Do Desespero à Esperança

“Tanto o sábio quanto o insensato têm o mesmo fim. Basta um só dia, e eles são esquecidos. […] O homem morre […]. Viemos do pó e ao pó voltaremos”. Eclesiastes 2:15, 16; 3:19, 20, A Mensagem

CPB – Aqui você encontra mais livros sobre a história do Adventismo

Miller serviu como capitão durante a Guerra Anglo-Americana (1812-1814), e tal experiência proporcionou um ponto de virada em sua vida. Mesmo antes de o conflito começar, ele tinha dúvidas sobre suas crenças deístas.

Ao mesmo tempo, ele começou a refletir sobre o significado da morte. Em 28 de outubro de 1814, escreveu para a esposa, falando sobre um amigo que havia morrido: “Não falta muito e, assim como Spencer, eu também deixarei de existir. Que pensamento solene!”

Os fatos difíceis da vida empurravam o capitão Miller em direção à fé que rejeitara com tanto vigor no passado. No entanto, ele ainda tinha uma esperança. Caso conseguisse encontrar patriotismo verdadeiro nas fileiras do exército, poderia concluir que sua fé no deísmo não estava equivocada. Contudo, escreveu: “Mas os dois anos de serviço militar foram suficientes para me convencer de que eu estava errado nesse aspecto também.” O retrato negativo da natureza humana encontrado na Bíblia parecia mais correto do que sua perspectiva deísta, a qual ensina que a natureza humana é, em princípio, boa e justa; porém, Miller não conseguia comprovar tal fato na história. “Quanto mais eu lia, mais assustadoramente corrupto o caráter do ser humano se apresentava. Não conseguia encontrar nenhum momento positivo na história. Os conquistadores e heróis pareciam demônios em forma humana. […] Comecei a desconfiar de todas as pessoas.”

A crise final de Miller em relação ao deísmo está ligada ao que parece ter sido um ato divino na história, durante a batalha de Plattsburg, em setembro de 1814. Nela, o “arremedo de um exército” norte-americano derrotou as forças superiores de membros regulares do exército britânico, alguns dos quais haviam vencido Napoleão fazia pouco tempo.

Os Estados Unidos estavam certos da derrota. Miller concluiu: “Um resultado tão surpreendente e contrário a todas as probabilidades me pareceu obra de uma força mais poderosa do que a humana.”

Assim como o autor de Eclesiastes, Miller foi forçado pelas dificuldades da vida a olhar mais uma vez para Deus. A boa notícia é que as dificuldades ainda continuam a desempenhar a mesma função em nossos dias.

Você pode ver aqui os outros dias dessa meditação

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *