O cântico de Deus

Este texto é uma transcrição do BibleCast 12 feita por Paulo Scarassati Filho  e adaptada para o Nossas Letras. Os Prs. Diego Barreto e Junior Flores buscam entender porque o que há de pior parece estar sendo usado por Deus. Baseados em Apocalipse 21, Juízes 15:63, II Samuel 5:6-9, Mateus 23:37, Isaías 62:5-7; 49:17,18, Isaías 7:14, Ezequiel 48:35 e Levíticos 26:11,12 eles analisam toda a história da “Igreja de Deus” para entender porque somos a igreja de Deus, sendo nós tão indignos.

Este texto é uma transcrição do BibleCast 12  O Cântico de DeusSe você quiser ouvir o áudio com o diálogo original aqui. Ou ainda na versão vídeo do Hiperlinkados:



Por que cântico de Deus, eu nunca vi na bíblia alguma história de que Deus cantou? Você vai saber no final, vamos deixar pra você entender o tema no final. Falaremos de um cântico especifico que na verdade é como se fosse um desabafo, um clamor de Deus. Poderia Deus desabafar? [...]

Eu sempre fui deixado por último na escolha. O grandão, desengonçado, responsável por bicar a bola ou a canela pra longe. As minhas ordens eram claras, você fica na zaga e você quebra qualquer um que passar.  O que aconteceu com os discípulos foi a mesma coisa. Os discípulos eram pescadores, homens do trabalho braçal, você não encontra ali intelectuais, porque eles foram banidos da escola dos fariseus. Chegava num período em que se escolhia quem continuaria os estudos dos fariseus e seria um mestre e quem não dava pra isso ia trabalhar com sua profissão, profissão do pai, e esse era o caso dos discípulos.

Jesus não escolheu nenhum gênio, não pegou Paulo logo de cara. Eles eram: Pescadores, iletrados, analfabetos, cobrador de impostos (lembrando que o cobrador de imposto era considerado um traidor). Um judeu cobrando impostos a judeus para Roma. Colocando, inclusive, o valor de lucro que lhe aprazia. Empobrece os seus conterrâneos para poder se enriquecer a mando de Roma. Esse era Mateus. Tinha ladrão: Judas tinha essa característica! Eram também homens braçais, homens humildes, homens com pouco conhecimento, até mesmo desequilibrados emocionalmente. Essa era a equipe de Cristo, e pra completar temos um terrorista: Simão o zelote.

Zelotes eram os terroristas que queriam derrubar Roma pela força, pelo terrorismo, pela violência, uma seita de guerrilha. Era um ‘Che Guevara’! Havia os orgulhosos, os covardes. Na verdade, todos eram, só João ficou ao lado de Jesus quando foi preso. Daí vem a historinha que aprendi no seminário. Chegou Jesus no Céu e os anjos O receberam, e falaram assim: ‘Senhor, qual que é o plano B, porque aquela galerinha que você deixou ali baixo não vai dar em nada não!’

Em tempos de copa do mundo suponhamos que você fosse o técnico Dunga e tivesse que escalar uma seleção, você levaria exatamente quem ele levou? Se você estivesse lá e visse Cristo convocando Seus discípulos ficaria do lado dEle? Afinal, tinha João Batista que estava pronto. Nicodemos, gente fina, gente rica, gente poderosa que estava querendo ficar no lado de Jesus. Lembra que os escolhidos haviam sido enviados para fora da escola? Por serem pescadores, por exemplo, os rabinos disseram que eles não serviam. Por que Jesus não chamou Paulo, Nicodemos? Por que Ele não foi atrás de gênios desconhecidos? Ou você acha que não tinha! [...] Tinha um monte de gente assim espalhada e que, certamente, Jesus sabia quem eram. E por que ele não foi atrás delas? [...]


A vitória é de Cristo

Tem uma experiência que vivi que pode ajudar a entender um pouco isso. Eu era líder de desbravador no interior de Minas Gerais, e lembro que ensinei uma brincadeira para os desbravadores. Era uma brincadeira que fizemos de madrugada. Havia uma bandeira de cada lado e dois grupos. O desafio era tentar pegar a bandeira do outro. Era o nosso primeiro acampamento, e quando você tem 16 ou 17 anos você acredita que liderar é parecer herói. Então, eu tinha duas coisas na minha cabeça: tinha que ganhar e eu não podia perder, afinal eu era líder! Tiramos o par ou impar, e como nunca fui um bom competidor de nada, eu sempre fui o maior perdedor de par ou impar. Quando você perde no par ou ímpar, o outro cara vai pegar quem? De cara o melhor, e foi o que ele fez. Ai eu pensei, vamos fazer um negócio diferente, eu peguei dois carinhas que eram de confiança e depois comecei a pegar só os ruins. Sabe o gordinho lento que sempre é deixado por último? Aquele que você não ia chamar de jeito nenhum! [...]

Na formação dos grupos para o desafio chamei somente os ruins, até que chegou o ponto em que os caras de lá não estavam entendendo o que estava acontecendo e meus amigos de confiança vieram perguntar: “Diego o que está acontecendo, você vai acabar com a brincadeira, só tá com ruim aqui. Só que os ruins, estavam com uma cara tão boa, mas tão boa! Estavam animados! Eram os 300, vestiram a camisa do negócio! Moral da história, nós ganhamos. Naquele dia eu entendi uma coisa: Quando você ganha quando tem os melhores não é você que ganha, são os melhores! Quando você tem um time como o time de Cristo, quando você vence, quem ganha é Cristo. Quando você vê esses caras convertendo um terço da população mundial ao Cristianismo... Foi por intermédio dos 12 que hoje temos um terço da população mundial relacionando-se com o cristianismo. E isto num período em que não existia a mídia digital. Não existia correio como existe hoje, internet, telefone, televisão, nada disso! Você vê essa vitória e você entende que essa vitória não foi desses homens. Essa vitória é de Deus, por isso Cristo os escolheu.

Quer dizer então, e agora quero falar pra você que acha que, quando olha pra igreja e diz: “por que esse é meu pastor?”, “por que esse está nessa posição?”, “por que essa pessoa tem tal cargo?”. Talvez você diga: “eu acho que essa pessoa não deveria estar lá nesse cargo”, “tem outra melhor”. Em tempos de Conferência Geral, estamos aí elegendo os departamentais da divisão sul americana, talvez você pense assim, “esse deveria, esse não deveria”, é sobre isso que gostaríamos de falar com você nessa semana.


Plano B

Talvez você olhe pra igreja e você pense: ‘Senhor, olhando pra igreja como ela está hoje, qual é o plano B? E eu não falo isso só por causa dos membros, eu falo por causa dos pastores, dos líderes. Falo também por minha causa. Falo pela igreja adventista, mas também falo pelas outras que estão por ai. O que está acontecendo com o cristianismo em geral, e ai qual é o plano B? [...]. Jesus fala de amor ao próximo, mas isso parece uma teoria. Ele ensina sobre o perdão, mas ninguém que perder. Ele fala da graça e insistimos em justiça. Ele pede obediência e insistimos no nosso pecado. Ele pede a igreja para Si, mas continuamos querendo a igreja pra nós! Ele diz que vai voltar, mas não tem ninguém esperando. Que igreja é essa? Como essa igreja vai vencer no final? Ele pede para darmos a outra face, mas nós damos o outro punho. Que igreja é essa?

Em vários momentos você é tentado a achar que algumas pessoas não deveriam estar onde estão. Somos tentados a questionar e talvez se pergunte, por quê? E é um questionamento válido, não estamos falando daqueles questionamentos mal feitos, estou falando daqueles válidos. Você olha para a pessoa e fala: “esse cara não podia estar ai!”. “Por quê?” Ele te dá todas as razões reais. Às vezes você pensa, “eu não deveria estar em lugar nenhum”.

Alguém da sua igreja lhe convida para pregar. Você diz: “Eu não! Não deve ser eu”! Porque você olha para usa vida. Olha pra aquilo que você faz. Você acha que não serve. É disso que queremos falar essa semana. Da nossa visão da obra de Deus. Às vezes a gente olha pra obra de Deus e tem a tendência de achar que tem alguma coisa errada. Será que tem algo errado mesmo?


Jerusalém, a noiva

Então vamos começar pelo fim da história. Para entendermos como essa igreja, do jeito que ela está agora, como ela vai terminar sua história, precisamos começar pelo fim que a gente conhece. Afinal de contas João já nos revelou o que vai acontecer no final. Abra sua bíblia em Apocalipse 21:2: ‘Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo do céu da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para seu noivo.’

