O Deus desconhecido


Série Fator Melquisedeque – Parte 1


Este texto é uma transcrição adaptada do BibleCast 37. Você pode ouvir o podcast original aqui. O tema começa no tempo 33h56



Baseada no testemunho de outras culturas esta série vem para mostrar que Deus é muito maior do que pensamos, muito mais amoroso do que podemos sonhar e mais justo do que a justiça que esperamos.

Descubra nesse episódio que há mais entre a Grécia e a Cruz do que supõe a nossa vã filosofia. Prepare-se para se surpreender com a história do Deus que, por mais desconhecido que seja, está mais próximo do que você pode imaginar, esteja você onde estiver.

Depois da série A Relevância do Adventismo daremos agora início a um assunto que transcende o Adventismo, isto é, que transcende o Cristianismo. Quero dizer que o nosso DEUS é maior que o Cristianismo. Será que isso é possível?

Pois bem, vocês são cristãos e mesmo assim talvez vocês não saibam: O nosso Deus é maior do que vocês possam imaginar! Maior até mesmo do que a religião que se chama pelo seu nome – Cristianismo. Graças a Deus por isso!

Vamos conhecer neste estudo as revelações divinas aos homens de outras culturas, outros lugares e outras línguas.

Não estamos falando da revelação de Deus ali na esquina, numa igreja específica ou para um suposto profeta, falo de revelação nos locais mais improváveis que você possa imaginar. Hoje vamos estudar a atuação do Deus cristão, além das fronteiras do Cristianismo. Vamos estudar a comunicação entre Deus e os homens que você acharia impossível, até hoje.

Será que o poder de Deus está limitado a uma igreja? Será que o poder de Deus não estaria além da IASD? Ou até mesmo do Cristianismo?

Vamos colocar assim: Em 1492 Cristóvão Colombo descobriu a América, porém, já havia gente morando aqui. É claro que há muitas teorias de que eles já conheciam de outras datas a América, mas isto não interessa para o nosso estudo.

O que estava acontecendo na América no ano 34 d.C.? Havia um povo, que morava aqui, certo? A pergunta é:

Esse povo que viveu aqui até o descobrimento, sem contato com o homem desenvolvido, nem com o homem cristão, nem com o homem civilizado da Europa. Esse povo que andava no mato de pés descalços, que tinha a cultura deles. Quem viu os filmes dessas culturas os viu arrancando corações e os oferecendo para a lua e tal...

Como que eles serão salvos? Será que existia alguma revelação pra eles ou será que não? Esse pessoal todo que viveu nesse período, nesse território tá perdido ou não? Está todo mundo salvo? Não conheceram a Deus, então serão salvos pela ignorância, como que é isso? Ou será que todo mundo está perdido? Como será que Deus vai julgar isso? Como é que Ele vai ser justo com estas pessoas?

Afinal, não tiveram acesso à Bíblia. Nem a revelação profética através do povo Judeu chegou lá! Vivendo em outro contexto eles não puderam fazer parte disso, como que essas pessoas vão saber quem é Jesus, quem é Deus? Como?

Para começar a responder isso nós vamos mostrar a grandiosidade do nosso Deus! Iremos lhe mostrar que Deus está além, maior do que aquilo que nós podemos fazer por Ele!

O texto chave de nosso estudo é Atos dos Apóstolos 14: 15- 17: Ouvindo isso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as roupas e correram para o meio da multidão, gritando: Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há.

No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. Contudo, Deus não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e um coração cheio de alegria.”

Análise do texto:

Lembrando que nesse episódio Paulo e Barnabé estão sendo adorados como deuses. A Paulo chamavam Mercúrio, pois falava bem. E a Barnabé chamavam Júpiter, pois era bonito.

No verso 16 Paulo fala do Deus vivo. Esse Deus que nas gerações passadas permitiu que todos os povos andassem em seus próprios caminhos. Na Bíblia está dizendo que foi Deus que permitiu a diversidade cultural.

Ele disse: Vão! Eu criei vocês livres na fé!

Existem pessoas que pensam que Deus criou todo mundo para ser igual, para fazerem sempre as mesmas coisas, seguirem a mesma cartilha, andar igual, vestir igual, falar igual... Dizem que a função pode ser diferente, mas que a cultura tem que ser a mesma!

