Sacudidos



Este texto é uma transcrição adaptada do BibleCast 104. Você pode ouvir o podcast original aqui 


Lembrando que o tema começa no tempo 3:35




Os Prs. Diego e Junior refletem sobre o que acontece quando a frieza encontra o fervor. Mornidão, cisão, evaporação, em suma, o tema é a atual situação da igreja. O que está acontecendo no cristianismo hoje? Prepare-se para passar no crivo.

O título desta mensagem é Sacudidura. Essa é uma terminologia muito utilizada no mundo adventista à nível nacional. É um termo utilizado no português. Nos Estados Unidos também é utilizado, mas o significado é outro. É Abalo. O significado em português seria Sacudidura no Adventismo. Nos Estados Unidos seria Abalo no Adventismo.

Na verdade, este termo que usamos está na Bíblia e todo cristão conhece. É um termo adventista, mas que o cristianismo como um todo conhece porque é uma parábola que Jesus contou e que se encontra registrada em Mateus 13:24-30: 

“Jesus lhes contou outra parábola, dizendo: O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo. Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi. Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu. Os servos do dono do campo dirigiram-se a ele e disseram: “O senhor não semeou boa semente em seu campo? Então, de onde veio o joio?”  “Um inimigo fez isso”, respondeu ele. Os servos lhe perguntaram: “O senhor quer que o tiremos?” Ele respondeu: “Não, porque, ao tirar o joio, vocês poderiam arrancar com ele o trigo. Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro”.

É a Parábola do Joio e do Trigo. Uma parábola que descreve o Reino de Deus. É, na verdade, uma descrição do que está acontecendo no Reino de Deus.

Convido vocês à contemplarem em sua mente o pensamento de que o Reino de Deus é muito mais do que simplesmente a igreja. A igreja não é o Reino de Deus. Não se trata, por exemplo, apenas da igreja adventista.

Na parábola, quando Jesus diz que o campo foi cultivado e à noite veio o inimigo e semeou a má semente, na verdade o que Ele está sendo colocado é que Deus criou tudo perfeito e de repente o mundo tornou-se mau. Foi um inimigo que plantou. Na criação não foi feito o propósito de haver a erva ruim no meio do fruto bom a ser colhido. O que fora plantado pelo dono do campo foi o trigo, mas veio o inimigo e plantou o joio.

O joio é uma erva daninha que germina junto com o trigo. Se você comer o joio vai passar mal. O joio tem que ser tirado do trigo. O joio só dá problema!

Perceba que na parábola é a mesma coisa. O mal tem que ser tirado do mundo. Quando contemplamos a maldade logo pensamos: Por que Deus não acaba logo com isso? Por que Ele não tira logo o mal do mundo?

É isto que está no texto quando o dono do campo é perguntado sobre a razão pela qual ele não tira logo o joio.

O v. 29 traz a resposta do dono. Isto é, se você for tentar tirar o joio você arranca o trigo junto, porque você não sabe quem é quem! Por que Deus não destrói o Diabo logo? Porque isto trará problemas. É preciso que se saiba quem decidirá por ele e quem decidirá por Deus.

Liberdade é isso: Deixar as pessoas tomarem a decisão delas!

Então, por exemplo, se Deus houvesse destruído Satanás por ocasião do inicio de sua rebelião, os outros anjos teriam ficado, por toda eternidade, em dúvida quanto às suas acusações contra Deus. A solução é deixar o joio e o trigo maturarem (v. 30).

Quando crescem e se tornam maduros o trigo fica amarelinho e o joio fica pretinho. Mas, isto só acontece no tempo da colheita. Esse é o momento, segundo o dono do campo, de separação do joio e do trigo. É aqui que acontece o momento da sacudidura. É o momento de separar o joio do trigo.

Eles são colocados juntos. O joio é mais leve que o trigo. Você joga os dois para o alto e o vento separa. O vento sopra e joga o joio fora, o trigo cai no fundo da peneira. Essa imagem, inclusive, está em Amós 9:9: “Pois darei a ordem, e sacudirei a nação de Israel entre todas as nações, tal como o trigo é abanado numa peneira, e nem um grão cai na terra.”

A primeira coisa que a gente conclui aqui é que na igreja tem joio e trigo. O mundo também tem joio e tem trigo.