Apocalipse 21: 9 a 11: ‘Veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, cheias das sete últimas pragas e falou comigo: Vem cá, e mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro. Levou-me pelo Espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a santa cidade de Jerusalém, descendo do céu da parte de Deus, e tendo a glória de Deus. O seu brilho era semelhante a uma pedra preciosíssima, como pedra de jaspe cristalina.’

A cidade santa, Jerusalém, é a representação do povo de Deus. Oseias 40: “O que eu vou fazer em Jerusalém é o que eu vou fazer com o povo”.  Cidade é a representação do povo de Deus, e termina a historia mostrando o encontro com o povo de Deus com Cristo, e vem em glória a cidade santa, adornada. Ela não é chamada de outra coisa senão pura, santa, separada, e ela está adornada, bonitona, toda brilhante, cheia de pérola, e aqui Deus está falando do Seu povo. Você olha e vê Seu povo todo diferente do que a gente vê hoje. Diferente do que ele é agora diante dos meus olhos, diferente do que você vê na sua igreja ai. Para poder entender como que chega nesse ponto do final da história, vamos ver como essa história começa.


Jerusalém solteira

A primeira citação que temos de Jerusalém está em Josué 15:63. Antes de você ler, lembre-se de que estamos tão acostumados a ler Apocalipse 21 que negligenciamos captar a essência. O contexto é que o povo invade Canãa, finalmente chegaram na terra prometida, expulsaram todo mundo que estava lá. Lembre-se do relato do verso 63: ‘Quanto aos jebuseus, que habitavam em Jerusalém, os filhos de Judá não os puderam desapossar; mas os jebuseus ficaram habitando em Jerusalém com os filhos de Judá até o dia de hoje.

Quer dizer que eles tomaram a terra prometida e os jebuseus estavam exatamente em Jerusalém. Primeira citação de Jerusalém, e então vemos que Jerusalém não é uma cidade instituída pelo povo de Israel, criada pelo povo de Israel. A cidade de Deus era uma cidade habitada pelos jebuseus. Uma cidade pagã. Uma cidade que não foi dominada, ou seja, o povo de Deus estava lá, já habitando em Canaã. Porém, dentro das terras do povo de Deus havia uma terra que era deles, se chamava cidade de Jerusalém. A pergunta é o seguinte: Por que Jerusalém? [...]

Vou contar o contexto bíblico pra vocês. O significado de Jerusalém é diferente das outras cidades religiosas da antiguidade. Na antiguidade cada cidade tinha o seu deus, e cada deus tinha sua cidade. Marduque era o deus de babilônia e segundo a crença babilônica, foi Marduque que construiu a cidade. Quando um povo entrava em guerra com o outro eles entendiam que era um deus que estava entrando em guerra com o outro, porque cada cidade tinha um deus, cada deus tinha uma cidade. Então, por exemplo a cidade de Marduque era babilônia, a cidade de Baal era Nínive, e assim sucessivamente.

Deus quando fala com a gente fala a linguagem que a gente entende, e como cada deus na época tinha uma cidade, e como ele que era Deus, Ele falou: “vou escolher uma cidade pra mim”, “eu vou falar a língua desse povo”,” já que todo deus tem uma cidade eu vou ter uma cidade pra mim também”, e Deus escolheu Jerusalém.

Mas, há porém, uma diferença! Jerusalém não era para deus o que babilônia era para Marduque ou o que outras cidades de antigamente eram para o seu deus. Primeiramente, Jerusalém não foi criada por Deus. Segundo os textos babilônicos foi Marduque que criou Babilônia.

Jerusalém não tem origem divina, Jerusalém é uma cidade pagã. Perceba o detalhe, cada deus da antiguidade criou sua própria cidade! Então, os moradores dessas cidades foram criados do jeito que esse deus queria que eles fossem. Mas nosso Deus é muito diferente. Ele escolhe deliberadamente uma cidade que está nas mãos do jebuseus. Ele escolhe deliberadamente uma cidade pagã e fala que essa vai ser a Sua cidade. Deus não escolhe o perfeitinho, o certinho, o pronto! [...] Ele prefere pegar uma cidade que está torta, que é pagã, que não é  dEle e que fala “aqui Deus não entra”. E Deus diz: ‘Pois é essa que vai ser a minha cidade. E Deus chama essa cidade de noiva.