Deus criou as pessoas para que houvesse diversidade mesmo, para que houvesse formas diferentes de viver. Isso é como cor. Isso é lindo! Uma pessoa vive numa cultura, outra vive em outra e assim temos uma riqueza cultural. Veja a riqueza! Isso reflete o fator criativo de Deus. E isso é melhor do que viver todo mundo igual feito um robozinho.

Exemplo 1: Quando você olha uma tribo de Índio e eles estão sem roupa, você precisa se lembrar de que eles não pensam como você pensa. Eles não sentem como você sente.

Exemplo 2: Vamos pegar o exemplo da comida. Existem pessoas que tem cultura de comer alimentos bem diferentes dos nossos. Um mexicano, por exemplo, come abacate com sal e nós com açúcar! É isso!

Aqui no Brasil nós comemos feijão salgado, na América o feijão é doce. E tem pessoas que acham isso um absurdo! Essas diferenças tornam a vida interessante no Planeta Terra. Ou você gosta da ideia de todo mundo fazendo a mesma coisa?

Então, a diversidade cultural é permitida pelo Senhor Deus. Inclusive, vamos deixar claro que foi Ele quem começou esse negócio de diversidade cultural.

Pois, foi Ele quem confundiu as línguas em Babel. Todo mundo por lá falava a mesma língua. Então, Ele parou tudo: Vocês vão falar idiomas diferentes, vão morar em lugares diferentes, e por isso vocês terão influencias climáticas diferentes. E sabemos que o clima influencia muito na maneira como se vive.

A diversidade ajudou a barrar um pouco o pecado. Imaginem o mundo com uma só língua nos nossos dias. Foi a divisão da língua que fez com que o pecado demorasse 6 mil anos para alcançar aquilo que já teria alcançado em mil anos.

Olha o verso 17: “Contudo, Deus não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e um coração cheio de alegria.”

Paulo diz que Deus não Se deixou ficar sem testemunho de Si mesmo entre as nações. Ou seja, Paulo esta dizendo, que ainda que haja diferenças culturais. Ainda que você more no rincão africano ou ainda que você acredite na Caipora no rincão do Mato Grosso. Ainda que você nunca tenha visto uma Bíblia Sagrada, de alguma maneira, diz Paulo: Deus não se deixou ficar sem testemunho de Si mesmo. De alguma forma Ele Se revelou para as pessoas. É disso que trata o fator Melquisedeque.

Quem foi Melquisedeque? Melquisedeque era rei de Salem (Cidade que estudiosos dizem ser a cidade anterior à Jerusalém), e também sacerdote do Deus Altíssimo.

Gênesis 14:18Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho”.

Hebreus 7: 1-4 : “Esse Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, encontrou-se com Abraão quando este voltava, depois de derrotar os reis, e o abençoou; e Abraão lhe deu o dízimo de tudo. [28] Em primeiro lugar, seu nome significa “rei de justiça”; depois, “rei de Salém” quer dizer “rei de paz”. Sem pai, sem mãe, sem genealogia, sem princípio de dias nem fim de vida, feito semelhante ao Filho de Deus, ele permanece sacerdote para sempre. Considerem a grandeza desse homem: até mesmo o patriarca Abraão lhe deu o dízimo dos despojos!”

Em seu encontro com Abrão, recebeu o dízimo dele. É bom lembrar que Salém naquela época era uma terra pagã e Deus ainda estava fazendo o concerto com Abrão, ou seja, não havia nem o povo de Deus ainda.

Melquisedeque era mediador entre Deus e os homens. Deus me mostra na história um cidadão que mora num lugar pagão, que não tem nenhuma revelação do Cristianismo e que é um Sacerdote do Deus verdadeiro nessa terra pagã. Entende-se por sacerdote no contexto do Antigo Testamento, que ele era mediador entre o homem e Deus. Mas quem falou ou deu estudo bíblico ou quem pregou para Melquisedeque?

Não tinha ninguém a não ser o próprio Deus. Como é possível aparecer gente crendo na doutrina verdadeira em meio a mais absoluta ausência do conhecimento cristão?

A história que vamos estudar agora foi descrita por Diógenes Laércio, autor grego que viveu no século 3 a.C. e se destacou ao escrever a obra “As vidas de filósofos eminentes”. (Vol. 1 pag. 110)

Conta-se que houve uma praga em Atenas no ano 600 a.C. e muita gente estava morrendo nessa época.