O que Jesus está dizendo é que em algum momento da história Ele vai separar os bons dos maus. Por isso, que a igreja fala que passaremos por esse momento de sacudidura.

Quando falam de bom ou mau não estamos falando de caráter, de perfeição... Estamos falando de quem é de Deus de todo coração e de quem não é e Deus de todo o coração. Este pode até ser temente a Deus, mas não é de todo coração! Haverá, portanto, uma separação e a esta sacudidura acontecerá quando? No momento da volta de Jesus ou antes?

Acontecerá antes. Releiamos Mateus 12:30 :Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro”. Esta cena ai que vem depois da separação é a cena da volta de Jesus.

Em Apocalipse 22:11 lemos: “Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se.” Parece que tem um momento que fica claro quem é justo e quem é injusto. E o termo '‘continue’ diz que não acabou a história ainda, pois no v.12 está escrito: “Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez.”

No verso 11 Deus está falando assim: ‘Tem um ponto aqui que o justo é justo e o injusto é injusto. Estão separados já, antes da volta de Jesus. Em se tratando de igreja essa é a realidade: Tem gente boa e tem gente ruim.

Vai chegar a hora que Deus vai limpar. Vai chegar um momento, que é antes que Ele venha que define tudo, quem é joio, quem é o trigo. A esse momento nós chamamos de sacudidura.

De acordo com Mateus e Amós 9, essa é uma ação de Deus e ela ocorre de forma traumática. Imagine a cena. O agricultor joga para cima tudo e o que é joio, porque é mais leve, sai levado pelo vento. O trigo, porque é mais pesado, desce.

O que Jesus está dizendo é que Ele vai chacoalhar a igreja para arrancar o joio. Todo mundo será chacoalhado: joio e trigo. Vai ser um momento de sofrimento.

Há uma figura em Apocalipse 7:3 que fala de selamento: “Não danifiquem, nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos as testas dos servos do nosso Deus”.

Este selar na fronte é também fazer identificação de quem é de Deus. E aqui fala também de danificar a terra e o mar. Fala de barulho! Isto é, a igreja será sacudida e isto causa transtorno em quem está lá dentro para gerar a separação do joio e do trigo! Pode acontecer crise em várias igrejas e Deus poderá usar essa crise para separar o joio do trigo. Antes de Jesus voltar vai chacoalhar, vai ter crise, vai ter problema, mas será para separar o joio do trigo.

Nós falamos e falamos em reavivamento e sempre pensamos no positivo, o que precisamos entender é que o positivo nem sempre vem completamente positivo como a gente imagina. Ele pode vir numa crise! Por exemplo, numa sacudidura divina.

Amós 9:9: “Pois darei a ordem, e sacudirei a nação de Israel entre todas as nações, tal como o trigo é abanado numa peneira, e nem um grão cai na terra.”

A gente sempre coloca isto numa plataforma do futuro: um dia isso vai acontecer. Só que se você olhar para o cristianismo hoje, tanto no lado protestante como no católico, dá sinais de mingua, de esgotamento, de cansaço.

Na Europa muitas igrejas fecharam suas portas para reabrirem como museu, discoteca, livraria, local para se praticar escalada. Igreja fechando já é uma dificuldade para nossa imaginação aqui na América Latina. Imaginem fechando para virar outra coisa... Não havia ninguém nem mais interessado no prédio.

Aqui no Brasil temos a nossa realidade. Grandes denominações se dividindo. Igrejas históricas com seus templos dando sinais de deterioração. Igrejas divididas por ministérios. Tudo sendo secularizado! O que sentimos não são sinais de reavivamento, mas o contrário! Quantos de nós crescemos na igreja e a maioria dos nossos amigos nem na igreja estão mais!

Podemos ficar pensando que está tudo dando errado porque coisas ruins estão acontecendo nas igrejas. Mas, precisamos nos lembrar que a igreja é de Deus e o homem não pode enterrar a igreja de Deus.

Disse Jesus: “E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades (inferno) não poderão vencê-la.” (Mateus 16:17-18)

Então, se o reavivamento que sempre temos buscado para a igreja não está vindo e a realidade da igreja está desse jeito de um modo que incomoda, pode ser, talvez, que esteja se manifestando em nosso tempo aquilo que a gente pensa para o futuro: a sacudidura.