Quando Ele a chama de noiva Ele está usando um símbolo de relacionamento humano de amor. Então está dizendo assim, eu quero a cidade que não me quer, eu quero a cidade que me odeia, quero a cidade que é pagã, e vou conquista-la por amor. Ele poderia dizer assim: Eu quero Jerusalém e eles vão ter que vir para o meu lado, porque Eu Sou o verdadeiro Deus. E em vez de apontar uma arma para Jerusalém, Ele a pede em casamento.

E você vê que pela bíblia toda Deus fala desse Seu relacionamento com essa noiva dele, que é Jerusalém. Por toda bíblia Deus tenta se casar, no sentido figurado é claro, com essa cidade, e fala várias vezes, criei filhos e os engrandeci, e eles estão revoltados contra mim.

Mas, como foi que Jerusalém passou a pertencer ao povo de Deus, o que aconteceu? Conta a história que quem a conquistou foi Davi. [...] Leiamos 2 Samuel 5:6-9: ‘Foi o rei com seus homens a Jerusalém contra os jebuseus, que habitavam naquela terra; os quais disseram a Davi: Não entrarás aqui, porque os cegos e os coxos te repelirão, querendo dizer com isso: Davi não poderá entrar aqui. Todavia Davi tomou a fortaleza de Sião: esta é a cidade de Davi. Disse Davi naquele dia: Todo o que ferir os jebuseus, suba ao canal e fira os cegos e os coxos, a quem a alma de Davi aborrece. Por isso se diz: Nem cego nem coxo entrará na casa. Davi habitou na fortaleza, e chamou-lhe a cidade de Davi. Levantou edifícios ao redor desde Milo, e para dentro.’

 [...] Mas, Jerusalém não quer ser de Deus, não quer nada com Deus. O rei vem de bravatinha: “aqui até os cegos vão te botar pra fora”. Ai Deus passa a bíblia toda tentando domar, digamos assim, essa cidade. O profeta Oséias casando com a mulher adúltera estava manifestando como era o relacionamento de Deus com Sua cidade, Sua noiva. Oséias casou com a mulher adúltera e a amou assim como Deus quis Jerusalém e a amou. Por toda bíblia Deus tenta, pelo amor, fazer Jerusalém ir para o Seu lado. Pelo amor. Nunca com ameaças, nada disso! Mesmo depois da conquista de Davi e toda tentativa de Deus, a cidade se recusa a ser conquistada.

Veja o que Jesus disse em Mateus 23:37: ‘Jerusalém, Jerusalém! Que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar teus filhos, como uma galinha ajunta os do seu ninho debaixo das suas asas, e tu não o quiseste!’

Olha ai a linguagem de amor: “Tentei, eu tentei botar você debaixo das minhas asas. Estou lutando por você há muito tempo. Se você vivesse nessa época você ia olhar para igreja, que era Jerusalém, porque na época Jerusalém era a igreja. Você iria olhar pra igreja e iria dizer, “não é possível, essa igreja não é de Deus”. Você iria olhar Acabe no poder com Jezabel, seus reis agindo errado... ia ver o povo rejeitando Jesus. Se você fosse na igreja nesse período, você ia falar assim, “tem uma coisa errada”.

Sabe quando acontece alguma coisa na sua igreja e você quer que seu pastor tome uma atitude severa? “Tem que ser agora, por que não acontece agora, onde já se viu!” A gente pensa assim, “por que não muda?”, ”por que o culto é assim”, “por que o culto não é assim?”, “por que está sempre da mesma forma?”.

Se você vivesse no tempo do Antigo Testamento você iria dizer que nem igreja tinha. Você não ia ver Deus atuando.  Há vezes que nós olhamos, e olhando não enxergamos, não entendemos, e a gente procura e não consegue ver onde está Deus naquela situação. Talvez se você olhar você pense hoje, “onde está Deus, o que Ele está fazendo, por que não toma alguma atitude?” Isso não só em relação a igreja mas também ao mundo.

Lendo a bíblia você vai vê-lO ‘parado’ a maior parte do tempo. Parado na nossa visão e entendimento, porque queremos resolver tudo de uma dia para o outro, e portanto, você vê períodos longos na bíblia em que nada acontece.

