Voltei como havia prometido! Conversando sobre Apocalipse 16


Este texto é uma transcrição adaptada do BibleCast 16. Você pode ouvir o podcast original aqui.
  
Neste BibleCast os pastores Diego Barreto e Junior nos apresentam o segundo episódio da Série: A Marca da Besta.

‘Em um futuro muito próximo, a mando do Dragão, alguém irá se propor ao último engano. Muito além de uma serpente que fala, o promotor dos enganos tentará imitar a Cristo. Com grande poder e sinais de prodígios ele falseará o momento mais esperado desde a queda no Éden… A vinda do Messias. O retorno do rei.’

Conversando sobre Apocalipse 16 eles nos exortam a ‘como podemos estar realmente preparados para um futuro anunciado, mas ainda desconhecido.

Ao som do ‘trovão que sai do oriente e se mostra no ocidente’, passando por cenários infestados de rãs e piolhos e cruzando o leito do Rio Eufrates descubra que o engano da ‘Trindade Satânica’ vai muito além da nossa imaginação e quão disposto está o inimigo em se fazer parecer com nosso Criador.’



'Voltei como havia prometido’. Essa frase será dita para nós num futuro bem próximo e teremos que estar atentos porque vai parece ser uma frase de Cristo. Porém, como vimos no estudo Trindade Satânica se trata da besta do apocalipse, Satanás se disfarçará de Cristo.

Lembremos que na trindade satânica, mencionada em apocalipse 13, existem três personagens:

1 - Satanás imitará o Pai. Apocalipse diz que o dragão é o diabo. Satanás se disfarça de Deus. Tem muita gente achando que está seguindo a Cristo, de bom coração, mas está seguindo ao Dragão, está sendo enganado.

2 – A besta do mar surgirá como se fosse Jesus.  ‘A primeira besta é o falso Cristo, é aquele movimento/pessoas/instituição que diz representar o próprio Cristo aqui na Terra e diz perdoar pecados. ’

3- A segunda é a besta da terra. Ela agirá como se fosse o Espírito Santo. ‘Quem, hoje, usa sinais para atrair o povo? Quem faz milagres para chamar o povo de volta a Deus? Quem você na tv todo dia e toda hora fazendo “milagres” e curando gente pra lá e pra cá? Quem fica fazendo descer fogo dos céus hoje

‘É interessante notar que a besta da terra e a besta do mar convivem na mesma realidade, elas existem ao mesmo tempo. Elas convivem no mesmo cenário. A besta da terra que é a última a aparecer e vem pra fazer com que adoremos a besta do mar.

Vamos ver Mateus 24:24: ‘Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.  Essa é a estratégia de satanás, enganar os escolhidos e é uma estratégia muito bem feita, porque ele opera grandes sinais e prodígios.’

A estratégia dele é nos enganar operando sinais e prodígios verdadeiros. A Bíblia diz que os cristãos serão enganados, e por que serão enganados? Porque a Bíblia diz que olharemos para Satanás e ele parecerá Cristo.

Se Satanás aparecesse agora diante de nós e dissesse “Eu sou Cristo” e começasse a curar e parasse a tempestade, como saberíamos a diferença se é realmente Cristo ou não? Porque esse é o plano de Satanás; do jeito que Jesus apareceu para Paulo, por exemplo, Satanás quer aparecer para o mundo, dizendo ‘Eu sou Jesus, voltei como havia prometido’.

Vamos lembrar que essa vinda ocorrerá com características como se fosse a verdadeira vinda de Jesus. Vamos lembrar que Satanás sabe enganar, ele é o pai da mentira e está sempre a nossa frente.

Não pense que quando você vir um “Jesus” bonzinho por aí você vai saber que é o Diabo. Não! Não adianta a gente sonhar que a gente consegue cristalizar o futuro. Porque a gente entende essas coisas da Bíblia eu consiga imaginar precisamente o que vai acontecer no futuro. Primeiro eu não sei que futuro é esse? Primeiro porque eu não sei se é daqui a duas semanas, eu não sei se é daqui a 50 anos. O mundo pode mudar muito neste período de tempo!