A situação está complicada: tem pastores insatisfeitos, tem irmãos adultos, idosos e jovens insatisfeitos. Muitas manifestações que a gente percebe na igreja vêm desta realidade. Muitos grupos se formam dentro da igreja por causa disto. São eleitos problemas de acordo com a cosmovisão de cada um. Uns acham que o problema está na música, falta louvor na igreja.  Outros, na falta de espiritualidade dos jovens. Outros dizem que o problema está nos administradores.  Essas divisões são apenas indicações de insatisfação geral para que haja o reavivamento. Entretanto, as coisas parecem que só pioram. E tem de tudo! Onde tem o ser humano a realidade fica feia. Tem mentira. Tem jogo de poder. Tem orgulho! Tem gente querendo passar por cima do outro. Tem gente que não perdoa. Tem de tudo dentro desse cristianismo em que estamos envolvidos. Gente que não quer entender e que não entende! Estamos falando da igreja adventista porque estamos nela, mas esta é a realidade em todas as igrejas cristãs. 

Vemos isto acontecer internacionalmente. Está acontecendo em todos os lugares... E no adventismo também! Essa insatisfação está presente em todo o cristianismo. E a igreja que era para ser alegria passa ser problema para muita gente. Passa a ser motivo de estresse. Razão para se ir ao psicólogo! Estranho, pois aquilo que era para aliviar vira um fardo pesado de carregar.
O livro Testemunhos Seletos é uma compilação de vários sermões de Ellen White. No volume 1 página 60 lemos: ‘Em 20 de novembro de 1847 foi-me mostrado o povo de Deus. Alguns com viva fé e agonizante brado pleiteavam com Deus. Tinham o semblante pálido e assinalado com profunda ansiedade expressivas de suas lutas internas. Firmeza e grande fervor se exprimiam em seu semblante enquanto grossas gotas de suor lhe caiam da fronte. De quando em quando seu rosto resplandecia com um sinal da aprovação de Deus. De quando em quando Deus aprovava o povo, mas de novo pousava sobre ele aquele olhar solene, fervoroso e ansioso’. Ou seja, novamente ficavam pesados. ‘Anjos maus se aglomeravam ao redor deles circundando-os de trevas para lhes afastar da vista a Jesus e eles desconfiassem de Deus e contra Ele murmurassem. Sua única segurança estava em manterem os olhos fixos no alto.

Perguntei qual o sentido da sacudidura que eu acabava de presenciar e foi-me mostrado que fora causada pelo positivo testemunho motivado pelo conselho da Testemunha Fiel aos laodicenses. Esse testemunho terá o seu efeito sobre o coração de quem o recebe, levando-o a exaltar a norma e declarar a positiva verdade. Alguns não suportarão esse claro testemunho. Opor-se-lhe-ão e, isso causará uma sacudidura entre os filhos de Deus."

Ellen White disse a 100 anos atrás que o Espírito Santo estava se afastando da Terra. Isto é, dos ímpios, mas não dos filhos de Deus. Parece que quanto mais nos aproximamos do tempo do ‘Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se’, mais e mais o Espirito Santo vai se afastando.

Em sua visão, ela viu cristãos que pleiteavam com Deus. Ou seja, tem um grupo, brigando, clamando por Deus. Eles ‘tinham um semblante pálido e assinalado por profunda ansiedade expressivas de suas lutas internas’. Lutas internas, sensação de que não dá mais. É muito complicado. Os cristãos olham para dentro de suas igrejas e se perguntam pela razão de toda essa apatia espiritual e se questionam sobre suas angustias e se perguntam: será que estou certo em questionar tudo isso? A igreja não é triunfante? Será que o problema sou eu? Será que estou certo?

Nesta visão que ela teve foi revelado que esta angústia é causada pelo ‘testemunho motivado pelo conselho da Testemunha Fiel’, que é Cristo, ‘aos laodicenses’.

Este conselho está em Apocalipse 3:18, porém o conselho é precedido por uma repreensão que encontramos nos versos 14 a 17: “Ao anjo da igreja em Laodicéia escreva: Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o soberano da criação de Deus. Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca. Você diz: “Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada”. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu.”

Este é o problema: “Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada”. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu.” Cego, pobre, miserável. Sabe qual é o nome disso? Orgulho espiritual! Eu estou certo, estou firme. O que faço é a verdade. Eu sei de tudo o que tenho de saber. Minha igreja é a verdadeira. Eu tenho a profecia. Eu conheço ...