Entretanto, embora Jerusalém seja uma cidade de origem pagã, embora relute contra a conquista de Deus, nós vemos em Apocalipse 21 que no final ela será conquistada e ela não estará triste. Virá alegre, ataviada como noiva para o seu esposo. Em Isaías 62:5-7 lemos: ‘Porque como o mancebo se casa com a donzela, assim teus filhos se casarão contigo; e como o noivo se alegra da noiva, assim o teu Deus se alegrará de ti. Tenho posto vigias sobre os teus muros, ó Jerusalém; eles não se calarão jamais em todo o dia nem em toda a noite: não descanseis vós os que fazeis lembrar a Jeová, e não lhe deis a ele descanso, até que estabeleça, e até que ponha a Jerusalém por objeto de louvor na terra’.

O propósito de Deus é coloca-la como objeto de louvor na terra. O lixo, a cidade pagã dos jebuseus. A cidade que nunca O aceitou. A cidade que foi governada por Acabe. Deus quer coloca-la como objeto de louvor na terra. E ele disse pra não descansarmos enquanto isso não aconteça. Ele diz assim: assim como o noivo se regozija por sua noiva, assim o seu Deus Se regozija por você.

Então Deus está usando uma imagem. Aqui tem algo impressionante. Um Deus que é completo perfeito. Um Deus que sabe o futuro desde o inicio, que sabe o futuro como se fosse o presente. [...] Um ser que não deveria ter emoções...

Alguns acreditam que essas emoções são antropomorfias divinas para que Ele possa ser compreendido por nós (Antropomórfica: seria colocar Deus a nossa imagem, Deus se coloca parecido conosco para que possamos entendê-lO). Alguns acham isso!

Vejam só nesse texto quando diz que o noivo se alegra da noiva, ele está usando a figura, o emblema mais emocional que nós temos aqui na terra, em matéria de relacionamento. Sofremos muito quando uma pessoa morre, mas um grande momento de alegria na vida é quando nasce uma vida e o interessante é que para que essa vida nasça faz-se necessária a primeira aliança que é o casamento. [...]

Imaginem a porta se abrindo, o noivo olha para ela, e ela vem como um presente. Ela vem sorrindo, por mais que esteja chorando, ela vem sorrindo. Então, o noivo, o olhinho dEle brilha, finalmente diz: esperei tanto tempo, agora vamos estar juntos, vamos nos casar. Deus usando essa imagem está Se revelando emotivo. Eu anseio essa ansiedade do noivo, por ter Jerusalém como noiva.

Finalmente conquistar o objeto do meu amor, para que eu possa colocar como objeto sobre a terra. Afinal de contas, é objeto de amor de Deus. E Deus trata dessa maneira. Imagina a alegria que eu vou sentir nesse dia? Imagina para a gente. Imagina como é que vai ser isso, e se você acha que acaba por aí, que é só um texto bíblico que estou pegando, volta algumas páginas pra Isaías 49:17, 18: “Os teus filhos pressurosamente virão, mas os teus destruidores e os teus assoladores sairão do meio de ti. Levanta os teus olhos ao redor, e olha; todos estes que se ajuntam vêm a ti; vivo eu, diz o Senhor, que de todos estes te vestirás, como de um ornamento, e te cingirás deles como noiva.”

Então veja o que há em Isaías 62. Ele Se identifica como o Noivo e a espera como noivo. E em Isaías 49 diz que Ele vai nos vestir, vai nos adornar, nos preparar para ser Sua noiva.

E quando Deus fala isso, está falando de Jerusalém, a cidade que Ele escolhe dos pagãos. E Ele está falando de mim e de você, povo de Deus, povo de Jerusalém, povo torto, povo que faz tudo errado. Esse é o sonho de Deus, a vontade de Deus. Por que Deus quer se casar com o seu povo? Por que quer tanto conquistar Jerusalém [...]. Às vezes a gente acha que é porque Ele quer salvar o Seu povo. É mais do que isso. Olha Levíticos 26:11-12: “E porei o meu tabernáculo no meio de vós, e a minha alma de vós não se enfadará. E andarei no meio de vós, e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo.”