Vocês viram o que aconteceu com o 11 de setembro? O mundo mudou da noite para o dia por causa de um avião que bateu em um prédio. Então, da noite para o dia as coisas podem mudar. Jesus pode voltar daqui a três semanas, daqui a um mês. Ele pode voltar daqui a 50 anos, daqui a 100 anos. Eu não creio nisto, mas Ele pode voltar daqui a 100 anos. E se isso acontecer o mundo daqui a 100 anos vai estar tão diferente que qualquer conjectura que eu formar hoje em 2010 vai estar errada. Vai ser impossível definir o mundo daqui a 100 anos. Vai existir coisas na Terra que eu não conheço. Vai ter tecnologias que eu não conheço.

O estilo de vida vai ser de um jeito bem diferente do meu. E a maior prova é que o nosso estilo de vida hoje: a internet, a comunicação via celular é um estilo de vida inexistente há 60 anos. Ninguém imaginava isso! Ninguém imaginava que eu pegaria um aparelho celular pequenininho, menor do que o tamanho da minha mão e conversaria com outra pessoa do outro lado do mundo. Então, daqui a 100 anos a gente não sabe como o mundo vai estar. Por isso, é impossível de se cristalizar uma foto do futuro e dizer que o mundo vai estar assim!

Então, o que a Bíblia faz é dar os princípios e é o que a gente vai fazer aqui: É pegar esses princípios e expor. Vocês vão entender como é que as coisas vão funcionar.

A primeira coisa que precisa ser entendida é que o engano será tão forte, que se possível enganaria até os escolhidos. O primeiro parâmetro que você tem que ter em mente: 2010, 2011, 2015 ou 2300, a bíblia diz que o engano vai ser tão forte que todo o mundo vai balançar. Todo o mundo cristão vai balançar. A Bíblia diz que toda a Terra se maravilhará! O Apocalipse revela para nós a estratégia de Satanás. João, inspirado por Deus, Deus está dizendo para nós: ‘Filho, no tempo do fim, vai vir um engano tão grande, mas tão grande, que os escolhidos de Deus vão cair.’ E os escolhidos de Deus é você que nos ouve.

A Bíblia, para você não cair, lhe mostra algumas coisas. Abra sua Bíblia comigo em Apocalipse e desvende mais uma estratégia de Satanás. Precisamos ressaltar que quando demos o exemplo de 100 anos, estamos apenas dando um exemplo, pois isto não quer dizer que isto vai acontecer daqui a 100 anos porque se assim fosse não haveria nem propósito da gente entender isto. Se estamos entendendo é porque é para nossa geração. Pode ser que não ocorra enquanto estivermos vivos, massa possibilidade de ocorrer é muito grande. Não é por isso que você não vai se envolver no assunto ou que você não vai tentar entender o tema. Pode ser que aconteça daqui a 5 anos, mas pode também acontecer daqui a um mês. Não dá para saber!

De qualquer forma o 11 de setembro chegou para provar que em uma semana a história do mundo pode mudar.

Apocalipse 16:12 em diante: ‘E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente.’

Sexto o que? Vamos contextualizar. É o sexto anjo. Estamos falando aqui das sete pragas, e essa é a sexta praga, a que antecede a volta de Jesus. Porque a sexta praga é a que fala da volta de Jesus. Ela diz que foi derramado sobre o rio Eufrates, cujas águas secaram, para que se preparasse o caminho dos reis que vem do lado do nascimento do sol, do Oriente.

‘Então vi saírem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta’ (a trindade satânica) ‘ três espíritos imundos semelhantes a rãs. São espíritos de demônios que realizam sinais milagrosos; eles vão aos reis de todo o mundo, a fim de reuni-los para a batalha do grande dia do Deus todo-poderoso.’

Em algumas versões diz ‘operadores de sinais’, percebam que é a mesma linguagem de Mateus 24:24 e lembrem-se que são sinais que convencem, não são sinais ruins, são GRANDES SINAIS que podem enganar os escolhidos de Deus. Lembrem que satanás e os que o seguem se transformam em MINISTROS DE JUSTIÇA. A bíblia é que está dizendo que são espíritos de demônios. Isto quer dizer que na forma não parecem. Se olharmos nós veríamos Deus, é João que fala que são demônios para chamar nossa atenção. Você não pode ler Apocalipse e achar que veremos um dragão, ou uma besta, ou um falso profeta. Não é isso que veremos! Vimos no estudo anterior  que se olharmos veremos o dragão, a besta e o falso profeta. Iremos contemplar a trindade, porque estará disfarçado. É João que está chamando de dragão para chamar nossa atenção. E quando ele diz que são espíritos de demônio é porque ele quer nos advertir sobre o que está por trás da operação de sinais. Afinal, diante dos nossos olhos se apresentarão coisas boas.