Então, vem o v.18. A sacudidura acontece motivada por este conselho “Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar.”

Então são essas três coisas: ouro refinado no fogo, que é uma mentalidade espiritual amadurecida e fortalecida pelas lutas e sofrimentos. Isso fará sua fé mais robusta. O sofrimento, o fogo, não é para derreter, mas purificar. É uma fé madura, não se trata do comportamento infantil: ‘Deus eu vim para receber de Ti. Se o Senhor não me der a cura, a prosperidade, eu vou embora’. Essa fé não serve. Então para que não sejamos orgulhosos e vaidosos Deus permite as adversidade, o sofrimento.

Vestiduras brancas é a compreensão e aceitação da salvação individual pela fé. É a imputação da justiça de Cristo por Sua graça. Vestiduras brancas só tem uma que é a de Cristo. As vestes do Cordeiro. Precisamos ser vestidos dessas veste porque estamos nus. Qualquer um que pensar que mérito vai conseguir alguma coisa pode até achar que é rico e abastado e que está vestido com as melhores roupas, mas é nu! A Bíblia está dizendo que não interessa se o que você está vestindo não for a veste branca. A veste branca é a única coisa que veste de verdade o seu corpo.

colírio para enxergar, que é o Espirito Santo para nos ajudar a discernir. O discernimento da necessidade da justiça de Cristo é o que nos faz busca-LO, ir ao Seu encontro. Precisamos enxergar a nossa deficiência. Então, o Espírito Santo tem que vir para nos abrir os olhos!

A sacudidura acontece motivada por este conselho. Ou seja, vai ter gente que vai vestir a veste branca, terá a fé refinada no fogo e os olhos abertos pelo Espirito Santo, porque terá discernimento espiritual e vai parar de falar que é abastardo. Haverá gente que compreenderá que é infeliz e miserável sem Deus de verdade na sua vida. E porque enxergará que em si mesmo não há justiça, perfeição cristã, que é um pecador em sua natureza caída, vai aceitar a justiça de Cristo, Sua graça e misericórdia. Vai aceitar as vestes de Jesus, que é a aceitação do Seu perdão e de Sua morte substitutiva, Sua intercessão.  É por reconhecer-se como pecador indigno e que só Jesus é perfeito em caráter e obediência que o cristão andará por visão.

Quando isto acontecer, quando esta situação for praticada, a sacudidura será uma realidade.

‘Deixem que cresçam juntos até a colheita’.

Deus está dizendo: ‘Parem de falar que vocês são os melhores do mundo, que estão certos, a única verdade no mundo’. E quando um grupo disser isso: ‘Realmente não somos os melhores do mundo. A gente não é o sabe tudo!’, vai haver problema. Mal sabe você que você é cego, miserável e nu!

E o texto de Ellen White continua: ‘Esse testemunho terá o seu efeito sobre o coração de quem o recebe, levando-o a exaltar a norma e declarar a positiva esta verdade’. Que verdade? Nós não somos melhores do que ninguém. Somos também miseráveis, cegos e nus. Paremos de julgar o outro. Humildade, esta é a norma do cristianismo. ‘Exaltar a norma ou padrão’ não está se referindo a estatutos de regras de uso e costumes, mas à norma do cristianismo, seus princípios. O que é ser cristão.

“Alguns não suportarão esse claro testemunho. Opor-se-lhe-ão e, isso causará uma sacudidura entre os filhos de Deus."

O que é ser cristão? “Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada”? Sou rico e abastardo? Não! A lógica do cristianismo é ‘sou miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e nu’. Precisamos ter coragem para dizer isso! Para ter um encontro com Cristo preciso saber que sou miserável! Precisamos bater a cara no chão, reconhecendo que somos miseráveis.

Infelizmente tem os que dizem: Senhor, te dou graças porque não sou como aquele publicano. Têm aqueles que acham que após o batismo ou de certas decisões pessoais não são mais pecadores e mesmo depois de 10 anos de batismo ou porque tomaram algumas decisões se acha perfeito e não ora mais: ‘Senhor, me perdoa porque sou um miserável pecador’.