Só para contextualizar onde está o povo de Deus em 600 a.C.? Ele está preso em Babilônia, não pregavam pra ninguém, estavam sem sacerdote e sem igreja. Estavam cativos porque não foram fiéis.

Nesse século surgem os filósofos gregos, e eles se perguntavam: Onde está o povo judeu? E outros respondiam: Acabou!

Conta-se que houve uma praga em Atenas e muita gente estava morrendo nessa época. Uma situação caótica. Os Atenienses eram muito religiosos e por isso invocaram os seus deuses e até os deuses de nações vizinhas em busca de livramento.

Conta-se que existiam mais deuses em Atenas que moradores nas ruas. Todo Mundo conhece as famosas historias da MITOLOGIA Grega.

Conta a historia que eles estavam reunidos decidindo o que fariam para resolver este problema da praga. O Conselho de Atenas decidiu procurar o Oráculo. Eles já tinham feito oferenda a TODOS os deuses que eles tinham. Cada um fez o seu sacrifício. E nada resolveu.

O Oráculo viu que a situação não era nada boa e que quase todos os deuses foram apaziguados e disse:

- Ainda há um Deus cuja ira precisa ser aplacada.

- Quem é esse Deus? - Perguntaram.

Ele disse: ‘Não sei! Eu não sei o nome dele. O que sei é que existe um homem chamado Epimênedes de Cnossos, Creta, ele sabe quem é este Deus.


E foram buscar esse tal Epimênedes. Pegaram um navio e foram.

Quando chegou em Atenas, Epimênedes se espantou com os mais de 30.000 deuses nas ruas. Tinha mais estátuas do que homens em Atenas. Na medida em que ele andava pela cidade foi se deparando com as estátuas na rua.

Depois da reação de espanto ele comenta que talvez o problema de Atenas fosse a quantidade de deuses.

Já estando junto ao Conselho de Atenas, quando ia receber o discurso de agradecimento, Epimênedes interrompe e fala: ‘É seguinte, amanhã cedo me tragam um rebanho de ovelhas de cores diferentes. Vocês vão deixar essas ovelhas famintas. Eu também quero pedreiros com pedras e argamassa. E é só isso. Boa noite.”

E foi dormir.

De manhã cedo foram buscar Epimênedes, e ele falou: ‘Há ainda um Deus que precisa ser apaziguado e nós vamos tratar com Ele.’

Todos perguntavam: - E qual é o nome desse Deus?

E ele dizia: ‘Não sei, não tem nome. Mas eu creio nesse Deus Todo Poderoso, e que Ele ouvirá os nossos pedidos e acabará com a praga. Ele é bondoso e é só pedirmos a sua ajuda.

E, além disso, um Deus Todo Poderoso, e capaz de tirar a praga de Atenas também será misericordioso para conosco e nos favorecerá em nossa ignorância se reconhecermos a mesma e O invocarmos. Não importa o nome dEle, só Ele é misericordioso e Todo Poderoso, Ele sabe que é com Ele.’

O povo, mesmo desacreditado decidiu fazer o que Epimênedes dizia.

O plano é esse, disse Epimênedes: ‘soltaremos as ovelhas na relva e cada homem seguirá uma delas. Esse Deus irá escolher algumas ovelhas após o meu clamor. As ovelhas escolhidas não irão pastar, mas deitarão na relva para descansar mesmo morrendo de fome. No local onde estiver a ovelhinha deitada, o pedreiro construirá o altar e a ovelha será sacrificada.’

A oração foi a seguinte: ‘Ó Tu Deus desconhecido, contempla a praga que aflige essa cidade, e se de fato tens compaixão para perdoar-nos e ajudar-nos, observa esse rebanho de ovelhas. Revela a sua disposição para responder, eu peço, fazendo qualquer ovelha que te agrade deite na relva em vez de pastar, escolha as brancas se te agradarem, as pretas se te causarem prazer e as que escolher serão sacrificadas a Ti reconhecendo nossa lamentável ignorância do Teu nome.’

O simples fato dessa história está sendo relatada fora da Bíblia já é incrível.