E eles se dirigem aos reis do mundo para juntá-lo para a peleja do  grande dia do Deus Todo-Poderoso. ‘Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda os seus vestidos, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas’.        

E então aí no verso 15 percebemos que se trata da volta de Jesus. Jesus está dizendo que Ele vem sem demora, mas que logo antes dEle voltar, aconteceria então o que estamos lendo aqui e vamos interpretar agora.

Só lembrando que para entender o Apocalipse devemos deixar a bíblia interpretar a si mesma, os símbolos estão presentes na bíblia e é a ela que devemos recorrer. Os símbolos foram retirados em sua maioria do Antigo Testamento.

Por exemplo, o verso 12. ‘E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente.’ Algumas pessoas interpretam isso aqui dizendo que os reis que vem do lado do sol como sendo a China, já que é um país que está crescendo e já é a segunda maior economia do mundo.

Mas, lembre que João quando escreveu isso não sabia da China. João não tinha ideia de que a China seria a nação com o maior número de pessoas. Muito menos que a economia deles ia crescer ou que haveria olimpíada na China.

A Bíblia diz que foi derramada a taça sobre o rio Eufrates e suas águas secaram. O que o rio Eufrates tem a ver com a China de hoje? 

Veja bem, as águas secaram. Aqui João está fazendo uma alusão à libertação do povo judeu do cativeiro babilônico por meio de Ciro. Quando João escreveu isso e falou do rio Eufrates é porque na mente do judeu da época ao ler isso só viria uma imagem na sua mente: Ciro libertando o povo judeu da Babilônia. É disso que João está falando aqui.

Mas porque João está fazendo isso? O cativeiro egípcio do tempo de Moisés e o cativeiro babilônico do tempo de Daniel são frequentemente citados por João no Apocalipse. João pega histórias muito relevantes na cabeça dos hebreus para escrever o Apocalipse.

E por que essas histórias são relevantes? Porque tanto o cativeiro babilônico quanto o egípcio são tipos do que vai ser a libertação nos últimos dias por ocasião da volta de Jesus.

Por exemplo, durante o cativeiro babilônico na época de Nabucodonosor e dos Medo-Persas  os hebreus estavam presos, simbolizando a nossa prisão hoje em um mundo de pecado. Eles estavam presos em Babilônia, assim como estavam presos no Egito na época de Moisés. E em todos esses momentos de escravidão eles esperavam o libertador. Temos um povo cativo esperando o libertador na época do Egito. Temos um povo cativo esperando o libertador na época da Babilônia e hoje temos um povo cativo esperando o libertador nas épocas atuais. Quem foi o libertador? Na época do Egito foi Moisés, em Babilônia foi Ciro e o nosso será Jesus Cristo.

Leia Isaías 44:24 até 45:1. Deus aqui está falando através de Isaías de uma época em que o povo estava cativo em Babilônia. Deus profetizou que o povo seria libertado através de Ciro, e que seria através do secamento do rio.

E como foi a libertação? Estavam todos na festa de Belsazar. Este havia pedido para pegarem os utensílios do Templo para que bebessem nele durante sua grande festa. Babilônia era intransponível, naquela época para vencer uma cidade, o exército inimigo sitiava as muralhas da cidade de modo que não chegava para ela nem comida nem água.

Mas, Babilônia era intransponível, porque além das muralhas gigantescas, a cidade possuía um rio que passava no meio dela, de onde tirava sua água e produzia seu alimento. Era uma cidade autossuficiente. Poderia ser sitiada, mas não poderia ser vencida pela fome e sede.

E qual foi a ideia de Ciro? Ele desviou o rio Eufrates e quando o rio secou ele entrou na cidade pelo vão do rio que passava por debaixo da muralha e nem guerra houve. Babilônia simplesmente teve que se render. Isso foi relacionado ao evento da festa de Belsazar. O libertador veio e libertou o povo cativo.

Veja que João está citando essa ocasião no seu texto bíblico. João está fazendo uma alusão para os judeus da época. E os judeus da época entenderam. João estava dizendo que seria como foi com Babilônia. E só lembrando Ciro era do Oriente, ele veio do Oriente junto com o exército dos medos e dos persas. Foram reinos que vieram do Oriente para tomar Babilônia. Por isso, João fala sobre o caminho “dos reis que vem do lado do Oriente”, ou os libertadores.