Há pessoas que se você orar assim diante delas vão lhe mandar tomar vergonha na cara: “Como assim pecador depois de 10 anos como cristão batizado?” Você está há 20 anos na igreja e ainda está com essa história de pecador?” O que que acontece? A  gente começa a falar que está 100%, que está firme. Estou perfeito e vou exigir essa perfeição dos outros. E começa a cobrar dos outros o tanto que a gente acha que já melhorou, que se aperfeiçoou. Estou rico e abastado.

Só porque alguém se batizou não significa que não terá mais problemas. A norma do cristianismo é se declarar pecador. Carente e dependente da graça de Cristo. É em Cristo buscar a justificação pela fé. Parar de pensar que são por causa de suas obras, de seus méritos. Imagina um pastor falando que é pecador? Um ancião? Alguns não suportarão isso!

Imagina a reação diante da verdade de que há trinta anos aprendeu de um jeito e agora compreende que estava errado?

Um exemplo prático. Somente um exemplo, pois não é pecado comer uva. Você passa 20 anos sem comer uva, porque você foi levado a crer que era pecado. Mas, você simplesmente amava uva, mas se privou e de repente vem um pastor e diz: ‘não, não é bem assim. Isto não é pecado!’ E prova na Bíblia que sua compreensão estava equivocada. Haverá duas reações: (1) Puxa, quanto tempo estive enganado, que legal vou poder comer uva!  Que legal que as pessoas que comeram uva durante todo esse tempo estarão salvas. (2) Esta, infelizmente, é a postura da maioria: Como assim não é pecado comer uva? Fiquei 20 anos sem comer e não vai ser agora que deixará de ser pecado. Não aceito esse seu estudo da Bíblia que joga na minha cara que estive 20 anos errado! Ninguém deve comer. Vai para o inferno quem comer.

E, então, essas pessoas pegam aquilo que viveram nesses 20 anos e não querem mudar por causa do sofrimento que passaram! Alguns não suportarão o claro testemunho de que ele estava errado, achando que era melhor do que, porque agia como agia, que era mais santo, mais consagrado. Mais isso, mais aquilo! Se você pensa assim escute o que o conselho diz: ‘você é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e está nu.’

Na continuação de seu texto Ellen White diz claramente que haverá um racha porque alguns não suportarão este claro testemunho. Que testemunho? O reconhecimento de que é pela graça. Nossa salvação é pela graça de Deus e não por méritos. Somos pecadores, imperfeitos em nossa obediência. Nossa salvação acontecerá pela obediência de Cristo e não a nossa. Nossas obras não produzem salvação. A Lei não salva. Quem salva é Cristo.

“Alguns não suportarão esse claro testemunho. Opor-se-lhe-ão e, isso causará uma sacudidura entre os filhos de Deus."

Então, se você está vendo um certo racha, um certo desdém para os três conselhos para Laodicéia. Se, está vendo gente brigando contra as vestes brancas, que é a justificação pela graça e não pelas obras. Gente que não quer assumir que ‘é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e está nu.’ E, se por outro lado, você está vendo também gente dizendo que a igreja pode errar até e que alguns pontos defendidos equivocadamente durante anos não são importantes ou o mais importante, que a salvação pela graça é a verdade que deve concentrar nossa atenção, bem vindo a sacudidura dos filhos de Deus.

‘Deixem que cresçam juntos até a colheita’.

O texto de Ellen White continua dizendo que o testemunho da Testemunha Fiel não foi atendido nem pela metade. Ou seja, a maioria vai se opor a isso!

“O solene testemunho do qual depende o destino da igreja foi subestimado, se não rejeitado por completo. Esse testemunho tem que operar arrependimento profundo, e todos os que de fato o receberem, obedecer-lhe-ão e serão purificados.”

De que testemunho depende o destino da igreja? Esse que a gente “é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e está nu”. Imagina isso para uma igreja que é acostumada a se achar a tal! Alguns dirão: há muito tempo a gente crê na justificação pela fé. Mas, esta não é a questão, pois de que adianta saber e não pregar sobre isto. Não viver isto! É tudo da boca para fora! Isto em qualquer denominação cristã. Principalmente a gente.

E se alguém dizer: “Eu sempre cri assim!” Então, tem um problema aqui porque a Bíblia fala que vai ter gente que vai dizer que  é rica, que é abastardo e que de nada tem falta! Se você acha que sempre entendeu isso ai é você quem está sendo descrito. O adventista. É por isso que essa carta é para nós, a Laodicéia. Não pense que é para outro. É para a gente!