[...] Quando um casal se casa eles se amam, se aguardam, se preparam, se encontram no casamento para que? Pra viver juntos no resto da vida, essa é a vontade dEle, por isso que Ele fala em termos de casamento, porque essa é Sua vontade: “Eu quero viver junto com vocês, quero estar no meio de vocês”, esse é o grande sonho de Deus por toda bíblia. Olha em Isaias 7:14, ele põe o nome do Messias de Emanuel que quer dizer Deus conosco, Ezequiel 48:35, você vai ver que o nome da cidade será “Deus está ali”.

Toda a bíblia está revelando isso, qual é vontade de Deus. O grande sonho de Deus é estar no meio do Seu povo, andar entre nós, conviver conosco por toda a eternidade, como um Deus que esteve separado por tanto tempo, mas que quer estar com o Seu povo, mesmo esse povo sendo rebelde e se afastando dEle cada vez mais. E lá em Apocalipse 21:18 você vê isso acontecendo, finalmente você vai ler o sonho se concretizando.

Em tudo isso pensava Deus quando inspirou João a escrever assim: “Vi também a cidade santa”, e Ele a chama de nova, a nova Jerusalém! Ele fala assim: “ela mudou, ela me ama agora, é uma nova cidade, que descia do céu da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Tudo do jeito que prometeu, eu vou vestir você, eu vou te arrumar, tá ai, adornado para seu esposo, ataviada com noiva.”

Deus profetizou em Levíticos: “vou dizer algo pra você agora, o meu plano vai dar certo, vocês não vão entender direito o meu plano, vai chegar um momento que vocês vão dizer que na igreja está tudo errada, eu estou dizendo pra você Moisés, creia que vai dar certo” e aqui em Apocalipse Ele está dizendo, “eu disse que daria certo. Eu falei pra você. Eu disse que ela viria, eu apresento pra vocês a nova Jerusalém.”

Mais impressionante ainda é a cena do verso 3. E ai está o titulo do nosso biblecast, o cântico de Deus, porque no cap. 21:1.3, pela primeira vez, depois do Apocalipse 1:10 a voz de Deus é ouvida no grande conflito, Deus guarda silêncio para finalmente falar. E aqui está o cântico de Deus, na verdade a ideia de cântico aqui não é de Deus cantando uma música, é a ideia de clamor de desabafo, a voz da vitória de Deus, o brado: “Ouviram do Ipiranga às margens plácidas de um povo heroico o brado retumbante”...

Aqui é o brado retumbante de Deus, o cântico de Deus. Ele está com tudo isso que nós acabamos de ver em mente, então o texto da bíblia diz: “E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens.”


Apocalipse 21:3

Ele prometeu lá em Levíticos, o mesmo texto. Deus habitará com eles, eles serão povos de Deus e Deus mesmo habitará com eles. É disso que Ele está falando: O cumprimento de levítico 26. O Judeu que leu isso entendeu o que Ele estava falando. Gente, olha minha noiva vindo, é a nova Jerusalém, vocês não acreditaram que eu venceria pelo amor. Eu escolhi a cidade errada, torta! Vocês poderiam olhar e dizer assim, “não, fez tudo errado tem que fazer de outro jeito”. Deus diz: “Não, eu pego o pecador, eu pego o errado, o sujo, eu limpo eu adorno eu atavio e deixo glorioso pelo meu amor.”

Aqui Deus está dizendo, “Eu estou no controle, eu sei o que estou fazendo, e eu vou salvar esse mundo pelo amor, e Eu apresento a vocês a cidade transformada pelo amor”.

E nesse trajeto todo Deus ouviu as reclamações de seu povo, dizendo que está errado, que não devia ser assim, e quando você olha para a igreja hoje você pensa, “está errada, não pode ser assim”. Deus diz: “Eu estou no controle, eu sei o que estou fazendo”. Eu já apresentei pra vocês o final, o final será glorioso, será a vitória completa”. Se você acha que não merece benção de Deus, é você que ele quer transformar. É você que ele quer exaltar. Se você olha para a igreja e fala assim, “essa igreja não é como eu gostaria que ela fosse”, Deus está dizendo assim, “Eu estou no controle”. Como disse Gamaliel certa vez em Atos 5:39: se a obra é de Deus, não podereis destruir, para que não sejais porventura lutando contra Deus.