E isto é uma curiosidade! Na Bíblia tudo que é de Deus vem do Oriente e tudo que é do diabo vem do Norte. O jardim do Éden estava no Oriente, os reis vem do Oriente, o Messias vem da porta do Oriente, o santuário era virado para o Oriente. Então, entenda que aqui João não está falando da China. Está falando dos medos e persas.

Na época da Babilônia o povo cativo esperou o libertador. Hoje estamos cativos do pecado e quem é o nosso libertador?  Não é mais Moisés ou Ciro, hoje nosso libertador é Deus, é Cristo. Hoje o rei que vem do Oriente é Jesus Cristo vejamos Mateus 24: 27: ‘Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem.

Vejam que aqui Cristo virá do Oriente, ele é o rei que vem do oriente. A sexta praga está falando da volta de Jesus, João está falando de um assunto que eles entendiam, todas essas histórias estavam vivas na mente dos hebreus, assim como foi na Babilônia será agora no tempo do fim.  Quando o mundo estiver se sentindo oprimido, de repente, o rio do mundo vai secar para a chegada do Rei que vem do oriente. E em que contexto isso acontece?

Não se trata da China. Está referindo-se a volta de Jesus. Isso acontece num contexto de imitação, veja Apocalipse 16:12- 13.  O contexto é uma praga. Como que a Bíblia coloca a volta de Jesus num contexto de maldição? Sim porque a sexta praga é uma maldição e não uma benção!

Então o que temos é novamente uma imitação de Deus, Satanás no contexto da sexta praga é a imitando da volta de Jesus. Assim como todos esperam acontecer algo como nos antigos resgates (Moisés e Ciro), Satanás vai fazer algo parecido com o real para enganar os próprios eleitos de Deus. O resgatador no tempo da sexta praga vai se parecer com o verdadeiro resgatador. Ou seja, Cristo vem realmente do Oriente. Ele é o Rei que vem para salvar, tirar a opressão do mundo. Mas, lembre, Satanás vai fazer isso para enganar se possível os próprios eleitos.

Então, João no verso 13 fala da trindade satânica afirmando que quando olharmos não veremos demônios, veremos um como Deus. Os enganados estarão crentes que se tratará de Deus.

No verso 14 João evoca a trindade satânica e diz que de sua boca sai três espíritos operadores de sinais. É o mesmo espírito de Mateus 24:24 que fala de falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e milagres para nos enganar.

Agora lembrem-se do que Jesus disse: ‘As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão. Meu Pai, que as deu para mim, é maior do que todos; ninguém as pode arrancar da mão de meu Pai.’ (João 10:27-29)

Agora, por que esses três espíritos são semelhantes a rãs? Isto não tem nada a ver com o espírito de fofoca.  Realmente, se você fica fofocando, você está fazendo o trabalho de satanás e você é um servo dele, disso eu não tenho dúvidas, mas não é por isso que os espíritos aqui de apocalipse são semelhantes a rãs.

Mas, devemos nos lembrar que João está tirando isso do Antigo Testamento. De onde vocês lembram de rãs no Antigo Testamento? As Dez Pragas!  Moisés no Egito!

A invasão de Rãs foi a segunda praga do Egito. Existia um deus no Egito representado por um ser feminino com uma cabeça de rã. Era a deusa Heket, deusa da criação e do nascimento.

‘Quando a cheia do Nilo baixava, as águas pantanosas, os charcos e os canais de irrigação fervilhavam com a presença de uma espécie de rã de cor verde-escuro (rana mascareniensis). Tinha como característica a grande velocidade de movimentação, a qual lhe era conferida pelas membranas natatórias muito desenvolvidas, e a facilidade de caçar insetos com a língua retrátil. Segundo a crença egípcia, tais anfíbios eram criaturas ancestrais que emergiram dos abismos quando se formou o universo. Aparecendo às centenas em certas épocas do ano, passaram a simbolizar fertilidade. Consideradas sagradas, as rãs foram amplamente representadas nos textos escritos e nos desenhos.’ (http://www.fascinioegito.sh06.com/heqet.htm)

‘As rãs eram sagradas e os egípcios não podiam matar as rãs. Elas apareciam aos milhares e só podiam ser enxotadas com carinho. E nisto consiste a praga. Eles gostavam de rãs, então Deus mandou muitas e muitas rãs. Com isto Deus queria revelar que na verdade quem controlava as rãs não era Heket, e sim Jeová.

