Conversando sobre o Perfeccionismo e Teologia da Ultima Geração

A teologia da última geração foi desenvolvida e popularizada na Igreja Adventista por ML Andreasen (The Sanctuary Service [Washington, DC: Review and Herald Pub. Assn., 1937, revisada em 1947]). Andreasen estava construindo informações sobre AT Jones e EJ Wagoner. Esta teologia introduziu um forte elemento de legalismo em alguns setores da igreja ao afirmar que o caráter de Deus, caluniado por Satanás no conflito cósmico, será reivindicado através da santa e perfeita vida de obediência da última geração de crentes. Esta geração atingirá um nível de desenvolvimento de caráter inigualável na história cristã, copiando perfeitamente em suas vidas o que Deus fez em Cristo. Uma vez que isso aconteça, o Senhor retornará. Esta teologia procura explicar por que o Senhor ainda não retornou e a natureza e propósito da perfeição cristã. Baseia-se principalmente em uma leitura particular dos escritos de Ellen G. White.

Cristo e a Vindicação de Deus: na Bíblia e nos escritos de Ellen G. White, a reivindicação cósmica de Deus é o resultado exclusivo da morte sacrificial de Cristo. Ele foi o único que poderia revelar quem é Deus e, portanto, o vindicar no conflito cósmico (João 1:18). A sra. White é clara: “Por Sua vida e Sua morte, Cristo provou que a justiça de Deus não destruiu a Sua misericórdia, mas que o pecado poderia ser perdoado, e que a lei é justa e pode ser perfeitamente obedecida. As acusações de Satanás foram refutadas. Deus havia dado ao homem evidências inconfundíveis do Seu amor.”(1)

I – A Teologia da Última Geração por pastor Angel Manuel Rodríguez 

II – Eu costumava ser Perfeito  por pastor George Knight

III – Série Perfeição com o Pastor Raniere Sales 

Trailer

001 – Introdução

002 – A história do debate na IASD

003 – Natureza pecaminosa e pecado

004 – O pecado e a natureza pecaminosa

005 – A natureza humana de Cristo em EGW

006 – A carne pecaminosa

007 – Forma de Deus e semelhança de homens

008 – Tentado a nossa semelhança

009 – A perfeição cristã

010 – Os 144 mil sem mácula

011 – Título e adequação

012 – Sem mediador e sem pecado

013 – Enoque, símbolo da última geração

014 – A vindicação de Deus

A Prova do Caráter

IV – A Última Geração de Crentes Continuará sendo Pecadora – não “pecadeira” por Leandro Quadros

A justiça de Cristo e a perfeita obediência dEle são transferias a você (Rm 5.19), de modo que as obras dEle passam ser suas pela fé. Não esqueça: a obediência de Cristo, não a sua, que lhe torna justo: “Por causa da desobediência a Deus de uma só pessoa [Adão], muitos se tornaram pecadores. Mas, por causa da obediência de uma só pessoa [Cristo] a Deus, muitos serão declarados justos” (Rm 5.19).

V- O que Deus requer?: uma análise crítica da teologia da ‘última geração’ por por Roy Adams

O presente artigo analisa criticamente a teologia da “última geração”, segundo a qual Cristo voltará apenas quando o povo de Deus alcançar a condição de perfeição sem pecado.

VI- O que significa ‘viver sem intercessor’? por pastor Isaac Malheiros

“De alguma forma, convencionou-se entender que “viver sem intercessor” significa viver sozinho, abandonado, por conta própria, o que é um absurdo. O debate muitas vezes gira em torno de uma má compreensão generalizada dessa expressão. O sentido de “viver sem intercessor” é ‘esticado’ desnecessariamente.

Viver sem intercessor refere-se exclusivamente à obra de Cristo no santuário, e não à sua presença com seu povo ou seu cuidado por ele. É viver sem a obra de um intercessor para perdão de pecados e não sem a sua pessoa ou sem o seu auxílio.

Viver sem intercessor não significa estar desamparado, abandonado. Significa que o caso foi encerrado definitivamente, e não haverá mais mudança de lado, transferência de lealdade. O caráter já vai estar fixado4)). Nada pode agora inverter o veredicto. Não há nada mais a dizer. Resta apenas Jesus voltar e os santos viverem e reinarem com Ele durante mil anos (Ap 20:4-6).”

VII – Por que não acredito mais na Teologia da Última Geração?  por  Pastor Sam Millen

“A cultura popular (e não teológica) tem trazido o pensamento para muita gente de que talvez seja possível vencer o pecado aqui nesta Terra. Esse é o sentimento que fundamenta a tese de que a última geração antes da volta de Cristo não irá mais pecar a partir de um determinado ponto. Mas a Igreja Adventista do Sétimo Dia, declara-se contrária a esta teoria e tem se manifestado oficialmente contra esse tipo de crença. No entanto, ela continua crescendo entre os leigos, principalmente aqueles insatisfeitos com a religiosidade rasa de nossos dias. Infelizmente, é possível ouvir esse tipo de pensamento em púlpitos e ambientes de ensino da própria igreja.”

Em vez de festejar com os meus colegas, eu passei a maior parte da minha adolescência tentando ser perfeito. Tentei ter apenas pensamentos puros, e conquistar o meu temperamento e outras falhas de caráter. Afinal, Deus estava confiando em mim para vencer o pecado! Eu não queria atrasar sua vinda por mais tempo. Eu também sabia que a hora estava chegando, quando “o período de graça” se encerrasse nós ficaríamos sem um mediador. Eu tinha que estar impecável até então. Muito mais tarde, fiquei aliviado quando alguém mostrou-me que sempre teremos um Salvador. ”

VIII- Conversando sobre a Teologia da Última Geração por pastor Diego Barreto

“O foco da Teologia da Última Geração é uma personalidade perfeita. De um ponto de vista TUG, Jesus não voltou porque ele está à espera de uma geração que não tem pecado, para que Deus possa provar que seus mandamentos podem ser guardados perfeitamente. A TUG ensina que Deus está dependendo de nós para reivindicar seu caráter. Se pudéssemos demonstrar ao universo (observando) que a lei de Deus pode ser obedecida, ninguém teria uma desculpa. Provaríamos que Satanás está errado! Deus seria razoável em suas expectativas. Agora vejo como isso é uma blasfêmia. Jesus justificou plenamente o caráter de Deus na cruz. Deus é amor. Nós não podemos tomar o lugar de Jesus em cumprir esse papel.”

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *