não, Deus não pode ser impedido quando Ele quer agir. Ele permanece ativo como sujeito da História. Tudo está sob o Seu controle, inclusive reis, reinos e governos. E até mesmo todo o sofrimento experimentado pela humanidade.


Você pode ler aqui alguns comentários e ver o trailer sobre o filme nos links abaixo:

Êxodo: Deuses e Reis | Segundo Trailer Legendado HD | 2014








O que eu penso acompanha o pensamento de Chris Nashawaty, da Entertainment Weekly: “É possível acompanhar um filme, catalogando mentalmente seus absurdos, e ainda sair deslumbrado da sessão? [...]”. Assisti o filme em 3D e resta a admiração pelo contexto tecnológico.

Ao empregar a figura de uma criança estaria Scott tentando ‘retratar’ a imagem de Deus, registrada no Antigo Testamento tão comumente por certos leitores da Bíblia como um Ser cruel e vingativo? Duvido! Melhor, que grande engano, pois os que conhecem a verdade dos registros sagrados sabem muito bem que não há um Deus do AntigoTestamento e um Deus do Novo Testamento.

Provocou realmente Deus as pragas do Egito? Creiam que sim. Aliás, há um julgamento de cada ser humano sendo processado neste instante e este resultará num agir de Deus no limiar da história da humanidade e da vida em nosso Planeta Terra. Deus é amor, por isso é justiça. Ou seria porque Ele é justiça, Ele é amor? O fato é que o ‘mal’ não tem e não terá a última palavra!

Choca a morte dos primogênitos? Leia o que está escrito em Isaías 53. Por causa do Seu amor pela humanidade Deus também sentiu a dor da perda do Seu Filho Unigênito.

‘Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca.’

Se a intenção de Scott foi oferecer uma visão cientifica (naturalista) em relação às pragas, em minha opinião foi frustrante, pois os que se relacionam com Deus sabem muito bem que Ele é o Deus do impossível para nós.

Somos tolos quando pensamos e fazemos ‘justiça’.  Nossa tristeza não é a mesma coisa da tristeza divina. Nossa vingança também não obedece a essência dos Seus sentimentos. Sofremos porque somos altivos de espirito. Teimamos em viver longe da verdadeira fonte da Vida. Deus não quer apenas que sobrevivamos... Ele quer que tenhamos vida plena. A verdadeira justiça faz apelo à vida plena.

Se você quiser conhecer como Deus intervirá na história deste mundo leia a Bíblia. Ela é a única fonte da verdade a respeito de Deus, Seus planos e caráter.
O resto é apenas entretenimento...

Sobre o filme, eu gostei e indico, a despeito de suas divergências de como a história verdadeira é contada na Bíblia. Só penso que não custava nada contar a história como ela de fato aconteceu. 

Concluo deixando o convite para que você a conheça. Assim como também indico que leiam antes a história do Êxodo do povo hebreu, contada segundo a Bíblia no livro de Êxodo, antes de ir ao cinema. Sem qualquer pré-conceito tente aprender sobre Deus e como Ele pensa e sente verdadeiramente a respeito do ser humano, a respeito de você. Você também compreenderá que muito, muito mesmo, do sofrimento humano tem a ver com nossas escolhas e decisões. E que em Deus e com Deus há sempre uma infinita possibilidade de esperança.

E se você quiser ir além em sua busca pela verdade, prossiga sua leitura, mas desta vez do Gênesis ao Apocalipse. 

Você compreenderá que Deus tem preparado, já realizou e já está realizando um grande plano de redenção para a humanidade.

De que lado você deseja estar?


Como reflexão complementar indicamos:



Ruth Alencar
https://www.facebook.com/pages/Nossas-letras-e-algo-mais/227716473951867

__________

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2