O povo pensava: ‘É inútil. Mal amanheceu e as ovelhas já estão com fome. Nenhum animal vai deitar antes de encher o estomago, e quem acreditará que foi um Deus desconhecido que o fez deitar ao invés de comer?’

Epimênedes estava de cabeça baixa, só esperando a resposta quando um pastor gritou e todos os olhos se voltaram ao carneiro que dobrava os joelhos e deitava no chão.

‘Eis aqui outro’- bradava um conselheiro surpreso.

Em poucos minutos algumas ovelhas estavam confortavelmente acomodadas sobre a relva suculenta.

E disseram os sábios conselheiros: ‘Se fosse uma, estaria doente, mas como foram muitas é uma resposta do Deus desconhecido. Mas, Epimênedes, o que faremos agora?’

- Construam um altar no local em que a ovelha estiver e sacrifique-as.

Os pedreiros entraram em ação e à tardinha, com a argamassa seca eles perguntaram: ‘E qual nome gravaremos nesses altares?’

- Lá vem vocês com essa história de novo!- Disse Epimênedes.

- Se essa Divindade nos atendeu quando reconhecemos que somos ignorantes quanto ao seu nome, se quisermos mostrar conhecimento agora, gravando um nome quando na verdade não temos a menor ideia dele, creio que só vamos ofendê-Lo.

- Não podemos correr esse risco. - disse o presidente do Conselho. 

E com um sorriso raro no rosto Epimênedes diz: ‘escrevam apenas agno̱stou theós (αγνωστου θεός) ou Deus desconhecido. Apenas isso.’

E acabou-se a praga.

Os altares sem nome ainda estão em Atenas. No Areópago. Quem quiser pode ir lá e ver.

Mas, por que contar essa história? Leiamos Atos dos Apóstolos 17:16-31 

Temos a história grega, e depois temos Paulo indo pregar no mesmo local que Epimênedes esteve 600 anos depois. Paulo estava no Areópago, no monte Marte. Exatamente o local onde foram feitos os sacrifícios ao Deus desconhecido.

E Paulo diz no verso 23 que ele veio anunciar o Deus desconhecido. Esse altar ao Deus desconhecido é o mesmo que Epimênedes mandou construir? Sim. Está no mesmo local até hoje.

Será que a história de Epimênedes aconteceu antes de Paulo realmente? Afinal, Diógenes a escreveu depois de Paulo. Essas são as perguntas que vem a nossa mente para comprovar se é verdade ou não.

A comprovação vem em dois textos: Atos dos Apóstolos 17:27 e 28 . Paulo cita a Epimênedes. Seria coincidência demais ter esses altares e ele citar Epimênedes! Não teria como Paulo ter certeza que se tratava do seu Deus se ele não conhecesse a história. Isso nos faz acreditar, porém não prova que Paulo conhecia a história de Epimênedes.

Tito 1:12: ‘ Um dos seus próprios profetas chegou a dizer: “Cretenses, sempre mentirosos, feras malignas, glutões preguiçosos”. É uma citação do próprio Epimênedes descrita por Paulo.

E Paulo chama a Epimênedes de profeta. Num período onde o povo de Deus estava aprisionado, sem profeta e cativo em Babilônia. Sem templo, sem sacerdote, sem adoração, sem pregação. Neste período de vácuo lá em Atenas abriu-se uma janela para que se fosse conhecido o Senhor, através de Epimênedes.

E eu pergunto: Quem pregou para Epimênedes? Quem falou para Melquisedeque? Ninguém. Ele era um filósofo e deveria passar seu tempo meditando. Ninguém. A não ser o próprio Deus que Se revelou a ele. Isto é mais uma vez o fator Melquisedeque: Exatamente o que Melquisedeque fala a Abrão, Epimênedes diz aos atenienses. Os dois revelam um Deus Criador e Todo Poderoso.

Convido você a ler Atos 17:30: ‘No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam.’

Alguém pode dizer: Então é melhor eu não ficar sabendo de nada, pois se eu ficar sabendo vai pesar sobre mim uma responsabilidade que antes eu não tinha!

Deixe-me dar um exemplo. Cremos, através das Sagradas Escrituras, que não devemos tomar bebida alcóolica. Digamos que tomar bebida alcóolica seja pecado. Compreendemos que seja desobediência a Deus segundo Provérbios 23. Mas, há muita gente, muita mesmo que não vê problema nisto. Olhe que não estou falando do que bate na esposa. Estou falando do que bebe realmente uma gotinha de vinho. Tem muita gente assim, que bebe e não perde o controle.

