Lendo Ellen G. White: Qual dos Dois é o Conselho Inspirado? Capítulo 1



Por George R. Knight 


Este artigo foi traduzido para o português por Ruth Mª C Alencar. Título do original em inglês, Reading Ellen White: How to Understand and Apply Her Writings (Hagerstown, MD: Review and Herald, 1997

Parte

Considerações Gerais

No fim da década de 1860, Ellen White escreveu: “Ovos não devem ser colocados em sua mesa. Eles são prejudiciais aos seus filhos” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 399). A declaração parece bastante clara. Contudo, a mesma autora escreveu em 1901: “Obtenha ovos de galinhas sadias. Use esses ovos cozidos ou crus. Ponha-os crus no melhor vinho sem fermento que você puder obter. Isso suprirá ao seu organismo o que lhe é necessário. Nem por um instante pense que não é correto fazer isso. [...] Digo que leite e ovos devem ser incluídos em sua alimentação. [...] Os ovos contêm propriedades que são agentes medicinais para combater venenos” (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 204).

Esses dois conselhos estão tão distantes quanto possível um do outro. “Não coma ovos!” “Coma ovos crus!” Eles apresentam dois extremos sobre o assunto.

Entretanto, ambos vieram da mesma autora. Como pode isso? Como a mesma pessoa pode dar recomendações opostas?

Seria difícil responder tais perguntas se as declarações tivessem sido escritas por você ou por mim. As pessoas poderiam simplesmente dizer que nos contradizemos. Mas o problema é ampliado no caso de Ellen White, que afirmava receber orientações de Deus.

Podemos perguntar: Será que ela não se confundiu? Ou então: Será que Deus mudou de opinião entre 1870 e 1901?

Como última saída, podemos perguntar: Qual dos dois, afinal, é o conselho inspirado?

É verdade que o assunto dos ovos parece insignificante na obra de uma autora que escreveu extensamente sobre os grandes temas centrais da Bíblia, como o pecado e a salvação. Mas as perguntas levantadas pelas citações sobre os ovos estão longe de ser banais. Na verdade, estão no centro da maneira como compreendemos os autores inspirados. Lendo Ellen White tem por objetivo ajudar aqueles que desejam entender qual realmente é a vontade de Deus revelada nos escritos proféticos.

O exemplo dos ovos mostra claramente que precisamos de princípios de interpretação se quisermos que nossa leitura faça sentido. Devemos reconhecer que cada leitor de Ellen White (e de todos os outros autores) já possui um método de interpretação. Mesmo aqueles que negam a necessidade de se interpretar os escritores inspirados os interpretam – apesar do que eles mesmos declaram. Assim, quando leem na Bíblia: “Feliz aquele que pegar os seus filhos e os despedaçar contra a rocha!” (Salmo 137:9, NVI), automaticamente eles situam a passagem no contexto imediato e tentam entendê-la à luz do que sabem sobre o amor de Deus e o mandamento de que devemos amar os inimigos (Mateus 5:43-48).

É impossível ler o Salmo 137:9 e não o interpretar, a menos que você exclua a metade do seu cérebro. Esse versículo dificilmente se parece com as bem-aventuranças que dizem: “Bem-aventurados os misericordiosos [...]. Bem-aventurados os pacificadores” (Mateus 5:7, 9). Nossa mente tenta harmonizar declarações tão diferentes presentes na Palavra inspirada de Deus.

Da mesma forma, todos nós interpretamos as palavras de Jesus em Mateus 5:27-29, onde lemos que devemos arrancar o olho direito se formos levados a olhar para alguém com desejo sexual pecaminoso. Mostre-me uma comunidade que não interprete esse texto e eu indicarei uma na qual os membros têm apenas um olho.

À medida que tentamos compreender a Bíblia, vamos desenvolvendo princípios de interpretação dos textos inspirados. Temos nós possuímos princípios de interpretação, estejamos ou não conscientes.

O objetivo deste livro é apresentar alguns princípios básicos que devemos aplicar na interpretação dos escritos de Ellen White. Em geral, esses mesmos princípios se aplicam ao estudo da Bíblia, embora este livro trate primariamente dos escritos de Ellen White. Consequentemente, a maior parte dos exemplos virá de Ellen White, apesar de que eu tenha utilizado alguns exemplos bíblicos que me pareceram apropriados.

Mas, você talvez se pergunte: E quanto aos ovos? Qual dos dois é o conselho inspirado? A resposta é: Os dois. Então, você pergunta: E qual deles se aplica a mim? Isso depende da sua situação. Cada um de nós tem uma constituição física, necessidades e problemas diferentes. Assim como um bom médico prescreve diferentes terapias a pessoas diferentes que têm o mesmo problema de saúde, Deus dá a uma pessoa conselhos que podem parecer o contrário do que disse a outras. É por isso que os leitores de Ellen White não podem simplesmente aplicar as orientações dela sem antes refletir. Não devem somente ler, mas fazê-lo de maneira inteligente e responsável. Não devem se contentar somente em aplicar seus conselhos, fazê-lo com bom senso.

Infelizmente, as recomendações de Ellen White (assim como as da Bíblia) podem ser lidas e aplicadas sem discernimento e de maneira totalmente irresponsável. Lendo Ellen White: como entender e aplicar seus escritos tem o objetivo de orientar você nesse tema, utilizando ilustrações práticas de princípios retirados dos escritos de Ellen White. Sempre que possível, veremos como Ellen White interpretou seus próprios escritos.

Mas, e os ovos? Não se preocupe. Voltaremos ao assunto, assim como a muitos outros assuntos de maior ou menor importância, nas páginas seguintes. Antes, porém, vamos analisar algumas observações gerais que servirão de base à nossa leitura de Ellen White.


 George Knight













Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3º Dia: Por que as coisas pioram quando mais buscamos a Deus?

5º Dia: Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda

Refletindo um pouquinho sobre 2 Reis 2: 9- 13