Se você fica contra a igreja, se você discorda de alguma coisa, você precisa tomar muito cuidado, porque você pode estar lutando contra os métodos de Deus, “eu queria reformar essa igreja, queria transforma, queria que ela fosse outra”. E tem gente que sai das nossas fileiras pra lutar contra nós, pra dizer contra a igreja, para dizer que a igreja caiu, pra dizer que a igreja é a babilônia. Deus diz se você faz isso, você pode ser achado lutando contra Deus.

A gente está tentando tornar um coisa perfeita, mas Deus diz, calma, não é assim que funciona, o plano de Deus não é o nosso plano. Quem vai aperfeiçoar a igreja é Deus. Sabe quando você olha a historia do joio e do trigo, você vai ver que o joio é semeado junto com o trigo. [...] O dono da terra diz: “deixa o joio quieto ai que no dia da colheita vamos separar”. A igreja vai com o joio junto até o final. Para de viajar, essa ideia infantil que a igreja vai ficar perfeita antes da volta de Jesus, não vai, a igreja vai assim até o final, com gente imperfeita por todo lado, membros imperfeitos, pastores imperfeitos, lideres imperfeitos, é assim que vai, é assim que Deus vai vencer, porque a vitória não é nossa, a vitória é dEle. [...] Se fosse por nossa capacidade, se fosse por líderes exatos, se fosse pastores incólumes, se fosse por membros, a vitória seria nossa, fizemos tudo certinho, teríamos que ganhar. Ele pega a gente da imundice que a gente está, escolhe o torto, escolhe a cidade pagã, porque Ele vai vencer assim, para a honra e glória dEle. O que precisa ficar claro em nossas mentes é que venceremos. Deus nos ama dessa maneira, é Seu amor que vai vencer, é Seu amor que vai nos transformar, nós só vamos estar ataviados como uma noiva. Preparados, ataviado pra esse momento porque o amor dEle nos transformou. É seu amor que causa essas coisas que garantem o final, não sou eu, não é o João, o ancião, não é a tia Gertrudes da Adra, não é o presidente da associação, não são nossas capacidades, é o amor de Deus que guiará a igreja até o final!

Se você vê algo errado na igreja não se esqueça que Deus está no controle dessa igreja. Ele está no comando, e no final Ele brada, Ele canta, “Eu disse pra você que estava no controle, Eu disse que sabia o que estava fazendo.” E hoje, como o mundo que está hoje, se você fosse Deus, o que você faria?

Está aqui, eis o tabernáculo de Deus, é interessante que serve para muitas coisas. Para aqueles que não acreditavam no amor, “eis o tabernáculo de Deus entre os homens”. “Eu vou morar com eles, com esses dai, com aqueles Jebuseus, vou morar com eles”. Para aqueles que achavam que eu não ia vencer, “eis o tabernáculo de Deus entre os homens”. Para aquele que diziam isso era impossível, “eis o tabernáculo de Deus entre os homens”. Para o diabo que disse que Eu não governava bem o universo, “eis o tabernáculo de Deus entre os homens”. Para todo o mundo que lê esse texto, eis o cântico de Deus: “eis o tabernáculo de Deus entre os homens!”

 Prs. Diego Barreto e José Flores Junior

Comentários

  1. Fiz parte de um grupo paralelo à igreja. No início parecia destinado a fortalecer espiritualmente a seus membros e à igreja toda. Havia, contudo, pontos de discordância com certos detalhes da igreja e de sua doutrina. Eram pontos tão irrisórios q jamais poderia se pensar q o grupo se afastaria da igreja e q se tornaria inimigo dela. Mas não foram os pontos de divergência q nos afastaram da igreja; eles apenas serviram de suporte para dar andamento à empreitada de rebeldia contra a igreja. Eram uma desculpa enganosa, ardilosa, para revelar o q havia no fundo do coração: orgulho, soberba. Após expulsos da igreja, vagarosamente Deus foi-me revelando o verdadeiro espírito do grupo. Pude notar q todas as alegrias espirituais se esvaneciam e q o espírito de rebeldia, q se iniciou no céu com satanás, agora começava a se revelar. Deus em sua misericórdia não desistiu de mim. Voltei para a igreja agora entendendo melhor como trabalha o inimigo. Mas também entendo melhor a graça de Deus.

    HR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Deus seja louvado por seu retorno e tb por sua compreensão a respeito da benignidade de Deus. Que você continue crescendo na graça e conhecimento de Deus. Que Seu eterno amor inunde seu coração de paz e fé.

      Excluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2