“O solene testemunho do qual depende o destino da igreja foi subestimado, se não rejeitado por completo.”

Houve um pregador na década de 80 numa igreja chamada Graça, que pregou sobre isto, do jeito dele, mas pregou! Houve muita crítica, muita gente o condenou. Mas, é isto mesmo. Toda vez que você prega sobre a veste branca mesmo, dá problema!

O fato é que para vestir a veste branca você tem que reconhecer que está errado. Deus está dizendo para cada um de nós cristão: a sua roupa não serve! Tira e põe a minha! A sua não serve. Suas obras não servem!

O solene testemunho foi subestimado, rejeitado por completo. No contexto da sacudidura Ellen White explica o que é sacudidura. Sacudidura é o momento em que a maioria das pessoas vai rejeitar apocalipse 3.

“Esse testemunho tem que operar arrependimento profundo, e todos os que de fato o receberem, obedecer-lhe-ão e serão purificados.”

“Deixem que cresçam juntos até a colheita.”

Existe ainda um outro texto em que Ellen White comenta sobre este tema: "O Espírito de Deus tem iluminado cada página dos Escritos sagrados, mas há aqueles sobre os quais pouca impressão eles fazem, por serem imperfeitamente compreendidos. Ao vir a sacudidura pela introdução de falsas teorias, esses leitores superficiais não ancorados em parte alguma, são como a areia movediça. Escorregam para qualquer posição para agradar a tendência de seus sentimentos de amargura". Testemunhos para Ministros, p. 112.

Há pessoas que leem a Bíblia e não a compreende. Falam assim: “Eu já fiz três anos bíblicos completos este ano!” E você percebe que de fato elas não entenderam nada sobre o Evangelho! Sobre a norma do Evangelho! Elas leem, mas não compreendem.

Para o adventista, Ano bíblico é o ato de ler a Bíblia toda.

É aquela pessoa que você pergunta: quem é Saletiel? Você pergunta: “Quem é o bisavô de Davi?” E ela responde. Ela sabe detalhezinhos, mas é tudo no superficial.

Se você pedir para ela explicar a teologia da justificação pela fé, ela não sabe. São leitores superficiais. Leem a Bíblia e não entendem uma porção de coisas. Não entendem o agir de Deus. Eles só sabem repetir, mas não sabem trazer para a vida prática.

“ ... são como a areia movediça. Escorregam para qualquer posição para agradar a tendência de seus sentimentos de amargura". Como não há discernimento da verdade, eles vão para onde os sentimentos dizem que é bom! De amargura, pois fiquei vinte anos sem comer uva! Não entende o Evangelho como positivo. O Evangelho é pesado! É pesado para eles, tem que pesar para todo mundo.

Uma pessoa que não quer perdoar, por exemplo, vai para qualquer teoria que fale de justiça! Justiça! Justiça! Assim ele não fica preocupado com o perdão.

As pessoas que não gostam da administração, da liderança da igreja ficam afirmando que eles alteraram a Bíblia, o ensinamento dos pioneiros, que estão alterando tudo! Que só querem dinheiro! Começam então a falar contra o dizimo. Falam contra o Espírito Santo, dizendo que Ele não é Deus, por exemplo. Que a igreja está maculada. Muitos desses posicionamentos são baseados em experiências negativas. E elas tomam posição baseadas em seus sentimentos de amargura. E começam, então, a surgir na igreja um monte de certezas que não estão ancoradas na Bíblia. E começam a surgir um monte de doutrinas na igreja.

Sabe, coisas da tradição da igreja que nem a Bíblia fala! Não estão na Bíblia , nem no Manual da Igreja!

A verdade é que quando um grupo de amigos cristãos se reúnem e as conversas surgem, quando o assunto é igreja, há um clima de tristeza em qualquer nível. Estou falando de pastor, de administrador. Estou falando de irmão, de leigos... O sentimento é de amargura, ansiedade, tristeza, porque parece que a igreja não vai bem.  A igreja vai muito mal! E para ficar pior, parece que tem um racha ficando muito claro dentro da própria igreja. E quando você ver tudo isso e tem vontade de desanimar , quero dizer para você que o  conselho de Ellen White é que a gente não fique pregando sobre sacudidura.