Mas, o que tem a ver a praga das rãs com o Apocalipse?

A praga das rãs foi o último sinal que foi imitado pelos magos do Faraó. Foi a última coisa imitada pelos espíritos enganadores. Depois das rãs os magos do Egito não conseguem imitar mais nada. Leia depois Êxodo 8.

João está dizendo isto. Fiquem atentos, pois assim como a praga das rãs foi o último engano dos magos, será também um evento similar o último engano antes da volta de Jesus. Essa será a última cartada de satanás. No Antigo Testamento vemos que a praga das rãs cai também sobre o povo de Israel. Ou seja, o último engano cairá sobre TODO MUNDO.

Leiamos novamente Apocalipse 16: 12-13. O último engano não será somente para quem não crê. É para todo mundo. Satanás vai se dirigir aos reis e pessoas desse mundo com um último engano, e enganará se possível os próprios eleitos de Deus. Por isso, que é semelhante às rãs, porque será a última possibilidade de engano de Satanás.

Mas, lembrem-se do que Jesus disse: ‘As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão. Meu Pai, que as deu para mim, é maior do que todos; ninguém as pode arrancar da mão de meu Pai.’ (João 10:27-29)

Outro detalhe. Porque são 3 espíritos imundos? Porque não cinco ou seis? Por que exatamente três? Lembremo-nos que Satanás está imitando a Cristo. Em Apocalipse 14 está escrito que Deus está falando ao mundo através de 3 anjos. Temos, então, as 3 mensagens angélicas e é assim que Satanás trabalha, ele imita a trindade, imita a volta de Jesus e o movimento da tríplice mensagem angélica.

Vejam que não há um detalhe que escapa. Tudo está sendo imitado para convencer com engano. Quem apenas olhar sem examinar, achará que é Cristo.

O que nos diz Apocalipse 16: 15?

‘Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha.’

Aqui é Cristo que está falando. Quando Ele vier, vem como ladrão, pega os que são dEle e vai embora. Ele vem somente para nos libertar. Depois Ele virá para estabelecer Seu Reino. Mas, neste momento Ele virá para o resgate dos que creram em Sua Palavra. Quem não é dEle ficará. Será como ladrão porque Cristo não vem fazendo sinais. É surpreendente! Enquanto Satanás irá ao encontro dos reis das nações, Jesus virá no silêncio. Ele não irá aos reis da Terra. Ele virá para os Seus. Por isso, a analogia com o ladrão, que chega sem avisar! E Ele dá o segredo para não sermos enganados: vigiar e guardar as nossas vestes. Que é o testemunho de Jesus, que é a fé em Cristo, que é a salvação pela fé, a graça.

Vejamos II Tessalonicenses 2:8-12: ‘Então será revelado o perverso [...]’ O que precisa ser revelado? O que está escondido. O Iníquo. Até então ele não era percebido como o perverso. Ele estava misturado entre os povos fazendo o seu trabalho. Pensava-se que ele era o Cristo.

Satanás não estava revelado. Estava entre nós, se fazendo passar por Cristo. E a Bíblia diz que ele será revelado pela verdadeira volta de Jesus.  

‘ [...] a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda.’ O tema aqui também é a vinda de Cristo.

v. 9 ‘A vinda desse perverso [do Iníquo] é segundo a ação de Satanás, com todo o poder, com sinais e com maravilhas enganadoras. Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar. Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira, e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.’

Aqui diz que para você não se ser enganado por Satanás você tem que acolher o amor da verdade para ser salvo. Aqui está falando da verdade. Quando a Bíblia fala verdade, quando nós adventistas falamos que temos a verdade, as pessoas acham que estamos falando verdade no sentido filosófico. Como se nós soubéssemos de tudo. Mas, não é esse o sentido.

Hoje em dia, o enunciado é que não há uma verdade absoluta. Cada um tem seu jeito de pensar, sua própria verdade e não se pode oprimir o pensamento de outra pessoa. Você não pode dizer que sua igreja tem a verdade. Ou não pode dizer que a Bíblia tem a verdade porque tem o Alcorão, tem o Hinduísmo, etc.

Mas quando a Bíblia diz que tem a verdade, ela não se refere à verdade no sentido filosófico. A Bíblia está afirmando que tem a verdade que você precisa para não ser enganado pela trindade satânica. A trindade satânica é a mentira aqui. Para resolver o problema dessa mentira você precisa saber a verdade. Mas, que verdade? A verdade em relação a esse assunto. A verdade em relação à estratégia do inimigo.

Não é uma verdade solta. Quando a Bíblia diz que tem o amor a verdade, essa verdade é a verdade específica para não ser enganado. É a verdade que lhe permite reconhecer a operação do erro. A verdade que lhe permitirá reconhecer que o inimigo não é Jesus. Quando você vir um ser se dizendo ser, você poderá reconhecer, na verdade, que ele não é Jesus.

Então, quando um estudante da Palavra de Deus diz que tem a verdade, não é a verdade filosófica, a última palavra! Mas, a verdade em relação ao inimigo. É a nota verdadeira! Nós sabemos qual é a nota verdadeira, enquanto o diabo vem com uma nota falsa. Quando os adventistas dizem que têm a verdade, estão apenas dizendo que sabem qual é a nota verdadeira. É como quando alguém lhe apresenta uma nota falsa e você diz que ela é falsa porque tem a nota verdadeira. Eu não estou sendo arrogante quando digo que tenho uma nota verdadeira. Estou afirmando que é verdadeira porque é mesmo!

Para afirmar que uma coisa é falsa você tem que compará-la com a verdadeira. Quando a Bíblia diz que tem a verdade é porque ela tem a nota verdadeira.

Outra coisa quando no v. 8 é dito que ‘a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá’. Quando a gente diz que o diabo vai parecer Jesus, não quer dizer que ele vai aparecer pessoalmente, ele poderá promover a farsa. A gora, não interessa se é ele pessoalmente ou não. Esse detalhe não é relevante. O importante é saber a ideia de que alguém vai imitar Jesus. Não interessa se o diabo vai usar outro ser para isto! O importante é sabermos que ele é o promotor e que alguém simulará ser Jesus Cristo.

No verso 9 há o termo ‘aparecimento do iníquo’. E este termo é tão importante! A palavra para aparecimento no grego é a palavra ‘parousia’. A mesma palavra que aparece em Mateus 24. Só para contextualiza. Jesus olhou para o Templo e disse: isto vai cair. Não vai ficar pedra sobre pedra que não seja derrubada. E os discípulos fazem duas perguntas:

‘Tendo Jesus se assentado no monte das Oliveiras, os discípulos dirigiram-se a ele em particular e disseram: ‘Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim dos tempos?’

Esta palavra ‘vinda’, é a palavra parousia.

Essa é a mesma palavra usada em Tessalonicenses para a vinda do falso cristo e falto profeta. A parousia do falso cristo. É grave isso não? Satanás vai imitar a volta de Jesus e o engano vai ser tão grande que vai ser com todo o poder de sinais e prodígios. A mesma palavra utilizada para a volta de Jesus é a mesma usada para o aparecimento do Iniquo.

Para você escapar disto você terá que ter o amor da verdade em seu coração. Que verdade? Jesus. Você tem que conhecer o verdadeiro Jesus!

Imaginem a cena. Alguém aparece e diz: Eu sou Jesus e voltei como havia prometido. Quando ele vier, vai trazer a paz, lembrem que ele virá como um ministro de justiça. Vai chegar para acabar com as brigas entre as religiões, vai pregar o amor. O mundo inteiro vai concluir que ele é Jesus. Acontece que a Bíblia diz que isto é uma praga. Uma coisa ruim! A Bíblia está dizendo que isto é um engano. Ela é muito clara quanto a isto! E nós, que aguardamos a volta de Jesus, temos que ter essa verdade muito clara em nossa mente. Porque senão seremos também enganados. E quando saímos para pregar sobre a volta de Jesus precisamos esclarecer essas informações, caso contrário estaremos pregando a favor de satanás, e isto é muito sério.

Na verdade, todos os que tiverem a marca da besta serão enganados. A bíblia fala que precisamos de algo para não sermos enganados, fala claramente o que precisamos para não sermos enganados e nós vamos descobrir na parte 3 dessa série: A Marca da Besta


Prs. Diego Ignácio e Junior Flores


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

O Rio Jordão: As Águas de Naamã

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2