Digamos que isto seja pecado. Mas, há várias pessoas que não sabem que é pecado. Ela nunca ouviu falar que era pecado. Nossa pergunta é: Se esta pessoa não sabe, ela está pecando?

Está. Vamos ver o que está escrito em Oseias 4:6 : ‘Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorarei seus filhos.’

A Bíblia diz que o povo está sendo destruído porque falta conhecimento. Ignorância leva a destruição, não à salvação!

Então, como vejo Atos 17:30?

‘No passado Deus não levou em conta ESSA ignorância, (...)’ . Que ignorância? A ignorância do nome do Deus. O Deus Desconhecido! Não é correto tirar o texto do contexto. Paulo está se referindo ao Deus do altar do Deus Desconhecido. E ele O apresenta para eles: ‘Esse Deus é o Criador do Céu e da Terra.’

E Paulo continua: ‘mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam.’ . Ora, se Deus não leva em conta o tempo da ignorância porque exige arrependimento por esse tempo de ignorância?

Paulo na verdade estava afirmando: ‘No passado Deus não levou em conta vocês não saberem o nome dEle (ESSA ignorância). Não sabiam da morte de Seu filho na cruz. Vocês não sabiam que Ele estava com os judeus. Não tem problema, mas agora vocês sabem. Arrependam-se por não ter sabido antes!
Ou seja, toda vez que você cometeu uma coisa errada, ainda que não soubesse que estava errado, conta como pecado.

‘Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis;’ (Romanos 1:20)

Dá para conhecer porque Deus Se revela para todo mundo. Até para quem não tem Bíblia! Os homens indesculpáveis são os que não tiveram a revelação da Bíblia, os ignorantes!

Os ignorantes são indesculpáveis! Como é que Deus perdoa a ignorância?

Vejamos Romanos 1:18-19 : ‘Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.’

Toda impiedade e injustiça é contada. Toda! Então, ainda que você não saiba você estará pecando.

Tomando o exemplo da bebida. Ainda que você seja uma pessoa controlada é pecado sim, porque você é luz para um alcoólatra. Você é exemplo para as pessoas.

Todo mundo sabe. Todo mundo sabe quando faz alguma coisa errada. Sem igreja, sem pastor, sem Bíblia. Você sabe quando faz alguma coisa errada. Em qualquer cultura, em qualquer lugar do mundo. Deus não deixou ficar sem testemunha de Si mesmo!

Por que você tem que pregar o Evangelho? Porque as pessoas perecem por falta de conhecimento. Temos que contar o que sabemos porque senão vão ser destruídas. Diz lá em Ezequiel 3: O Atalaia tem que dar o sonido. Se você não tocar a trombeta o sangue cai sobre você também. Mas, a pessoa não salva não. A salvação não é pela ignorância. A salvação é pelo sangue de Cristo.

Deus está em todos os lugares. Assim como Ele Se revelou misteriosamente, continuará Se revelando.


Prs. Diego Ignácio e Junior Flores



Comentários

  1. Objetivamente, entendo que ignorância é falta de conhecimento.
    Mas, o problema está naquilo que definimos como conhecimento!
    Normalmente, temos noções disso e daquilo, mas dificilmente temos profundo conhecimento de coisa alguma, e jamais teremos plena consciência de nada.

    Não consigo assimilar a idéia conciliatória entre plena liberdade e conhecimento limitado.
    Eternamente, seremos ignorantes em relação a alguma coisa, jamais teremos onisciência, este atributo é exclusivo da Trindade.

    Arrependimento pressupõe o reconhecimento de que se fez algo errado, ninguém tem motivos para se arrepender daquilo que acredita ter feito certo, e o reconhecimento de que se fez alguma coisa errada só acontece quando se alcança o conhecimento do que é certo.


    Entre nós, são comuns as afirmações:
    – Ele tem plena consciência do que fez.
    – Eu sei o que ele está pensando.

    Quanta presunção, nos arvoramos de direito de julgar e ainda afirmamos fazer o que só a Deus é possível: penetrar na mente de alguém.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Estamos felizes com sua participação. Volte sempre. Responderemos seu comentário logo que possível.

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2