Essa não é a mensagem que a gente tem que ficar levando. Mas, neste exato momento é importante que tenhamos essa percepção de que talvez estejamos neste momento vivendo o momento em que Deus está sacudindo o Seu povo. A igreja está nesta situação porque a igreja está sendo sacudida. Essas divisões, esse momentos que antes nunca aconteceram é intrigante para os adventistas da década de 70, de 80, onde o sentimento era da igreja triunfante. E agora tem esse cansaço ... Tem gente que crê em tudo o que a gente crê, mas não vai em igreja nenhuma porque não quer mais ir para a igreja. Porque lá é terrível! E se você está sentindo isso e sente muita tristeza e vontade de desistir, fica firme ai porque Deus está sacudindo o Seu povo para separar o joio do trigo.

Percebe-se que aquele que crê que é pobre, miserável, cego e nu, vai sofrer perseguição. Pois, o que se sente rico e abastado o trata como? O orgulho não lhe deixa confortável para ouvir pessoas falando que temos erros. Como assim? Não podemos voltar atrás! Não, não podemos! Dizem que a igreja está assim porque o mundo está perdido! O mundo estacada vez pior!

Na verdade, a gente ao invés de por a culpa onde está realmente o erro: “Sou miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e nu.” Isto é, está em nós o erro, a gente coloca em outro lugar.

Por exemplo, o pastor chega par um membro e diz: - ‘aquela igreja está sempre lotada. Porque será?

- Ah, pastor é porque eles dançam.

- Será que é porque eles dançam? Não será porque eles se sentem bem tratados?

- Não pastor, é porque eles dançam.

- Eu pensei que quando as pessoas queriam dançar elas iriam para danceteria e não para a igreja.

- Nós nunca vamos encher desse jeito, porque nós não vamos dançar, a gente vai  ficar só com a verdade.

- A minha igreja está vazia na quarta feira à noite porque o mundo está perdido mesmo.

É porque é mais fácil botar a culpar em algo que a gente acha que não deve fazer.

A gente não vai dançar mesmo, mas a gente poderia fazer algumas coisas que eles estão fazendo: sorrir, abraçar. Este BibleCast é par lhe animar. Não é para você ficar pensando: a sacudidura chegou, cuidado!

Este momento que a gente está tendo de desespero, de angústia, de pavor, de descrédito entre nós e entre todo mundo. Este momento de amargura que faz a gente dobrar o joelho e orar e ficar pedindo a Deus para agir e voltar logo. De olhar a igreja e perceber que tem mais gente saindo do que entrando, persevere na fé. Fique firme no Senhor! Veste as vestes brancas, reconheça que você émiserável, digno de compaixão, pobre, cego, e nu.’ Aceita o que Senhor Jesus está lhe oferecendo em Apocalipse 3, pois este momento é muito importante e precede a vinda do Senhor. É o momento de separação da história universal entre aquilo que é de Deus e o que não é de Deus.

Então, por pior que seja esse momento se anima no Senhor porque o texto bíblico fala assim: “Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima.” (Lucas 21:28)

Para concluir, retomando o texto de Ellen White , ela diz que: “Ouvi os que se achavam revestidos da armadura proclamarem a verdade com grande poder. Isso surtiu efeito. [...] A verdade, unicamente, era para eles exaltada. Era-lhes mais querida e preciosa do que a vida.”

Isto faz sentido com Apocalipse 12:11 “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida.”

“Tinham dela estado famintos e sedentos. Perguntei pela causa dessa grande mudança. Um anjo respondeu: “É a chuva serôdia, o refrigério da presença do Senhor, o alto clamor do terceiro anjo.”

Existe um grupo que há muito está sedento e faminto da verdade da graça. A vitória está do lado dos que estiverem com as vestes brancas. Aqueles que são miseráveis, dignos de compaixão, pobres, cegos, e nus. E que tenham escutado a voz da Testemunha Fiel.


Pastores Diego Ignácio e José Junior


Fonte dos textos de Ellen White expostos neste estudo: Testemunhos Seletos, vol 1, capítulo 10 :  A sacudidura: Deus prova seu povo


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

Revelação e Explicação do Sonho de Nabucodonosor - Capítulo 2